Protegendo o bebê das assaduras

Por 8 Comentários


Outro dia visitei uma amiga e seu bebezinho de um mês, muito gracioso. E me lembrei como o dia-a-dia de mãe de recém-nascido é puxado! Fiquei pouco mais de uma hora em sua casa, o suficiente para vê-la amamentar e trocar a fralda duas vezes, pôr o bebê para dormir, atender ao telefone e ainda me dar atenção. Logo antes da mamada, o ritual ao qual eu já estava bem habituada: água quentinha na garrafa térmica, algodão molhado para limpar o bumbum, fralda de pano para secar, uma camada de creme antiassaduras e uma fralda nova. E como o filhote fez cocô enquanto estava no peito, nova rodada de troca em seguida. Ufa!

Voltei para casa lembrando que eu sabia trocar as fraldas de Catarina no escuro! Foram tantas, tantas trocas, que eu sabia localizar cada item necessário praticamente sem luz. Aliás, as histórias de trocador aqui em casa foram hilárias, como no primeiro Natal da pequena (que estava com dez dias de vida), em que ela fez um cocô tão explosivo que voou por todo o quarto (hoje é engraçado, mas na hora você quer que um buraco se abra para você se enfiar ali de fininho!). Dizem que mãe de menino leva muito xixi na roupa; pois é, minhas caras, (talvez por ser mãe de menina?) comigo o número dois sempre fez mais sucesso.

Como eu já comentei algumas vezes aqui no blog, Catarina chorou muito nos primeiros meses de vida. Chegamos a investigar uma possível alergia a leite de vaca, que não foi confirmada. Durante a fase de testes para se tentar o diagnóstico, ficamos sabendo que seu cocô era mais ácido do que o normal, o que indicava fermentação intensa (não foi por acaso que ela chorou de cólica por seis meses!). Com isso, o risco da pequena desenvolver assaduras era grande, pois elas também estão associadas a um pH fecal baixo. Mesmo assim, posso dizer que ela nunca teve uma assadura grave, ficou no máximo com a pele levemente avermelhada por algumas vezes, o que passava logo em seguida. Acho que alguns cuidados foram fundamentais para conseguir mantê-la longe das assaduras, e quero compartilhar aqui com vocês:

– trocar a fralda frequentemente. Eu não deixava a fralda por muitas horas, sempre trocava antes da mamada (porque a filhotinha tinha refluxo, e trocar a fralda depois da mamada fazia com que voltasse mais leite) e eventualmente também depois, se ela tivesse feito cocô. Muita gente acha que só o cocô causa assaduras, o que não é verdade. Por isso é importante trocar a fralda a cada duas ou três horas quando o bebê é novinho, mesmo que ela só esteja molhada de xixi.

– limpar o bumbum com água morna e algodão. Nos primeiros meses eu evitava ao máximo o uso de lenços umedecidos, porque eles modificam o pH da pele e podem causar irritações em alguns bebês, facilitando a ocorrência das assaduras. Mesmo quando eu saia de casa, levava uma garrafinha com água para fazer a higiene. Só depois de alguns meses eu fiquei mais à vontade para usar os lenços umedecidos fora de casa, quando percebi que a pele da pequena já não era tão sensível como no início.

– usar um bom creme antiassaduras. Eu já comentei aqui no blog que a minha experiência foi, sobretudo, com o Hipoglós, que era a marca que eu usava diariamente. Ele tem em sua composição vitaminas A, E e óxido de zinco – incorporados a agentes hidratantes, penetrantes e emolientes, que criam sobre a pele uma barreira mecânica de proteção que evita o contato com as substâncias que podem causar as assaduras. Eu espalhava por toda a região que ficava exposta ao xixi e ao cocô e o creme ficava lá protegendo, até a troca de fralda seguinte.

– usar uma boa fralda. Uma fralda com alto poder de absorção deixa a pele do bebê sequinha por mais tempo. Com isso o risco de assaduras fica reduzido.

