Como aliviar a dor do parto? Está com receio da dor do parto? Calma, a gente te ajuda! Conheça alguns métodos alternativos para aliviar as dores nesse momento tão importante na vida da mamãe.

A dor pode variar muito de mulher para mulher, algumas sentem mais e outras menos. Mas, caso você esteja preocupada, confira a seguir os principais métodos alternativos para amenizar essa sensação tão incômoda e trazer o seu bebê ao mundo da melhor forma possível. Vamos ver?

dor do parto

Homem beijando a barriga da mulher, que está grávida. Crédito da foto: Freepik

Antes de recorrer à anestesia, existem outros métodos que podem aliviar a dor do parto. São métodos não farmacológicos, isto é, são considerados recursos naturais, que não são medicamentos.

Publicidade

Há uma grande variedade de técnicas que trabalham aspectos psicoemocionais e espirituais da mulher, reduzindo o sofrimento dela e tranquilizando-a.

Em geral, tais métodos alternativos são técnicas de baixo custo e acessíveis, podendo ser utilizadas na maioria dos locais onde o parto possa ocorrer.

Além disso, a mamãe pode usar uma ou mais técnicas combinadas. Normalmente, a escolha é motivada por suas preferências e pela disponibilidade das terapias.

O ideal é que a mulher – assim como quem irá acompanhá-la -, conheçam durante o pré-natal essas possibilidades para que elas possam ser melhor utilizadas no momento do trabalho de parto.

Veja abaixo alguns dos recursos que podem influenciar positivamente na maneira da mulher lidar com a dor do parto e, assim, amenizá-la.

1) Cursos de preparação para o parto

Os cursos de preparação para o parto realizados durante o pré-natal consistem em aulas individuais ou em grupo que informam os pais sobre alguns assuntos. Dentre eles estão:

Publicidade
  • algumas opções de cuidados de maternidade;
  • tipos de parto;
  • práticas comuns nos cuidados da gestante;
  • manejo não-farmacológico da dor (incluindo autoajuda, ajuda ao parceiro e outras medidas);
  • medidas farmacológicas de alívio da dor;
  • cuidados com o recém-nascido;
  • alimentação infantil.

A educação para o parto é muito importante, pois ajuda a diminuir o medo das mulheres neste momento, além de possibilitar uma postura mais ativa no trabalho de parto.

Outros benefícios são o aumento da satisfação da mulher com o parto, a diminuição da necessidade de uso de anestesia, o aumento da probabilidade de um parto vaginal e o aumento da proximidade entre pais e bebê depois de trabalharem tão duro juntos.

2) Escolha o ambiente de nascimento

Há alguns anos atrás, os partos eram realizados nas próprias casas das famílias. Mas hoje, a grande maioria é feita nos hospitais e maternidades.

Porém existem outros ambientes interessantes para se realizar o parto, como dentro da água.

Seja onde for o parto que você escolher, tenha em mente que o ambiente ideal é aquele em que o manejo da dor é confortável, privado, silencioso e fornece lugares para caminhar, tomar banho e descansar.

3) Tenha uma rede de apoio no trabalho de parto

É importante que a mãe tenha pessoas que apoiem ela no trabalho de parto. Pode ser o parceiro, a mãe da mulher, alguém da família, uma amiga, uma Doula e a equipe de assistência ao parto (obstetra e enfermeira).

Publicidade

É fundamental o treinamento do acompanhante para que ele conheça as técnicas que ajudam no alívio da dor do parto, para que ele não fique perdido e ajude de alguma forma nesse momento.

A qualidade desse apoio pode impactar positiva ou negativamente na experiência de parto da mulher.

Organização Mundial de Saúde recomenda o “suporte contínuo ao trabalho de parto”, referindo-se à inclusão de um acompanhante treinado (como uma Doula, por exemplo) para prestar cuidados não médicos.

Esses cuidados podem ser sob a forma de orientação, massagem e sugestões de posições e movimentos para a mulher, durante o trabalho de parto.

As Doulas não são nem um membro da família, nem um amigo íntimo da mulher em trabalho de parto, nem um membro da equipe do hospital, mas sim mulheres profissionais que acompanham a mamãe durante esse período, ajudando ela a lidar melhor com a dor e a ansiedade e a melhorar os resultados obstétricos.

Caso queira saber mais sobre o trabalho incrível das Doulas, clique aqui.

