Pode parecer um desafio tirar a chupeta do bebê (e até um pouco cansativo para os pais), já que quando as crianças pegam esse hábito é muito difícil de largar.

Isso porque a chupeta pode ajudar muito na hora de fazer o bebê parar de chorar, sendo um verdadeiro salva-vidas em momentos complicados e de birra.

Entretanto, quando esse costume vira rotina e o bebê vai crescendo, pode se tornar um hábito ruim e difícil de ser quebrado. É que, com o crescimento, as crianças podem criar uma dependência da chupeta, tornando-se cada vez mais difícil de conseguir fazer ela largar o acessório.

Por isso, pense bem antes de oferecer a chupeta para o bebê, por mais que seja uma tentação. Um fato curioso é que muitos bebês rejeitam o acessório naturalmente e não criam esse hábito.

Publicidade

Mas, se o seu bebê está com esse acessório e você pretende fazê-lo largar aos poucos, mas sem traumas, confira nossas estratégias. Afinal, os malefícios para os pequenos são inúmeros, já que o uso do bico pode até prejudicar o aleitamento materno, como apontam as sociedades de pediatria pelo mundo.

Além disso, a utilização prolongada ainda atrapalha o desenvolvimento da dentição e até estimula vícios na fase adulta.

Contudo, se você recorreu à chupeta para acalmar o bebê, não se culpe. Estes primeiros anos de vida podem mesmo ser um turbilhão e qualquer ajuda é bem-vinda.

Por isso, pensando em ajudar as mamães nessa tarefa, nós separamos as melhores dicas para tirar a chupeta do bebê e fazer seu filho se livrar de uma vez por toda do acessório.

Leia abaixo as nossas dicas!

 tirar a chupeta

Bebê deitado de roupa azul, segurando uma chupeta branca. Crédito da foto: Freepik

Publicidade

Confira as melhores dicas para tirar a chupeta do bebê sem traumas

1) Converse com a criança

Primeiramente, conversa com a criança sobre a chupeta.

Com as crianças que já têm a capacidade de compreensão, o ideal é explicar que o uso da chupeta pode afetá-las, entortando os dentes ou dificultando a mastigação. A grande maioria entende e vai, aos poucos, deixando o acessório de lado.

Nessa fase inicial, também pode ser estabelecido o período em que ela vai usar a chupeta. Por exemplo, somente à noite.

Do mesmo modo, o local em que ela poderá utilizá-la também deve ser restrito a apenas quando está em casa.

2) Substitua a chupeta por outro conforto

Em segundo lugar, nossa dica é que você substitua esse objeto por alguma outra coisa que o bebê goste, já que o ideal é que até os dois anos de vida a chupeta seja gradualmente removida.

Portanto, para as crianças com menos de dois anos, a sugestão é que o acessório seja substituído gradativamente por algo que também ofereça conforto e segurança a ela.

Publicidade

Por exemplo, tente trocar a chupeta por uma conversa, cante músicas, conte uma história, dê colo ou ofereça um paninho ou um bichinho de pelúcia que a criança goste.

3) Não deixe a chupeta a noite toda com a criança

Retirar o acessório logo que a criança durma, evita que ela mantenha a sucção durante o período do sono.

Portanto, evite deixar a chupeta pendurada na roupa, para a criança não tê-la com facilidade. Também não dê mais de uma chupeta.

4) Não tire a chupeta de forma brusca

A retirada deve ser lenta e gradual. É importante que os pais não façam essa transição de forma brusca e, sim, de maneira gradual, pois o acessório é um fator de segurança para a criança.

Se a chupeta for retirada de uma vez ela irá se sentir muito insegura e ansiosa, poderá chorar e ficar irritada.

Por isso, é importante também não dizer que é feio ou errado o uso da chupeta e, sim, que ela não precisa mais dela, pois já está em uma nova fase e está crescendo.

Tenha paciência nesse momento de transição!

 tirar a chupeta

Mãe brincando com seu bebê de chupeta. Crédito da foto: Freepik

Como tirar a chupeta do bebê? Veja dicas!

5) Sugira alguma troca

Do mesmo modo, faça um combinado com a criança!

Por exemplo, pode ser estabelecida uma meta para que a criança se sinta estimulada a atingir o objetivo, como, por exemplo, um passeio esperado ou um presente que já havia sido prometido ou comentado.

Outra sugestão é combinar que a chupeta será trocada por algo que traga o mesmo conforto e segurança. Por exemplo, a própria presença dos pais na hora de dormir.

6) Primeira noite sem chupeta

Da mesma forma, na primeira noite sem chupeta é importante que você aja com muita paciência, compreensão e amor.

Quem estiver presente neste momento deve tentar o máximo que puder utilizar outras formas de confortar.

No momento, vá conversando e procurando entender porque a criança recorre à chupeta. Se mantenha firme na decisão, mas sempre lembrando que esta transição deve ser feita com muito carinho.

Uma opção é ler uma história ou cantar uma canção de ninar para tranquilizar a criança na hora de dormir. Prepare-se para ter algumas noites conturbadas, mas tenha em mente que esta é a melhor decisão para a saúde da criança.

7) Momento certo

Não há um momento específico. A melhor época é aquela que a ideia está bem amadurecida por parte dos pais. É importante sinalizar para a criança o dia em que está iniciando a transição e estabelecer um prazo para o término.

Portanto, evitem fazer a retirada ao mesmo tempo em que outros acontecimentos importantes estão ocorrendo na vida dela, como, por exemplo, o desfralde, a entrada na escola ou a chegada de um irmão.

8) Seja firme na decisão

A criança sente a insegurança dos pais e isso pode influenciar no contexto emocional dela. Sendo assim, é importante que os pais estejam seguros e demonstrem isso.

