Você tem filhos desobedientes e não está sabendo qual a melhor forma de lidar com eles? Então você está no lugar certo!

Sabemos que isso pode ser um verdadeiro pesadelo para os pais, principalmente quando o mau comportamento da criança sai totalmente do controle se torna rotina… Afinal, é normal precisar repetir mil vezes a mesma ordem ou ter que lidar com crises de birra de vez em quando – isso faz parte de educar uma criança, mas tudo tem limite, certo?

Por isso, resolvemos ensinar aqui algumas dicas eficazes de ensinar seu filho da melhor forma, com paciência e sem o uso da violência.

Confira abaixo!

Publicidade

Filhos desobedientes

Menina desobediente, gritando bem alto. Crédito da foto: Freepik

Filhos desobedientes? Aprenda a como discipliná-los de forma adequada

Primeiramente, vamos entender o que exatamente significa a palavra “disciplinar”.

Com origem do latim, a palavra vem de “ensinar”. Disciplinar os filhos significa ensinar-lhes um comportamento responsável e de autocontrole. Com disciplina adequada e consistente, as crianças e adolescentes conseguem aprender sobre as consequências das suas próprias ações e a gerir da melhor forma os seus sentimentos.

Ainda é possível ouvir a ideia equivocada de que disciplinar envolve castigo físico ou abusos verbais, porém, a verdadeira disciplina usa de meios justos e positivos para recompensar o comportamento adequado e desencorajar o comportamento impróprio.

Por isso, aprenda a como discipliná-los de forma adequada no artigo de hoje!

Dicas para educar filhos desobedientes

Para começar, é preciso entender a causa por trás disso tudo e aceitar que certas atitudes fazem parte do desenvolvimento infantil.

Por exemplo, a fase dos dois anos, conhecida como adolescência do bebê, é quando eles descobrem suas próprias vontades, mas ainda não sabem lidar com as frustrações. Isso pode transformar o mais doce dos bebês em um pequeno tirano temperamental.

Publicidade

A questão é que nem sempre a conduta do filho é condizente com o que é esperado para a idade, e ainda que seja, é preciso saber lidar com cada fase para que a desobediência não se torne uma bola de neve.

Muitos outros fatores podem afetar o comportamento infantil, como pais pouco presentes, a chegada de um irmão ou a falta de limites.

Por isso, separamos dicas para você ensinar seus filhos desobedientes sem traumas. Confira!

1) Dê o exemplo

Um dos pontos mais importantes na educação de uma criança é o exemplo. Isso porque, mais do que ouvir o que dizem, as crianças tendem a copiar o que os pais fazem.

Você já deve ter visto seu filho ou sua filha dando ordens a bonecos exatamente com as mesmas palavras e entonação que você usa, não é mesmo?

Portanto, não adianta pedir calma gritando, nem exigir que os filhos guardem os brinquedos se os pais costumam largar tudo por aí. É muito mais fácil que a criança entenda a importância de certas regras se os adultos mostrarem a ela, na prática, como elas funcionam e o quanto são importantes.

Publicidade

Ou seja, se deseja que seu filho seja organizado, gentil e cuidadoso, antes de tudo, você também precisa agir dessa forma, tanto no relacionamento direto com ele quanto com as outras pessoas.

2) Conecte-se com a criança e melhore o vínculo

Do mesmo modo, filhos desobedientes são aqueles que não colaboram, desrespeitam as regras e não atendem às solicitações dos pais e cuidadores quando chamados. Para esse quadro se inverter, é bom criar e manter uma conexão com eles.

Muitas vezes, os filhos desobedientes não obedecem porque sequer escutam as ordens. Na hora de pedir algo ao seu filho ou repreendê-lo por um mau comportamento, conecte-se com ele. Abaixe-se, colocando-se na mesma altura que ele, e fale pausadamente olhando nos seus olhos. Essa atitude é importante para que seu filho tenha foco em você nesse momento.

Por sua vez, um vínculo forte não se constrói apenas na hora da bronca. Seu filho precisa se sentir amado e valorizado. Portanto, demonstre carinho, brinque com ele, converse, enfim, passe tempo de qualidade com ele.

3) Estabeleça regras

Qualquer filho desobediente precisa de disciplina para se desenvolver bem. Regras bem definidas auxiliam muito a rotina em casa e ajudam os pequenos a discernir o certo do errado e aprender a tomar as próprias decisões.