Muitas vezes, mulheres que têm o acompanhamento de uma Doula não precisam utilizar métodos farmacológicos para indução do parto e de alívio da dor.

dor do parto

Grávida está sentada em sua cama em “perna de índio”.

Conheça os principais métodos alternativos para aliviar a dor do parto

É importante que a mulher receba, durante o pré-natal, informações sobre as opções de métodos alternativos de alívio da dor do parto. Então, ela deve avaliar os riscos e benefícios de cada método disponível.

Vale lembrar que, embora esses planos possam ser feitos antes do trabalho de parto, a preferência da mulher no momento do parto é extremamente importante e quaisquer mudanças que ela deseje fazer devem ser respeitadas e acatadas.

Os pais também devem saber que o parto e nascimento são imprevisíveis e que as circunstâncias podem exigir o uso de intervenções, a fim de garantir segurança para a mãe e para o bebê.

Com apoio e informação, a mulher consegue assumir um papel ativo na tomada de decisões, diminuindo a sensação de desamparo e aumentando o senso de domínio, controle e bem-estar.

Como consequência, ela tem uma experiência positiva com o parto. Conheça alguns métodos alternativos que auxiliam na dor do parto:

1) Atividades que acalmam a mulher:

Existem algumas atividades simples e eficazes no alívio da tensão e dor do parto, como:

  • Respiração lenta com ou sem vocalização;
  • Contagem de respirações;
  • Recitação de um mantra no ritmo da respiração;
  • Liberação de tensão no final da contração;
  • Apoio do acompanhante ou Doula através do encorajamento, toque suave, mãos dadas, palavras de apoio, uma toalha fria para a testa;
  • Música relaxante ou de escolha da mulher.

2) Movimento:

As dimensões pélvicas variam com as diferentes posições da mulher, e essas mudanças podem ajudar a aliviar a dor do parto, assim como andar durante o trabalho de parto.

dor do parto

Mulher grávida sentada com bola de pilates atrás dela, em suas costas. Fundo branco. Crédito da foto: Freepik

3) Bola de pilates:

O uso de uma bola de fisioterapia durante o trabalho de parto estimula o relaxamento do tronco e do assoalho pélvico, além de proporcionar alívio da dor e permitir liberdade de movimento e controle.

Quando usada na posição sentada, a bola aplica uma pressão não dolorosa ao períneo, que pode bloquear parte da mensagem de dor ao nível da medula espinhal e, assim, aliviá-la.

As mulheres também se levantam ou se ajoelham e inclinam a parte superior do corpo sobre a bola, o que proporciona um apoio confortável.

Bolas de parto são fáceis de usar e podem ser combinadas a outros métodos alternativos para o conforto do paciente, como o banho quente, por exemplo.

4) Toque e massagem:

Alguns estudos apontam que a dor diminui quando o toque é aplicado por parteiras, enfermeiras ou acompanhantes de mulheres em trabalho de parto.

No entanto, o toque foi às vezes relatado como incômodo ou doloroso, particularmente quando o abdômen ou a área pélvica estava sendo tocado em conjunto com uma avaliação. Por isso, é preciso compreender o contexto ao avaliar o toque.

A massagem consiste em manipulação intencional do corpo para fins terapêuticos e estudos relataram sua eficácia no primeiro estágio do parto (fase de dilatação).

Embora a massagem possa melhorar a dor, ela ainda tende a aumentar à medida que o trabalho de parto progride.

Não há efeitos nocivos conhecidos do uso da massagem terapêutica no trabalho de parto, mas deve ser realizada por profissionais ou leigos que receberam instrução específica.

A técnica de massagem ideal não é conhecida e são necessários mais ensaios sobre a eficácia.

No entanto, a massagem continua a ser uma opção simples de método alternativo para alívio da dor, de baixo custo e segura para proporcionar alívio às mulheres em trabalho de parto.

5) Acupressão:

Acupressão ou shiatsu é a pressão com os dedos ou pequenas contas nos pontos de acupuntura.

Alguns dados sugerem que é benéfico pressionar os pontos Baço e Intestino Grosso  (localizado aproximadamente no tecido carnudo atrás da mão, entre a base do polegar e a base do índice dedo).

Além do alívio da dor, estudos mostraram que a acupressão durante o trabalho de parto pode diminuir o tempo do trabalho de parto e aumentar as chances de parto vaginal.

