Com o organismo ainda em formação, é bastante comum que os bebês sintam diversos desconfortos na barriga do bebê e no sistema digestivo.

Talvez o mais famoso deles seja a cólica, mas também são bastante comuns, especialmente nos primeiros meses de vida, o refluxo e a constipação (o famoso intestino preso). E, para saber se a criança está sentindo algo assim, é “fácil”: ela vai chorar! Só que não, né?

Cá entre nós, quem é mãe ou pai sabe que é relativamente difícil identificar esses desconfortos, porque na fase em que eles são mais comuns o filhote ainda não fala (e aí você pensa: é fome? É frio? É calor? É sono? E depois de eliminar todas essas hipóteses, acaba chegando à conclusão de que o pequeno está mesmo com cólica).

lidar com o cansaço da maternidade

Mãe deitada ao lado do bebê adormecido. Foto: Freepik

Publicidade

Claro que se você notar que algum desses sintomas está fugindo de controle (o filhote reclamando muito, tendo bastante dor de barriga ou dificuldade para evacuar, por exemplo), é necessário procurar o pediatra, pois pode se tratar de alguma doença.

Veja como aliviar desconfortos na barriga do bebê

É válido aprender algumas dicas simples para aliviar todos esses probleminhas do pequeno em casa (pode ter certeza, ele ainda não sabe falar, mas vai te agradecer!).

Faça movimentos com as perninhas dele

lidar com o cansaço da maternidade

Mãe com os lábios próximos do rostinho do bebê. Foto: Freepik

Pode ser que os desconfortos na barriga do bebê sejam causados por gases. Para ajudar o bebê a eliminá-los, coloque-o deitado de barriga para cima, dobre as pernas dele (trazendo os joelhos para a barriga), e depois movimente-as, imitando o pedalar de uma bicicleta.

Essa contração no abdômen colabora para eliminar o que estiver acumulado.

Que tal uma massagem relaxante?

as mães de primeira viagem precisam saber

Mãe e bebê sorrindo deitados na cama. Foto: Freepik

Publicidade

Outra maneira eficiente de aliviar a barriguinha do bebê é por meio de massagens. Faça movimentos de remada no seu filhote, alternando as mãos, para colaborar com o trânsito intestinal (assim ele elimina o que estiver preso) e ajudar no alívio de cólicas.

E uma toalhinha quente?

O calor ajuda no alívio dos problemas estomacais. Uma sugestão é aquecer uma fralda de pano e colocá-la sobre a barriga do bebê, ou então fazer o mesmo com uma bolsa de água quente.

Outra dica legal é dar um banho quentinho no filhote, para amenizar tanto o desconforto quanto o nervosismo que ele causa.

Mas também não estenda muito esse momento, no máximo 10 minutos são suficientes (e se precisar depois recorra a outro procedimento).

Já ouviu falar de probióticos?

fotos de bebê

Bebê segurando o dedo da mãe. Foto: Freepik

Alguns pediatras recomendam o uso de probióticos – as chamadas bactérias do bem – para amenizar as cólicas.

Publicidade

Isso porque elas ajudariam na maturação do intestino do bebê, fazendo com que ele consiga processar melhor os alimentos, sem a formação de gases que possam incomoda-lo.

Nesse post aqui mais de 300 leitoras contaram a experiência com esse tipo produto (caso você queira entender mais sobre o assunto).

O maravilhoso banho de balde

Como o bebê fica apertadinho lá dentro, provavelmente se sentirá mais seguro do que na banheira. É por isso que muitas mães relatam uma melhora no choro do bebê com essa estratégia (não custa tentar, principalmente naquela hora do dia em que seu filho sempre chora – será que por cólica?).

Opte por fraldas e roupas confortáveis sempre

fotos de bebê

Bebê fofo no tapete. Foto: Freepik

Nada de vestir o bebê com fraldas e calças que apertem a barriguinha dele! Recorra sempre ao conforto quando escolher o que o pequeno vai usar, evitando roupas muito apertadas.

Pode parecer uma dica óbvia, mas às vezes a roupinha incomoda mesmo, e você só nota quando a tira, e o filhote para de chorar instantaneamente.

Maneire na alimentação

Não dá para falar em saúde estomacal sem citar uma boa alimentação. Se você estiver amamentando, tente relacionar algum alimento que você tenha comido à cólica do bebê (há pessoas que não acreditam nessa associação, mas muitas mães relatam aumento de gases no bebê com o consumo de feijão e chocolate).

Na dúvida, fique um tempo sem ingerir o alimento, e faça o teste!

Outra dica bacana é estar atenta ao risco de alergia alimentar, pois dependendo dos desconfortos na barriga do bebê (e da frequência) que a criança sentir, é possível que ela seja alérgica a algum alimento (leite, ovo, trigo, etc. Entenda melhor nesse post).