Tirando esse apoio emocional, a criança deve sentir essa segurança vinda dos pais e saber que eles são um porto seguro na vida dela.

9) Diminua a frequência do uso da chupeta

Será difícil tirar o acessório da criança de uma vez, então comece aos poucos, diminuindo a frequência do uso da chupeta.

Para isso, peça para a criança participar desse processo, fazendo ela escolher um lugar em que pode guardar o objeto nos momentos determinados por você.

Por exemplo, se ela está acostumada a usar a chupeta o dia todo, então tente fazer com que ela use apenas em horários definidos. Além disso, as restrições de uso podem ser ampliadas aos poucos.

A frequência vai diminuindo com o tempo e a persistência ajuda nesse processo. Pais e filhos precisam estar em constante comunicação e reafirmação, explicando porque a criança precisa largar a chupeta e conter a vontade.

Assim que passarem algumas semanas nesse processo, chegará a hora de retirar de uma vez e, com isso, vocês poderão jogá-la fora juntos.

Tirar a chupeta – 10) Uma vez que tirou nunca mais pode devolver?

No momento em que se devolve a chupeta para a criança, os responsáveis estão sinalizando que ela pode recorrer à utilização do acessório sempre que necessário.

O ideal é manter-se firme na decisão, para que a criança também se sinta estimulada e capaz.

 tirar a chupeta

Foto de chupeta azul e rosa, em fundo rosa. Crédito da foto: Freepik

Qual a idade ideal para tirar a chupeta?

Não existe uma regra fixa sobre quando é melhor tirar a chupeta da criança, porém o mais recomendado por especialistas é que tire entre 1 e, no máximo, 3 anos de idade.

Isso porque, a partir dessa faixa etária, o nascimento dos dentes já está avançado e existe a possibilidade de surgirem problemas dentários – e a chupeta é uma das causadoras dessas complicações.

A idade também é uma grande responsável por auxiliar nos problemas que a criança vai ter que lidar durante a vida. Com 3 anos, o emocional já está mais desenvolvido e é preciso começar a prepará-la para despedidas.

Por isso, é importante explicar o porquê de você estar tirando a chupeta, mostrar como a saúde dentária é importante e que evita problemas futuros.

A independência e a responsabilidade de um adulto começam a ser construídos na infância, por esse motivo é tão importante ter constantes diálogos honestos, realistas e pacientes sobre o que pode ou não prejudicar a vida da criança.

Essas informações e aprendizados começam desde quando você decide tirar a chupeta até o momento de parabenizar as pequenas conquistas.

Tirar a chupeta – A magia da imaginação pode ajudar

Há séculos, as lendas e fantasias fazem parte da comunicação entre pais e filhos para ajudar em situações como essas.

Se nenhuma das alternativas anteriores der certo, então apele para a clássica história com a fada que leva a chupeta embora para a criança avançar para uma nova fase, afinal ela está crescendo!

Deixe tudo mais mágico colocando um bilhetinho no lugar do acessório que diga que agora é um novo momento e que a criança é forte por passar por isso. E que ela ganhará um presentinho se conseguir!

Esse estímulo da imaginação auxilia no desenvolvimento da criatividade da criança, pois permite ela criar outros cenários, além de ficar mais confortável com a despedida da chupeta.

É claro que, uma hora, essa informação terá que ser desmistificada, mas enquanto ela ainda não conseguiu abandonar a chupeta, é uma opção válida.

Essas afirmações auxiliam para o maior entendimento da retirada de algumas coisas em nossas vidas, com a consciência de que é um benefício para a saúde dental da criança.

Também faz para que ela vá entendendo aos poucos de que, em alguns momentos da vida, também precisamos nos despedir de objetos materiais, animais e pessoas. Assim, estar preparado para essas despedidas é fundamental.

Entenda e respeite o tempo da criança de tirar a chupeta

Por fim, mas não menos importante, vale a pena ressaltar de que os pais devem entender e respeitar o tempo da criança.

Afinal, cada criança vai demandar um tempo diferente para dar adeus à chupeta, por isso não pressione de uma vez, vá aos poucos e compreenda.

Se ela disser que não está pronta, adie a tentativa e mantenha os limites de horário para ir facilitando aos poucos.

Nunca faça seu filho se sentir um fracassado por ele não conseguir parar de uma vez, até porque, em muitos casos, o costume da chupeta fica muito presente todos os dias e essa despedida pode realmente ser difícil.

Esse mesmo processo pode acontecer na hora de retirar a criança do peito. Nas culturas tradicionais, a fase da amamentação pode chegar aos 4 anos de idade.

Por isso, se você ainda não realizou o desmame com ele, não se preocupe tanto assim com o tempo. Considere sempre o que é melhor para a saúde e o bem estar de seu filho e lembre-se de que muitas crianças podem insistir um pouco mais e prolongarem essa despedida.

É claro que os problemas dentários podem aparecer consequentemente, mas sabemos que, quando crescer, ela não estará mais usando a chupeta. E, se estiver, os amigos e as outras crianças estão largando suas chupetas e isso pode até influenciar o seu filho a largar a dele também.

Não fique comparando ele com nenhuma outra criança, pois isso também é um grande causador de frustrações. Afinal, nós somos seres únicos que evoluem e crescem de maneiras diferentes.

Por último, privilegie os momentos que você tem com os pequenos porque as crianças crescem rápido e logo esses momentos se tornarão apenas lembranças.

Tirar a chupeta é um processo natural! Agora que você já sabe como fazer isso, leia também:

Esperamos que tenha gostado desse conteúdo e continue acompanhando o nosso blog Mil Dicas de Mãe para outros temas interessantes!