6) Aplicação de calor ou frio:

Utilizar fontes de calor ou de frio em aplicações superficiais é fácil, de baixo custo, não requer prática e pode servir como alívio da dor durante o trabalho de parto.

O calor é normalmente aplicado nas costas, abdome inferior, virilha e/ou períneo da mulher. Possíveis fontes de calor incluem uma garrafa de água morna, meia cheia com arroz aquecida, compressa quente (toalhas embebidas em água morna e torcidas), mantas elétricas ou cobertor quente. Mas tudo deve ser feito com cuidado para evitar queimaduras.

Além de ser usado para alívio da dor, o calor é usado para aliviar calafrios ou tremores, diminuir a rigidez articular, reduzir o espasmo muscular e aumentar a flexibilidade dos tecidos.

Já o frio é um recurso que pode ser utilizado por meio de bolsas frias aplicadas na região lombar quando uma mulher está com dor nas costas.

Formas de frio incluem uma bolsa ou luva cirúrgica cheia de gelo, pacote de gel congelado, uma garrafa cheia de gelo, latas de refrigerante geladas no gelo ou um saco congelado de legumes.

As compressas frias instantâneas, geralmente disponíveis em hospitais, geralmente não são frias o suficiente para serem eficazes para a dor do trabalho de parto.

Latas de refrigerante refrigeradas dão o benefício adicional de pressão mecânica quando roladas sobre parte inferior das costas.

Além do alívio da dor, o frio tem os efeitos adicionais de aliviar o espasmo muscular e reduzir a inflamação e o inchaço.

7) Técnicas respiratórias para relaxamento:

O treinamento de relaxamento, que pode assumir muitas formas, tem sido associado à redução da dor na fase latente do trabalho de parto.

A maioria das aulas de educação de parto e a maioria dos livros sobre parto apresentam técnicas de relaxamento, incluindo uma variedade de padrões respiratórios rítmicos.

Eles complementam e promovem o relaxamento ou proporcionam distração da dor do parto. Essas técnicas também são usadas para melhorar o senso de controle de uma mulher.

Respiração rítmica pode contribuir mais para a capacidade de uma mulher de lidar com a dor do parto do que realmente reduzir essa dor. Incorporar relaxamento com respiração rítmica ajuda a evitar a tensão e seus efeitos de aumento da dor.

O ideal é que a mulher consiga manter a respiração rítmica durante as contrações, enquanto libera a tensão nas expirações.

Ser capaz de fazer isso sem hiperventilar, a um ritmo lento (6 a 12 respirações por minuto) e a um ritmo moderadamente rápido (30 a 60 respirações por minuto), permite que a mulher adapte seu padrão de respiração à intensidade das contrações.

8) Banho de Chuveiro:

Um banho quente por um período longo está relacionado com a redução da dor do trabalho de parto.

Além disso, as mulheres que tomam esse banho relatam maior satisfação com o parto.

dor do parto

Mulher grávida sentada na posição de índio, em tapete de yoga na sala. Ela está de olhos fechados e escuta música com fones. Crédito da foto: Freepik

9) Música e audioanalgesia:

A chamada audioanalgesia é o uso de estimulação auditiva, como música, ruído branco ou sons ambientes, para uma distração agradável ou um guia rítmico, para diminuir a percepção da dor.

Não há evidências de alta qualidade de eficácia no tratamento da dor do parto, mas pequenos estudos relatam alguma redução na dor e ansiedade.

Antes do trabalho de parto, a mulher pode selecionar músicas ou sons que têm um efeito positivo sobre ela.

O ideal é que durante a gravidez ela treine esse relaxamento para que seja mais fácil fazê-lo durante o trabalho de parto.

A playlist criada pela mulher personaliza o evento do nascimento e pode dar a ela um maior senso de controle e de prazer.

Algumas mulheres preferem usar fones de ouvido para ouvir música, porque isso proporciona uma maior concentração.

10) Aromaterapia:

Essa é uma terapia complementar utilizada por profissionais treinados que envolve a aplicação de óleos essenciais concentrados ou essências de plantas.

O objetivo desse método é obter as propriedades terapêuticas dessas plantas. Elas podem ser preparadas de várias maneiras, para inalação, massagem, chás ou tinturas, ou pastilhas.

Um estudo mostrou que o uso de óleo de lavanda durante o trabalho de parto trouxe uma redução significativa na intensidade da dor.

Como aliviar a dor do parto – 11) Acupuntura:

A acupuntura envolve a colocação de agulhas em pontos específicos do corpo, denominados pontos de acupuntura.