Não dá para esperar que as crianças de hoje se comportem sem combinar com elas quais são as regras do jogo antes. Por isso, estabeleça e explique ao seu filho as regras da casa, por exemplo, um brinquedo deve ser guardado antes de pegar outro ou não é permitido assistir à televisão durante as refeições.

Enfim, é bom que a rotina seja pautada por algumas regras e que, dentro delas, limites rígidos sejam incluídos, ou seja, aqueles inegociáveis. No geral, eles são associados à segurança, como não poder mexer em certos objetos, pular no sofá, subir na mesa, entre muitos outros.

4) Não retroceda em uma decisão

Tão relevante quanto definir as regras é não voltar atrás em uma decisão. Imagine que você disse ao seu filho desobediente que ele não poderia comer biscoito antes do almoço, mas, depois de ele chorar um pouco, você cedeu. A percepção dele será de que as regras sempre podem ser quebradas e não haverá o entendimento de que aquilo é pertinente.

Claro que isso não significa ser inflexível. Deixe claro o que é inegociável e o ajuste conforme o contexto. O importante é não mudar de ideia no meio de uma crise de birra, por exemplo. Da mesma forma, você não deve ameaçar com alguma punição que não vai cumprir.

Leia mais: Crianças agressivas – 6 dicas para acabar com esse comportamento

Filhos desobedientes

Menina gritando alto e homem ao lado, tampando os ouvidos. Crédito da foto: Freepik

Filhos desobedientes? Aprenda a como discipliná-los de forma adequada

5) Não perca o controle

Essa talvez seja a mais vital das dicas. Lembre-se de que você é o adulto da situação e não perca o controle. Se o seu filho desobediente já estiver agitado, gritar e esbravejar só vai piorar o quadro. Foque na solução do problema. Muitas vezes, não é durante a crise que você conseguirá passar a lição.

Dependendo do local onde a situação ocorrer, pode ser melhor tentar distrair a criança, desviando sua atenção. Aliás, em um momento de birra, muitas vezes o que ela quer é só atenção mesmo.

Embora pareça que a criança faz de tudo para tirar você do sério, na maioria das vezes ela apenas não tem a capacidade de controlar as próprias emoções. Tenha consciência disso e controle você as suas.

6) Dê ordens claras

Seja claro e use a comunicação de acordo com a idade e o poder de compreensão do seu filho. Ou seja, tenha comandos curtos e diretos. Algumas vezes pode ser preciso mostrar a ele o que você está pedindo. Pergunte por que ele não está obedecendo e ofereça ajuda.

É claro que ninguém espera ter um robô em casa, que só acata todas as ordens, mas lidar com certas condutas, em especial em público, pode ser bem desgastante para pais e filhos, afetando a relação familiar.

O caminho para lidar com filhos desobedientes não é o extremo rigor nem a permissividade, mas sim o equilíbrio entre firmeza e gentileza. Esse é o princípio básico da parentalidade positiva, que além de crianças mais colaborativas, forma adultos mais confiantes e responsáveis para o futuro.

7) Busque o autoconhecimento

Outra dica é busque o autoconhecimento. Afinal, pai e mãe também precisam se conhecer para utilizar suas características individuais no processo educacional e mudar o que não gostam.

8) Use consequências positivas: reforce, elogie, valorize

Por fim, os elogios sinceros também devem fazer parte da rotina familiar e as tarefas realizadas com sucesso precisam ser recompensadas de alguma forma. Reforce, elogie e valorize as atitudes positivas do seu filho!

Para isso, os pais podem expor tarefas e desenhos do filho pela casa e sempre valorizar o esforço da criança para chegar àquele resultado.

Leia mais: Mau comportamento escolar? Qual a responsabilidade da família?

Filhos desobedientes

Menina emburrada, mãe atrás de braços cruzados. Crédito da foto: Freepik

Confira outras dicas para educar filhos desobedientes de forma carinhosa e sem traumas: 

Primeiramente, mostre às crianças o comportamento que você não quer que eles tenham, ao invés de puni-los. Explique de forma clara e certifique-se de que a criança entendeu mesmo.

Do mesmo modo, evite fazer ameaças vazias, como prometer meses sem TV ou apenas dizer “você vai ver” ou “vou contar até 3″… Eles mais atrapalham do que ajudam. Logo os pequenos percebem que aquilo não será aplicado na prática. Portanto, essa não é uma forma positiva para incentivar o comportamento que se espera das crianças ou adolescentes.

