Você acabou de ter um recém-nascido ou então está no final da sua gestação, mas está um pouco inseguro sobre como lidar com o corpo delicado do bebê? Fica tranquila, isso é normal!

E o que não faltam são pessoas ao redor para responder a essa pergunta. Mas o ideal é procurar um médico pediatra o mais cedo possível.

Vamos te ajudar com essas dicas de cuidados que não podem faltar para cuidar corretamente do bebê, com muita delicadeza em seu corpinho. Confira!

Recém-nascido

Pai dá a mão para bebê recém-nascido, na maternidade. Crédito da foto: Freepik

Publicidade

1) Faça todos os testes primários

Ainda na maternidade, além do famoso teste do pezinho, o bebê faz também os testes do olhinho, coraçãozinho e linguinha para checar se há doenças congênitas, síndromes ou alguma outra ameaça à saúde.

Eles também são vacinados ainda no hospital contra a hepatite B e tomam a BCG, que protege da tuberculose.

2) Estimule a amamentação

A primeira visita ao seio materno deve ocorrer de preferência na sala de parto. Mesmo que o bebê não sugue nesse momento, o importante é estimular o contato pele a pele, pois ele torna mais fácil a amamentação.

Depois o filho sai da sala para tomar as vacinas e fazer os testes iniciais. Embora algumas maternidades ofereçam fórmulas lácteas durante esse período, o bebê geralmente tem uma reserva de nutrientes que suporta algumas horas até a próxima mamada.

3) Mantenha a circulação restrita em casa

Os médicos desencorajam visitas no primeiro mês de vida, mas caso queira receber alguém, certifique-se de que a pessoa esteja saudável e de que as visitas sejam curtas, em torno de 15 minutos.

Lembrando que todos tem que lavar as mãos imediatamente antes de tocar no bebê. A mesma regra vale para os pais!

Publicidade

4) Preze por um lar silencioso e calmo

O filho acaba de sair de um ambiente de pura paz, o útero materno. Por isso, a casa deve ser igualmente tranquila e silenciosa nos primeiros dias de vida. Especialmente durante a amamentação e na hora de dormir.

5) Cuidado no banho

Ainda na maternidade, a enfermeira fará um banho demonstrativo no quarto. Depois, é só reproduzir em casa, seguindo alguns passos.

Primeiro, deixe tudo que precisará por perto: sabonete líquido de glicerina hipoalérgico, que servirá para corpo e cabeça, toalha, algodão, fralda e roupa.

A água da banheira deve estar em 36 graus, quentinha mas confortável. Os especialistas recomendam que bem nesse início da vida, o corpo do bebê seja enrolado numa toalha para a cabeça ser lavada primeiro.

Depois, seque a cabeça e aí lave o corpo, gentilmente. Veja mais a fundo como dar banho no bebê logo mais abaixo!

Recém-nascido

Bebê recém-nascido dormindo na cama com um ursinho de pelúcia. Crédito da foto: Freepik

Publicidade

6) Trocando a fralda do recém-nascido

Não é preciso trocar toda vez que o recém-nascido faz xixi, mas o período é de consumo intenso de fraldas, porque eles farão cocô cerca de oito vezes por dia.

Na hora de fazer a troca, evite lenços umedecidos, que contém químicos que podem irritar a pele do bebê. Prefira algodão e água morna.

Meninos e meninas devem ser sempre limpos da frente para trás, e no caso deles o prepúcio não deve ser forçado para baixo. Além disso, a limpeza é sempre suave.

7) O que fazer com o coto umbilical

Geralmente o resquício do cordão umbilical cai até o 15º dia de vida. Até lá, é preciso higienizar bem a base dele, mais próxima da pele, com álcool 70% a cada troca de fraldas. É normal sair um pouco de sangue.

8) As primeiras idas ao pediatra

Ocorre na primeira semana após a alta hospitalar, para avaliar a amamentação e a saúde do bebê. Nesse encontro o médico estabelece o ritmo das próximas visitas, que geralmente ocorrem no 15º dia, no primeiro mês e, depois, mensalmente.