– sempre que possível, deixar o bebê sem fralda. Quando a filhota estava um pouco maior e os xixis e o cocô já eram mais previsíveis, eu a deixava sem fralda em casa, por curtos períodos de tempo. No verão ela adorava! O problema foi quando ela começou a correr, porque aí eu tinha uma bebê fugindo pela casa!

Falando em bebê, Catarina ficou completamente hipnotizada pela nova campanha da Hipoglós Amêndoas “Bandinha de Bebês”, que mostra os bebezinhos tocando instrumentos musicais e a Angélica, que é a embaixadora da marca. No canal do YouTube e na página do Facebook, a apresentadora mostra em outros vídeos curtinhos algumas dicas de cuidados com os bebês, como a importância de colocar o papai para trocar a fralda e como lidar com o bichinho de estimação, quando o bebê chega em casa.

banda1 banda2 banda3 banda4 banda5

mildicas_incentivo




Arquivado em: Cuidados diáriosPublieditorial Tags:

Comentários (8)

Trackback URL

  1. Náy Rocha disse:

    Quando a Sofia Gabriely nasceu eu só trocava a sua umas 5x ao dia, que era quando ela fazia coco e usava sempre lenço umidecido.No entanto, com 8 dias a pequena deu uma assadura que demorou mais de um mês para curar.Hoje substitui o lenço por algodão e água morna e troco as fraldas, no mínimo de 3 em 3 horas, mesmo se não tiver coco.Quanto a pomada, não gosto da consistência da Hipoglós tradicional, mas a Amêndoas eu nunca experimentei.

  2. Cacau disse:

    Meu João tem 4 meses e com 6 dias ele teve uma assadura, apenas um ponto vermelho no bumbum, mas que saiu até sangue. Eu fiquei desesperada, chorei muito, me senti muito culpada, mas foi algo que se curou em 3 dias.
    Desde que ele nasceu em toda troca uso algodão + água morna + sabonete liquido Johnsons, quando ele faz cocô limpo com lenço para tirar o excesso e passo uma camada fina de nistatina + óxido de zinco ou uma de marca própria de uma farmácia aqui do sul. Mas nunca deixo de limpar ele com água e sabonete.
    Ah, e quando vejo que ele está um pouco vermelhinho recorro ao amido de milho, é tiro e queda.
    Hipoglós não usei ainda.

    Beijos

  3. Cacau disse:

    Ah, esqueci. Como ele mama de 3 em 3 horas, troco sempre a fralda dele antes de mamar, sendo assim nunca deixo muitas horas ele com a mesma fralda.

  4. Ana Lucia disse:

    Para que tem problemas com assadura, aconselho usar a pomada da marca MUSTELA, a que eu uso é a STELACTIV com óxido de zinco.
    Essa pomada é excelente, sua textura é bem macia e fácil de espalhar.
    O único problema é o preço, aqui em São Paulo ela custa em média $65,00, mas se você tiver oportunidade de comprar fora o país em Nova York sai por US$12,00.
    Serve para qualquer tipo de pele, inclusive para quem tem problemas com alergia.

  5. quando a nina naceu todo dia eu trocava as fraldas della todo dia era a mesma coisa e ella chorava e fazia coco deppois de mamar se nao era coco era xixi entao eu passei a usar hipoglos amendoas e ella sempre sorria dava riisada

  6. Olha lá hein, Júlio…….. AHAAHHAHAHAHA

  7. gisele disse:

    Nos primeiros meses de vida da Giovanna, tomei todos os cuidados acima citados, mas mesmo assim ela assou “um dia”. Por recomendação da pediatra usei pomada com nistatina por 3 dias… não notei nenhuma melhora até que pedi ao meu marido que fosse até a cozinha e buscasse Maizena! Sim, no dia seguinte já estava muuuuito melhor. Até hoje (ela está com 5 meses) passo Maizena no primeiro sinal de assadura. Gio nunca mais assou até então. Bjs!

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Gisele,

      Concordo com você: maizena funciona mesmo! É o tipo de conhecimento que nossas mães e avós nos passaram e que continua valendo! Dizem também que só de colocar um pouco de maizena na água do banho também já ajuda bastante no tratamento das assaduras leves.

      Bjs e obrigada pela dica!

      Nívea

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail