É normal sentir ardência na vagina após a relação sexual e, existem vários motivos possíveis para que isso aconteça.

Isso pode ocorrer devido a:

  • alergias;
  • assaduras;
  • irritação na pele;
  • reações devido ao uso de roupas íntimas;
  • uso de produtos de higiene;
  • cremes.

Mas além de poder ser provocada pelo contato com esses produtos, a causa pode ser mais séria, necessitando de tratamento.

Ardência na vagina após a relação sexual

ardência na vagina após a relação sexual

Ardência na vagina após a relação sexual – Foto: Freepik

Publicidade

Em casos de candidíase, vaginose, tricomoníase ou gonorreia, é preciso seguir um tratamento médico adequado para obter os efeitos desejados.

Nesses casos, geralmente a ardência é acompanhada de cheiro desagradável e corrimento.

No entanto existem ainda outros problemas, como:

  • falta de estímulo sexual;
  • redução da lubrificação;
  • fatores hormonais.

Sendo assim, em caso de ardência na vagina após a relação sexual, é preciso investigar cada problema relacionado a isso para conseguir fazer o tratamento adequado.

Para saber mais, continue lendo esse texto. Mas lembre-se de que ele não substitui uma consulta médica e nem os exames solicitados.

Sinto ardência na vagina após a relação sexual. O que pode ser?

ardência na vagina após a relação sexual

Ardência na vagina após a relação sexual – Foto: Freepik

Publicidade

É muito comum que a mulher sinta ardência na vagina após a relação sexual. No entanto, isso não deve ser encarado como algo normal e nem pode ser negligenciado.

Quando esse sintoma surge, pode indicar vários problemas e, por isso é difícil chegar a uma conclusão sem a ajuda de um médico.

A ardência pode surgir por alergias de contato, sensibilidade a produtos de higiene pessoal, amaciantes, alergia ao preservativo ou irritação por causa do sêmen.

Mas também pode ocorrer por causa da redução da lubrificação quando a relação acontece sem que haja estímulos suficientes.

Além disso, existem muitas doenças vaginais que podem provocar incômodos nessa região. Com tantas causas possíveis, você precisa de uma consulta médica e exames complementares para descobrir o que está acontecendo.

Mas se você está curiosa para entender melhor sobre cada uma das possibilidades, veja a seguir quais são elas e as suas explicações.

Publicidade

1.      Alergias e assaduras

 

mulher com desconforto íntimo

mulher com desconforto íntimo. Foto: freepik

É comum que muitas mulheres desenvolvam sensibilidade na região da vulva devido ao uso de produtos químicos como amaciantes ou cremes, por exemplo.

Mas absorventes, alguns tecidos sintéticos da calcinha e sabonetes íntimos também podem provocar esses sintomas indesejados.

Mas saiba que roupas muito justas também podem fazer com que a mulher tenha sensações desagradáveis nessa região.

No entanto, você deve ter o cuidado de olhar também para algumas outras questões que são bastante relevantes, como sensibilidade ao sêmen ou ao látex usado na fabricação dos preservativos.

Nesse caso é essencial que a mulher consiga determinar qual é a substância que provoca a sensibilidade e, então interromper o uso dela.

Caso os sintomas sejam muito intensos, o médico pode ainda prescrever medicamentos que os aliviem um pouco as manifestações.

Isso pode ser controlado com pomadas e comprimidos antialérgicos e anti-inflamatórios dependendo do caso.

2.      Infecções genitais

homem e mulher na cama

homem e mulher na cama. Foto: freepik

Se você sente ardência após relação sexual, isso pode ser um indício de que existe algum tipo de infecção nessa região.

Isso pode ser ocasionado, por exemplo, pelo fungo Candida sp, que é bastante comum e provoca sintomas como ardência, vermelhidão e coceira. Nesse caso, é comum notar um corrimento diferente, cheio de gruminhos brancos.

Existem ainda outros tipos de infecção que incomodam bastante, como vaginose bacteriana, que provoca um corrimento amarelado e com odor desagradável.

Tricomoníase é muito comum e provoca aumento da secreção vaginal coceira e ardor intenso. Além dessas, doenças sexualmente transmissíveis como como gonorreia, herpes genital e clamídia também são possíveis causas.

A região vaginal pode ser acometida por uma série de infecções diferentes, provocadas por microrganismos diversos.

Sendo assim, se você desconfiar que esse seja o motivo de você sentir ardência após a relação sexual, deve buscar ajuda de um profissional de saúde com urgência.

Nesses casos o médico deve prescrever medicamentos específicos para a eliminação do microrganismo responsável pela doença. Assim, dependendo do caso é preciso usar cremes ou versões orais de antibióticos, antifúngicos ou antivirais.

3.      Problemas hormonais

barriga tremendo

barriga tremendo – Foto: Freepik

As mulheres estão sujeitas a sofrerem alterações hormonais em qualquer fase da sua vida.

Mas isso é ainda mais frequente na menopausa, após retirada dos ovários, sessões de radioterapia ou com o uso de alguns medicamentos.

Quando isso acontece, é possível que a lubrificação dessa região fique prejudicada, levando a ressecamento.

Isso é bem ruim porque pode aumentar o incomodo durante as relações sexuais. O excesso de atrito também faz com que a mulher sinta ardência na vagina.

Para identificar o problema, o médico responsável deve solicitar exames de dosagem hormonal. Caso seja constatada alguma alteração, ele pode aconselhar reposição hormonal ou, apenas prescrever produtos que auxiliem na lubrificação do canal vaginal.

Existem também medicamentos que podem ser utilizados para aumentar a libido, melhorando assim a lubrificação e a qualidade das relações sexuais.

Ardência na vagina – Vulvodínia

A vulvodínia é um dos principais motivos que levam a mulher a sentir ardência durante e após relação sexual.

Esse problema provoca sinais bastante incômodos, que incluem ardência, dor, vermelhidão e sensação de inchaço.

Essa é uma doença que não tem as causas muito bem determinadas, mas é provável que seja provocada por problemas com o assoalho pélvico, além de provavelmente ter causas hormonais e nervosas.

Assim como acontece com os motivos para o aparecimento do problema, o seu tratamento também não é muito bem estabelecido.

Mas existem alternativas que podem ser eficientes e, que o médico deve avaliar em cada caso isoladamente.

É comum o aconselhamento do uso de lidocaína, comprimidos de estrogênio, antidepressivos, antiepiléticos para relaxamento, muscular e, psicoterapia e aconselhamento sexual também podem beneficiar a paciente.

5.      Verminoses

barriga tremendo

barriga tremendo – Foto: Freepik

Muitas pessoas não levam em consideração essa possibilidade, mas vermes como o oxiúros pode provocar coceira intensa na região anal, com a possibilidade de se estender para a vagina.

Isso provoca irritação na área e, consequentemente pode fazer com que a região fique sensível e com sensação de ardência.

Nesse caso, se for constatada a presença de uma verminose, é essencial que o paciente faça tratamento com vermífugos.

Em alguns casos, o médico pode associar algum medicamento que ajude a diminuir o desconforto na região da vagina também.

6.      Problemas dermatológicos

manchas na pele

Close no rosto da mulher com dúvida. Foto: Freepik

Na medicina humana existem várias doenças que acometem as mucosas corporais, incluindo a boca e a vagina. Isso pode provocar a sensação de ardência e também provocar feridas.

Esse é o caso das doenças conhecidas como líquen plano ou líquen simples, pênfigo ou eritema multiforme, por exemplo.

Caso o médico identifique a presença desses problemas, ele deve receitar medicamentos de uso tópico para alívio dos sintomas.

E pode ser necessário prescrever medicamentos orais. A fototerapia também pode ser usada como complementar no tratamento.

Ardência na vagina – Sinais de alerta

Na maioria das vezes, sentir ardência após a relação sexual não indica nada grave, mas em alguns casos isso pode ser sinal de alerta ao seu organismo.

Sendo assim, você deve estar sempre muito atenta ao que está sentindo e conhecer bem o seu corpo para conseguir identificar rapidamente quando existe algo mais grave.

Dessa forma, quando a ardência vier acompanhada de vermelhidão, coceira, dor, lesões genitais ou corrimento, é preciso buscar por auxílio médico o mais rápido possível.

O tratamento adequado feito no início dos sintomas é essencial para evitar que o problema se agrave.

Como você deve saber, lesões na região vaginal funcionam como porta de entrada para outros microrganismos que desencadeiam infecções, inclusive algumas doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

Além de todos os problemas que já foram citados anteriormente, a ardência após relação sexual pode ser ocasionada também por infecção urinária.

Isso é bastante comum em mulheres adultas e vale a pena aprofundar um pouco sobre esse assunto.

Ardência após relação sexual pode ser infecção urinária

mulher com dor na região pélvica

mulher com dor na região pélvica. Foto: freepik

A infecção urinária acontece quando bactérias patogênicas conseguem se proliferar no trato urinário. Geralmente isso acontece na uretra e na bexiga.

Existem alguns fatores que contribuem para o aumento das chances de se desenvolver esse problema. Os principais são:

  • Alta frequência de relações sexuais;
  • Predisposição e histórico de infecções recorrentes;
  • idade mais avançada;
  • problemas renais, como pedras;
  • diabetes;
  • comprometimento imunológico;
  • Uso de DIU;
  • Menopausa;
  • Mudanças hormonais;
  • Gestação.

São muitos os fatores que aumentam a probabilidade de ocorrência de uma infecção urinária, mas saiba que isso pode ocorrer com qualquer pessoa.

Por isso, se você sentir ardência após relação sexual ou ao urinar, sempre avalie a possibilidade de essa ser a causa.

Nesse caso, é comum que a ardência venha acompanhada de outros sinais, como por exemplo:

  • Febre;
  • Dores nas costas;
  • Incomodo durante as relações sexuais;
  • Urgência urinária;
  • Sensação de bexiga cheia;
  • Pressão na pelve;
  • Urina escura ou com cheiro desagradável;
  • Ocasionalmente a urina pode ter sangue.

Nesse caso, se o médico desconfiar de infecção, vai solicitar um exame de urina e, caso o problema seja diagnosticado, pode ser preciso prescrever antibióticos.

Conclusão

É muito comum sentir ardência após a relação sexual e esse sinal pode ter uma série de causas associadas.

Sendo assim, caso você sinta isso, deve buscar ajuda médica especializada para a identificação do problema e prescrição do tratamento mais adequado.