9) Evite passeios no primeiro mês do recém-nascido

Com exceção do pediatra, o bebê não deve ir para a rua no começo da vida. Além do excesso do contato com excesso de pessoas oferecer risco direto à saúde do bebê, ambientes movimentados, com barulhos e cheiros fortes podem estressar o pequeno. Mas idas breves à casa dos avós ou outro local tranquilo estão liberadas.

10) Limpar o nariz antes da mamada

E não só quando ele escorrer ou aparentar estar entupido. Antes da amamentação, as narinas devem ser higienizadas com soros fisiológicos em spray específicos para bebês, pois eles têm o jato mais suave.

11) Como limpar a orelha e os olhos

O ouvido não deve ser limpo, basta passar depois do banho a própria toalha ou um cotonete de maneira bem delicada na parte externa da orelha, que depois precisa ser bem secada. Já os olhos devem ser limpos durante o banho com algodão e água.

No entanto, algumas crianças, lacrimejam mais e, nesse caso, o olhinho pode ser limpo em outros momentos.

12) Não limpe a boca do recém-nascido

Os lábios, é claro, podem ser higienizados depois da mamada, mas não há necessidade de lavar o interior da boca, mesmo que haja uma camada de resquícios de leite na língua do bebê.

13) A posição no colo

Como nessa fase é muito comum ter refluxo, a cabeça deve estar sempre mais elevada do que o resto do corpo.

O pequeno ainda não tem força para sustentar a cabeça, por isso os pais devem sempre segurá-la com as mãos. Algumas posições também ajudam a aliviar as cólicas.

14) A icterícia normal e a que preocupa

Grande parte das crianças tem o problema, que deixa a pele amarelada e atinge seu pico por volta do 7º dia de vida.

Depois disso, a cor volta aos poucos ao normal. Mas se o amarelo for muito intenso, é melhor checar com o pediatra se está tudo bem.

15) Os banhos de sol no recém-nascido

Eles devem sim ocorrer, mas só depois da primeira consulta com o pediatra, combinado?

E devem breves, de no máximo 15 minutos por dia e só nas pernas do bebê pois sua pele é muito delicada.

Além disso, deve ser fora do período de maior incidências dos raios ultravioleta, que ocorre entre 10h e 16h ou 17h em épocas mais quentes. Mesmo a claridade natural indireta já ajuda.

16) Como aliviar as cólicas do recém-nascido

A partir da terceira semana as cólicas intestinais começam a dar as caras. É normal, mas o bebê chorará com o incômodo. É possível aliviar a dor com massagens ensinadas pelo pediatra, que também prescreve medicamentos se necessário. Compressas mornas, nunca diretamente sobre a pele do bebê, também ajudam.

17) Evite a chupeta no recém-nascido

Antes dos 15 primeiros dia a chupeta está proibida, pois atrapalha a amamentação. Mas mesmo depois disso ela pode causar o desmame precoce e outros problemas para o bebê, segundo uma publicação recente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Recém-nascido enrolado em uma toalha, após o banho, deitado em cima da cama. Crédito da foto: Freepik

Como dar banho no corpo delicado do bebê?

Primeiramente, o banho do bebê pode ser um momento agradável porém muitos pais se sentem inseguros para realizar essa prática, o que é normal, principalmente nos primeiros dias por medo de machucar ou não dar o banho da forma correta.

Alguns cuidados são muito importantes para o banho, dentre eles, fazê-lo em um local com temperatura adequada, utilizar uma banheira de acordo com o tamanho do bebê, usar produtos próprios para bebês, não dar banho logo após alimentá-lo, entre outros.

Além disso, cabe aos pais a decisão de quantas vezes dar o banho no bebê, mas não é necessário que seja todos os dias, sendo que dia sim e dia não já é suficiente porque o excesso de água e os produtos utilizados podem criar problemas na pele como irritações e alergias.

Antes de começar a dar banho é importante escolher um local com temperatura aquecida entre 22ºC e 25ºC, reunir os produtos que serão utilizados, já deixar a toalha, fralda e as roupas preparadas assim como a água na banheira, que deve ficar entre os 36ºC e 37ºC.

Lembrando que, como o bebê perde muito calor nesse momento, o banho não deve demorar mais de 10 minutos.

1. Limpe o rosto do recém-nascido

Antes de mais nada, com o bebê ainda vestido, para evitar a perda de calor do corpo, deve-se limpar o rosto, bem como ao redor das orelhas e dobras do pescoço.

Isso o pode ser feito com uma bola de algodão ou paninho molhado com água morna.

Depois, para limpar os ouvidos nunca se deve usar cotonetes, pois existe o risco de perfurar o ouvido do bebê.

Ainda, uma gaze umedecida com soro fisiológico pode ser utilizada para limpar as narinas do bebê, ação muito importante para não prejudicar a respiração.

Por fim, os olhos devem ser limpos também com um pano umedecido e os movimentos devem ser sempre no sentido nariz-orelha para evitar o acumulo de sujeira e remelas.

2. Lave a cabeça do recém-nascido

A cabeça do bebê também pode ser lavada com ele ainda vestido, sendo adequado segurar o corpo com o antebraço e a axila do bebê com a mão.

Deve-se lavar a cabeça da criança primeiro com água limpa e depois podem ser utilizados produtos como sabonete ou shampoo próprio para o bebê e ir massageando os cabelos com a ponta dos dedos.

Nessa etapa do banho é necessário muito cuidado pois a cabeça do bebê possui regiões moles, que são as fontanelas, que devem fechar até os 18 meses e por isso não se deve apertar nem fazer pressão sobre a cabeça para não machucar.

No entanto, deve se lavá-la bem com movimentos de frente para trás, com cuidado para evitar que a espuma e a água entrem nos ouvidos e olhos e em seguida secar bem com uma toalha.

3. Limpe a região íntima

Após lavar o rosto e a cabeça do bebê, pode-se despi-lo e ao retirar a fralda, limpar a região íntima com um pano molhado antes de colocá-lo na banheira para não sujar a água.

4. Lave o corpo do bebê

Ao colocar o bebê na água, não se deve colocar todo o corpo do bebê de uma vez na água, mas sim ir colocando por partes, começando pelos pés e apoiando a cabeça no antebraço e com essa mão segurando a axila do bebê.

Com o bebê já na água, deve-se ir ensaboando e enxaguando bem o corpo do bebê, limpando bem as dobras nas coxas, pescoço e pulsos e não esquecer de limpar as mãos e os pés, já que os bebês adoram colocar essas partes na boca.

A região íntima deve ser deixada para o final do banho, sendo que nas meninas é importante ter o cuidado de limpar sempre de frente para trás para não contaminar a vagina com fezes. Já nos meninos, é necessário manter sempre a área à volta dos testículos e por baixo do pênis limpas.

5. ​Seque delicadamente o corpo do recém-nascido

Após terminar de enxaguar o bebê, deve-se retirá-lo da banheira e colocá-lo deitado sobre a toalha seca, envolvendo o bebê para que ele não fique molhado fora da água.

Depois, usar a toalha para secar todas as partes do corpo do bebê, não esquecendo das mãos, pés e das dobrinhas, pois se acumular umidade podem aparecer feridas nessas regiões.

6. Seque a região íntima

Após secar todo o corpo, deve-se secar a região íntima e verificar se apresenta assaduras, complicação comum nos bebês.

Com o bebê limpo e seco, deve-se pôr a fralda limpa para que ele não suje a toalha.

Bebê dormindo. Crédito da foto: Freepik

Como cuidar dos problemas de pele mais comuns no recém-nascido?

Descamação da pele e do couro cabeludo (crosta láctea) e assaduras: esses são alguns problemas comuns que podem surgir na pele do bebê desde os primeiros dias de vida.

Delicada e sensível, a pele dos bebês precisa se adaptar ao novo ambiente depois do nascimento, já que passou mais de nove meses submersa em água no aconchego do útero materno.

Pais e mães de primeira viagem ficam preocupados quando surgem esses problemas na pele do bebê.

O mais importante é saber que existem maneiras de amenizar estes incômodos, evitando inclusive a vermelhidão e o ressecamento excessivo da pele dos pequenos.

A dica é não se desesperar e escolher produtos específicos, elaborados especificamente para a pele imatura e frágil do bebê.

É importante buscar por itens seguros e com eficácia clinicamente comprovada, testados sob controle pediátrico e dermatológico, que são fundamentais para manter a saúde da pele e prevenir estes problemas causados nos primeiros meses de vida.

Crosta láctea (dermatite seborreia)

Em geral, a crosta láctea pode aparecer nos primeiros 15 dias de vida do bebê e persistir até o 6º ao 8º mês. Outro nome para este problema é dermatite seborreia, é caracterizada como uma descamação no couro cabeludo dos bebês nos primeiros quinze dias de vida da criança.

Acontece com alta frequência nos recém-nascidos e, embora não seja uma condição grave, não se sabe exatamente a causa.

A crosta láctea não machuca o bebê e costuma surgir sem outros sintomas. Além da descamação no couro cabeludo, podem ocorrer áreas avermelhadas nas sobrancelhas, região atrás das orelhas, axilas e pregas do períneo.

Para cuidar deste problema, você não deve retirar as casquinhas de maneira mecânica, com as mãos ou utilizar uma escova dura, pois pode ferir o couro cabeludo e causar infecções bacterianas, além de causar dor no bebê. E, muito menos, devem ser usadas medicações que podem ser tóxicas.

Por fim, os pais e mães podem e devem utilizar shampoo específico para essa condição e alguns cremes para tentar amolecer essas casquinhas antes do banho, utilizando uma esponjinha com cerdas macias, para remover primeiro as que estão soltas.

Descamação

Antes de mais nada, saiba que nos primeiros dias de vida, a pele do bebê costuma descamar, normalmente nos pés e tornozelos. Essa descamação costuma ser fina, sem vermelhidão ou nenhum outro sintoma para o bebê.

Essa alteração fisiológica é normal e acontece principalmente em bebês que nascem com maior idade gestacional.

Ou seja, um bebê de 40 semanas tem essa descamação fisiológica mais intensa que aquele nascido de 36 ou 37 semanas.

A descamação no recém-nascido costuma ser resolvida com a hidratação diária da pele do bebê, utilizando produtos especialmente formulados para as crianças, hipoalergênicos e testados sob controle dermatológico e pediátrico.

Mesmo assim, a médica orienta que é preciso ficar alerta: crianças que já nascem com a pele descamando pode ser indício de outras doenças, como a ictiose por exemplo (condição genética caracterizada pelo ressecamento intensivo e descamação excessiva da pele).

Assaduras

O contato com a urina, as fezes e o atrito da fralda associados ao aumento da temperatura e umidade na área coberta podem causar vermelhidões no bumbum e nas coxas do bebê.

Chamadas de assaduras, essa condição tende a piorar se não for tratada, podendo até evoluir para uma infecção.

Para proteger a pele contra as assaduras, é necessário trocar a fralda assim que perceber que o bebê está úmido. De preferência, antes de todas as mamadas!

E, quando necessário, deixar a área irritada descoberta até ficar bem seca – e só depois recolocar a fralda. Lembrando que a limpeza dessa área também pode ocasionar assaduras.

Por isso, a recomendação é não lavar o bebê a cada troca, pois a remoção é cheia de substâncias lipofílicas e pode aumentar o pH da pele.

Primeiramente, o que se deve fazer é usar água de limpeza sem enxágue ou lencinhos livres de ingredientes questionáveis, que irrita menos a pele que os lenços umedecidos tradicionais.

Além disso, é bom tomar evitar as pomadas grudentas e difíceis de tirar da pele, que podem piorar ainda mais a assadura.

Ah! Não espere o bumbum do bebê ficar vermelho: os pais devem priorizar cremes com textura leve, que conseguem prevenir e tratar as assaduras leves e moderadas de maneira efetiva, protegendo contra as irritações e aliviando o desconforto do bebê.

Por fim, esperamos que tenha gostado do nosso artigo sobre como cuidar de um recém-nascido e de seu corpo tão delicado!

Continue acompanhando nosso blog Mil Dicas de Mãe para mais informações sobre esse universo. Aproveite para ler também sobre conforto e segurança para o quarto de bebê!

Até a próxima.