Incrível a capacidade das crianças de nos surpreender. Há cerca de um mês eu comecei o processo de desfralde noturno de Catarina, como eu contei nesse post aqui. Durante alguns dias, em meio a alguns acidentes, eu estava determinada a continuar com o processo, que contava com uma parada noturna para ir ao banheiro (eu acordava Catarina, levava-a para fazer xixi, e mesmo assim por muitas vezes ela acordou molhada no dia seguinte). Até que o caos absoluto se instalou e ela começou a acordar molhada todos os dias! O conflito foi grande (porque sempre que tomo uma decisão tento ao máximo seguir o plano determinado), mas acabei voltando atrás. Viajaríamos e não dava para deixar que ela ficasse sem fralda (durante a viagem ela acordou todos os dias com a fralda molhada!). Mas era preciso respeitar o ritmo da pequena, como comentei nesse outro post, sobre a desistência do desfralde.

Seguindo as dicas de desfralde noturno que algumas das leitoras deixaram na fan page do Facebook, resolvi apelar para o reforço positivo e dar à Catarina um pequeno “prêmio” a cada noite em que acordasse seca (usando fralda, porque nesse momento, nem eu, nem ela, estávamos seguros de que retirar novamente a fralda fosse uma boa iniciativa). Fui conversando com ela, compramos juntas alguns adesivos e os deixei em seu quarto, para que servissem de estímulo ao controle do xixi noturno. Nas primeiras noites, obviamente, ela continuou a fazer xixi durante a noite. Até que um dia, dois, três acordando seca… E novamente outra fralda molhada. Seguimos assim por cerca de uma semana, até que Catarina começou a acordar seca todos os dias, como que por milagre!

Diferente do que eu comentei no último post sobre o assunto, a pequena começou a acordar seca independente do horário em que dormia. Inicialmente notei que quando ela dormia mais tarde, não fazia xixi até a manhã seguinte (enquanto que, se dormisse cedo, acordava com a fralda molhada). Mas agora ela consegue ficar até 12 horas sem ir ao banheiro (e quando acorda, por incrível que pareça, às vezes ainda demora para pedir!).

Percebi que Catarina já estava confiante para uma nova tentativa de desfralde e fui em frente (com medo de ter que voltar novamente para trás e frustrar a filhota! Mas a vida de mãe é cheia de escolhas, e errar faz parte da história, não é mesmo?). Nos primeiros dias, levava-a durante a noite ao banheiro, mas para me sentir segura do que por achar que de fato ela precisava (afinal, com a fralda acordando seca por dias consecutivos, ela demonstrava que tinha controle do xixi). Até que comecei a deixar, para ver o que acontecia. Desde então não tivemos mais acidentes (embora todas as vezes em que faço afirmações categóricas como essa no blog, eu pago a língua!).

Publicidade

Se eu puder deixar alguma dica por aqui (além do reforço positivo com algum pequeno “prêmio”, que eu acho que ajuda!), diria para conversar muito com a criança. Porque no fim das contas seu cérebro só precisa entender o processo (e a dificuldade pode sumir da noite para o dia!). Se estiver insegura, tente fazer essa etapa inicial do desfralde com fralda (se ela acordar molhada, a criança se sentirá menos frustrada do que com o xixi espalhado pela cama). E lembre-se: cada criança é única e passa pelo processo na hora e de uma forma muito específicas. Algumas só deixarão a fralda da noite aos 4 anos, e tudo bem! Outras terão o desfralde diurno e o noturno acontecendo simultaneamente. Com muito carinho e compreensão, todos eles chegarão lá!

P. S. – Há assuntos na maternidade sobre os quais todo mundo tem uma opinião. E desfralde é um deles. Se com seu filho o processo estiver sendo difícil, ou demorado, é provável que você ouça que está fazendo algo de errado, ou que te deem milhares de conselhos sobre como proceder. Nessa hora a melhor coisa a fazer é ouvir, colocar em prática o que achar que faz sentido, e deixar que o resto entre por um ouvido e saia pelo outro! Confie em você e passe essa segurança para o seu filho, que tudo dá certo no final!

Yes, nós só temos calcinhas!!!

Yes, nós só temos calcinhas!!!