Além disso, ensine os filhos a esperar. Atualmente as crianças têm sido educadas para terem todos os seus desejos e necessidades atendidas imediatamente. No entanto, saber esperar e desenvolver a paciência ajuda as crianças a viverem melhor e em menos conflito – inclusive quando adolescentes e adultas.

Bem como, o famoso cantinho do pensamento perdeu seu apelo. Dificilmente a criança ficará pensando no que fez enquanto estiver isolada em um canto.

Crianças desobedientes: como lidar?

Outra dica muito importante é não rir da situação. Mesmo quando uma atitude imprópria da criança pareça engraçada, procure não demonstrar que achou divertido, pois a criança pode entender que você aprovou a prática.

Da mesma forma, não tome nenhuma decisão de cabeça quente! Anunciar o castigo quando pais e filhos estão de cabeça quente não é produtivo. Espere todo mundo se acalmar para tomar uma decisão sobre a punição e conversar sobre ocorrido.

Prosseguindo, certifique-se de que você não está exigindo muito da criança. É normal, por exemplo, que as crianças pequenas façam confusão enquanto estão comendo, porque o controle motor e os modos à mesa levam algum tempo para serem dominados.

Além disso, faça um esforço extra para dar bons exemplos sobre como se comportar e conversar com outras pessoas em casa e em público. Use frequentemente palavras como “sinto muito”, “por favor” e “obrigado”.

Por último, elogie o bom comportamento, isso ajuda a reforçar o amadurecimento e o empenho da criança. Procure associar o elogio a uma reação de conquista, pois se para tudo for dito “que lindo!”, o elogio acaba se tornando vazio. Diga algo como: “foi muito legal a sua atitude” ou “parabéns por ter feito isso”, etc.

Fases do desenvolvimento infantil

Informe-se sobre as fases do desenvolvimento infantil. Assim você passa a entender como seu filho processa as informações e fica mais fácil saber quando a disciplina é necessária e quando é melhor ignorar determinados comportamentos.

É importante entender que cada fase da criança apresenta características específicas e conhecer essas etapas auxilia no processo educacional.

Um bebê de um ou dois anos que está aprendendo a falar e caminhar, por exemplo, precisa explorar o que existe ao seu redor e conta com o apoio dos pais para sentir que é competente.

Já crianças em idade pré-escolar devem aprender as regras sobre o mundo, enquanto aquelas de cinco a dez anos querem desenvolver seu senso de competência.

Por sua vez, a pré-adolescência é o momento em que os filhos precisam muito dos pais para lidar com a transição entre infância e adolescência.

Pai e mãe conversando com o filho no sofá. Crédito da foto: Freepik

Porque não recorrer à agressividade com os filhos desobedientes?

As crianças aprendem com o exemplo, inclusive uma série de estudos mostram que os modelos mais influentes na vida de uma criança são os pais.
Portanto, ao usar a punição física ou palavras agressivas para impedir o mau comportamento da criança, corre-se o risco de passar a impressão de que é correto resolver problemas fazendo uso da violência.

Entre os problemas que a agressividade física ou verbal pode causar estão:

  • Danos ao relacionamento entre pai/mãe e filho;
  • Malefícios à autoestima da criança;
  • Possibilidade de dano físico e psicológico;
  • Depressão, transtorno de ansiedade e síndrome do pânico;
  • Perda da oportunidade de usar o mau comportamento da criança para falar sobre responsabilidade e autocontrole;
  • A criança pode começar a mentir para tentar evitar o castigo físico.

Só quem sofreu castigos físicos na infância e na adolescência sabe o quanto eles doem não apenas fisicamente, mas também emocionalmente, podendo até mesmo destruir uma estrutura psicológica em formação.

Em 2021, a revista The Lancet publicou uma revisão de 69 estudos feitos em vários países, que mostraram que não há clara evidência de que castigo físico melhore o comportamento das crianças, além de aumentar os níveis de agressividade, comportamento antissocial e disruptivo na escola entre aqueles que apanham.

Muitas vezes, anos e anos de psicoterapia e até mesmo de tratamento psiquiátrico são necessários para lidar com os traumas causados por pais agressores. É por isso que a educação por meio do afeto, do diálogo e da compreensão é sempre a melhor opção.

Agora que você já sabe qual a melhor forma de educar filhos desobedientes, veja também: Como estimular o bom comportamento na criança?

Esperamos que tenha gostado desse artigo e continue acompanhando o nosso blog para mais Mil Dicas de Mãe!

Até a próxima.