A rinite é um problema aí na sua casa? Você tem um filho que sofre com rinite? É uma alergia que não passa, um espirrar constante, e na hora em que você pisca, a criança já está com o nariz escorrendo de novo.

Duro, né? Mas espere até o fim desse post, no qual eu conto sobre alguns alimentos que melhoram e pioram a rinite – talvez seja uma boa revolução na forma de encarar a questão.

criança espirrando

criança espirrando. Foto: freepik

Em todos esses anos de rinite por aqui, já testei diferentes formas de melhorar o problema, começando pela limpeza. Recentemente já mostrei, inclusive, um aspirador de pó que usamos para jogar toda a poeira na água.

Publicidade

Já falei também que os tapetinhos da minha casa são de um modelo que dá para lavar na máquina. Isso sem falar na lavagem nasal com soro fisiológico, que é um dos meus grandes aliados nessa luta contra a rinite (como contei aqui).

Só que no post de hoje eu trago um outro tipo de abordagem sobre a rinite: o combate por meio da alimentação (que é um assunto que possa te interessar muito!).

Acredito que é super positivo garantir a saúde dos nossos pequenos de formas naturais, e se o que um filho come pode impactar na forma como respira, é muito bom que estejamos de olho.

Vale saber e testar!

A seguir você confere algumas dicas do Dr. Marcelo Mello, otorrinolaringologista do Hospital CEMA, dos alimentos que melhoram e pioram a rinite. Dê uma boa olhada e tente aí na sua casa (e depois volte para comentar se deu certo, combinado?).

criança

criança. Foto: freepik

Você provavelmente já ouviu falar que umidificar o ambiente contribui bastante para a melhora da rinite – e isso é verdade.

Publicidade

A medida é indicada para não ressecar as vias respiratórias e, nesse mesmo contexto, entra a primeira dica sobre o que consumir quando a rinite ataca: água!

Além de hidratar, o líquido lubrifica as mucosas e contribui para a eliminação do muco.

Então, quais os alimentos que ajudam a melhorar a rinite?

Mais aliados na expectoração (ou seja, na expulsão de secreções) são o mel e o gengibre. Uma sugestão é reunir esses ingredientes poderosos em um chá. E para dar um gostinho especial, que tal acrescentar uma fruta?

O abacaxi, por exemplo, contribui para a redução da congestão nasal (não é que, pensando bem, o abacaxi alivia mesmo?).

mel e gengibre

mel e gengibre. Foto: freepik

Outras frutas ricas em vitamina C, como laranja e kiwi, são benéficas contra a rinite (inclusive pensando em prevenção, já que a substância melhora o funcionamento do sistema imunológico, e evita gripes e resfriados).

Publicidade

O próprio chá é ótimo (sobretudo o verde e o preto – mas evite dar para crianças pequenas, porque contêm cafeína), uma vez que contém flavonoides, substâncias com efeito anti-inflamatório.

Grãos (como sementes de linhaça e de girassol) também possuem o componente, então fique de olho para levá-los à mesa!

Para completar, investir em mais alimentos que fortalecem o sistema imunológico é uma aposta inteligente pois, com a imunidade alta, as chances de desenvolver uma alergia são bem menores.

Aqui entram as opções ricas em antioxidantes, como vegetais verdes escuros (por conterem clorofila) e aqueles com carotenoides (caso da cenoura, abóbora e manga, por exemplo).

Peixes são uma outra boa escolha, pois o ômega 3 auxilia no combate a inflamações e, ainda, protege as vias aéreas. E sabe do que você não pode abrir mão? De temperar pratos com alho e cebola, pois se tratam de outros ótimos aliados contra vírus, fungos e bactérias.

peixes

peixes. Foto: freepik

E para evitar a rinite?

Primeira coisa: evite os alimentos industrializados. Aqui no blog, eu já falei em várias ocasiões sobre os males que esses produtos oferecem aos nossos filhos – inclusive fiz um post de alerta sobre os riscos que os conservantes (tão presentes nesses produtos) trazem à saúde.

Essas substâncias pioram (e muito!) os quadros de rinite e outras alergias.

alimentos industrializados

alimentos industrializados. Foto: freepik

Também costumo falar sobre o consumo moderado de doces pelas crianças, certo? Se você quer mais um motivo para colocar isso em prática, preste atenção: muitos doces (como o chocolate, por exemplo) levam leite, amendoim e soja na composição.

Como eu já falei em outro post, todos esses são exemplos de alimentos altamente alergênicos, podendo provocar irritações e mesmo inflamações na mucosa nasal. Risque da lista em tempos de crise!

O mesmo vale para os laticínios. O problema aqui é que o leite de vaca, assim como derivados, possui caseína, um tipo de proteína que deixa o muco de alguns indivíduos mais espesso – o que, consequentemente, atrapalha a melhora da alergia.

Por fim temos o glúten, que também pode aumentar a produção de muco. Algumas pessoas relatam piora das alergias com o consumo de trigo (assim como com outros cereais).

Vale lembrar que cada pessoa responde de uma forma aos alimentos, e que não significa, necessariamente, que seu filho terá mais rinite se tomar leite, ou comer trigo, como afirmam muitos pediatras.

Por isso eu acredito que o melhor, sempre, é conhecer a resposta individual do seu filho, observando o que ele come no dia a dia.

Quando procurar um médico?

Se você estiver apresentando congestão nasal persistente que não vai embora após o uso de descongestionantes ou anti-histamínicos de venda livre, consulte seu médico.

Você também deve chamar um médico se tiver febre ou dor forte no rosto ou nos seios da face. Isso pode significar que você tem uma infecção sinusal ou outra doença grave que requer tratamento.

Na sua consulta, esteja preparado para dizer ao seu médico há quanto tempo você tem esses sintomas e quais tratamentos você já experimentou.