Para dor de parto, a colocação de agulhas e o tipo de estimulação depende do grau e localização da dor, estágio do trabalho de parto, nível de fadiga materna, tensão, ansiedade e uma variedade de outros fatores.

A eletro-acupuntura, que envolve estimulação elétrica por meio de agulhas estrategicamente posicionadas, também é usada às vezes, com efeitos semelhantes à acupuntura manual na dor do parto.

Estudos apontam que a acupuntura e a acupressão podem ajudar a aliviar a dor do parto, além de aumentar da satisfação da mulher e de reduzir o uso de analgesia farmacológica e de instrumentos durante o parto.

Como aliviar a dor do parto – 12) Hipnose:

A hipnose resulta em estados alterados de consciência que impedem que experiências normalmente percebidas, como a dor, alcancem a mente consciente.

Os estados hipnóticos, ou de transe, podem tornar o participante mais receptivo à comunicação verbal e não verbal. A hipnose é utilizada há mais de um século na gravidez e no parto.

Estudos encontraram bons resultados no alívio da dor, diminuindo o uso de analgesia no parto.

A hipnose usada para o parto geralmente é a auto-hipnose: o hipnoterapeuta ensina a mulher a induzir o estado hipnótico em si mesma durante o trabalho de parto. Às vezes, seu parceiro é ensinado a sinalizá-la para o estado hipnótico.

Uma técnica hipnótica comum de alívio da dor é a anestesia de luva, em que a mulher imagina que sua mão está dormente e que pode espalhar dormência em outras áreas, colocando a mão em áreas doloridas.

Igualmente, outra técnica utilizada é a distorção do tempo, que permite à mulher perceber o tempo entre as contrações dolorosas como o tempo mais longo e o período doloroso mais curto do que realmente é.

Há também a transformação imaginativa, técnica em que a dor é interpretada como boa e aceitável, e as contrações são vistas como ondas de energia que causam apenas uma leve sensação de pressão.

Como aliviar a dor do parto – 13) Yoga:

Técnicas de relaxamento, respiração e postura da Yoga parecem reduzir a ansiedade materna em relação ao parto.

Dessa forma, as mulheres que praticam yoga durante a gravidez costumam ter menos desconfortos na gravidez, além de menor dor e stress.

Mulher grávida fazendo exercícios de pilates. Crédito da foto: Freepik

Como aliviar a dor do parto – 14) Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS):

A estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS) é a transmissão de impulsos elétricos de baixa voltagem de um gerador portátil alimentado por bateria para a pele.

Para realizar, basta colocar eletrodos na pele. Alguns aparelhos de TENS são especificamente projetados para uso por mulheres em trabalho de parto.

A maioria dos aparelhos de TENS permite que a mulher ajuste a frequência, a intensidade e a forma de onda.

Portanto, a própria mulher controla a intensidade da corrente girando um dial, que pode variar o padrão de estimulação com um botão na sua unidade TENS.

Para executar o TENS, basta colocar um par de eletrodos ao lado da coluna no nível de T10-L1 e outro no nível de S2 a S4.

Ela usa uma estimulação contínua durante as contrações e um padrão pulsante entre as contrações. O TENS provoca uma sensação de zumbido ou formigamento que pode reduzir sua consciência da dor da contração.

Como aliviar a dor do parto – 15) Banho de Imersão:

A imersão em água morna com profundidade suficiente para cobrir o abdômen da mulher aumenta o relaxamento e reduz a dor do parto.

As mulheres podem permanecer na banheira por alguns minutos a algumas horas durante a fase de dilatação.

Por fim, para evitar elevar a temperatura da mulher e com isso aumentar o risco para o bebê, a água deve estar na temperatura corporal ou ligeiramente acima dela.

Grávida em banheira com flores rosas. Crédito da foto: Freepik

Gostou dos métodos listados acima para diminuir a dor do parto? Você já conhecia alguns deles? Pretende usar algum em seu parto?

Lembre-se de escolher o que mais lhe agrada e que está disponível no ambiente em você escolheu ou que é possível para ter o seu bebê.

Com certeza, esse será um dos momentos mais emocionantes e importantes da sua vida!

Continue acompanhando o Mil Dicas de Mãe para mais artigos sobre gravidez e trabalho de parto.

Agora que você já sabe como aliviar a dor do parto com esses métodos alternativos, leia também: