Você é mãe de primeira viagem? Calma, nada de pânico! Sentir insegurança é normal nesta fase, afinal é uma experiência nova e desconhecida.

Confira essas dicas especiais que fizemos para te orientar nesse momento tão único e especial na vida de uma mulher. Vamos lá?

Mãe de primeira viagem: 1. Tenha hábitos saudáveis

mãe de primeira viagem

Mulher loira grávida sentada em sofá vermelho. Ela segura uma xícara com uma mão e toca a barriga com a outra. Crédito da foto: Freepik

Antes de mais nada, precisamos pensar na sua saúde e hábitos de vida, que irão influenciar diretamente no bebê.

Publicidade

Por isso, cuide muito bem da sua alimentação. É normal sentir enjoo e náuseas nos primeiros três meses de gestação, mas é preciso investir numa alimentação saudável com frutas, verduras e legumes.

Afinal, seu bebê precisa de todos os nutrientes, vitaminas e minerais para se desenvolver de forma saudável durante os meses de gestação.

Evite comer em excesso, mas principalmente cuidado com a qualidade da alimentação. É melhor se alimentar mais vezes em pequenas porções que fazer grandes refeições pesadas.

Dê preferência para os carboidratos integrais, como os pães integrais, arroz integral e aveia, pois eles ajudam a regular as funções intestinais que podem ficar mais lentas na gravidez.

Prefira carnes magras como peixes, além de sementes, castanhas e derivados de leite como iogurtes, cogumelo shitake e queijos para obter proteínas.

Além disso, evite doces e bebidas com muita cafeína, que podem comprometer o ganho de peso do bebê.

Publicidade

E, claro, não consuma bebidas alcoólicas e nem cigarros, pois ambos fazem muito mal para o feto.

O álcool pode causar malformações e afetar estruturas importantes no crescimento, além de distúrbios neurológicos como a hiperatividade e irritabilidade após o nascimento.

Já o cigarro compromete o crescimento intrauterino e pode aumentar o risco de abortos espontâneos. Se não for possível parar, reduza ao máximo para evitar danos no bebê.

Mãe de primeira viagem: 2. Faça o pré-natal e exames necessários

O primeiro passo depois de confirmada a gravidez é marcar uma consulta com o ginecologista obstetra para iniciar o pré-natal. Para encontrar o profissional ideal, peça referências para parentes ou amigas que já tiveram filhos.

O importante é se sentir confortável e segura com o médico, já que ele irá te acompanhar durante toda a gestação e será sua referência para orientações e esclarecimento de dúvidas.

A frequência das consultas varia de acordo com a condição clínica de cada gestante e as recomendações do médico que a acompanha, mas em geral o ideal é de seis consultas no mínimo durante a gravidez.

Publicidade

Na primeira consulta do pré-natal, o ginecologista obstetra irá analisar todo o histórico de saúde da mulher e de seus familiares para prever possíveis complicações.

Para isso, ele providenciará uma série de exames de sangue e urina, para avaliar a saúde geral da futura mamãe e identificar se há algum risco especial para a boa evolução da gravidez e que precisará de acompanhamento mais rigoroso.

Outros exames de pré-natal podem ser solicitados pelo médico, mas os principais são: hemograma completo com contagem de plaquetas, exame de glicemia, testes sorológicos para HIV, sífilis, toxoplasmose, CMV, rubéola e hepatites (B e C), o teste de tipo sanguíneo e fator RH, o de Coombs indireto para mulheres RH negativo e também exames de urina.

Mãe de primeira viagem: 3. Faça as ultrassonografias

mãe de primeira viagem

Mulher grávida fazendo o primeiro ultrassom em clínica médica. Crédito da foto: Freepik

Além desses exames, é preciso fazer a ultrassonografia. A primeira é feita logo após a descoberta da gravidez, entre a sexta e a oitava semana. O principal objetivo é visualizar o embrião, a presença de batimentos cardíacos do feto e o saco gestacional, confirmar a idade gestacional, estimar a data provável do parto e avaliar se o embrião está implantado no útero ou fora dele (gravidez ectópica).

Também são observados os ovários e o colo do útero. Nesse primeiro ultrassom já é possível ouvir os batimentos cardíacos do bebê, que é rápido e forte. Esse é um momento de muita emoção na vida da mulher!

Já a segunda ultrassonografia deve ser feita entre a 11ª e a 13ª semana de gestação, feita para avaliar o desenvolvimento do bebê e o teste de translucência nucal, que é a medição da nuca e do osso do nariz.

Alterações nessas duas medidas, como o excesso de líquido na nuca ou a ausência do osso nasal, podem indicar alterações nos cromossomos, malformação ou alguma síndrome genética, como a síndrome de Down. Em caso de alterações, serão pedidos alguns exames complementares para investigação.

Mãe de primeira viagem: 4. Faça atividades físicas

mãe de primeira viagem

Mulher loira grávida fazendo se alongando no chão. Crédito da foto: Freepik

É muito importante que as mamães façam atividades físicas. Normalmente, as mais leves são indicadas, como caminhadas, pilates, natação, hidroginástica e yoga.

Os benefícios da prática de exercícios são enormes, como:

  • Ajudam a aliviar os inchaços;
  • Reduzem os riscos de hipertensão;
  • Reduzem os riscos de diabetes gestacional;
  • Ajudam a controlar o peso;
  • Liberam serotonina, responsável pela sensação de bem-estar.

Se não há restrições médicas, não deixe de fazer alguma atividade nessa fase, ok? Mas sempre consulte o seu obstetra antes de iniciar uma atividade.

Esses pequenos hábitos saudáveis proporcionarão uma experiência ainda mais gostosa e satisfatória para você e para o pequeno a caminho. Escolha a atividade que mais lhe agrada e pratique sem medo!

5. Descanse

Saiba que a sensação de cansaço é normal e muito intensa durante toda a gestação. Afinal de contas, seu corpo está passando por várias mudanças e adaptações. Confira algumas mudanças aqui!

Nos primeiros meses, você provavelmente irá sentir excesso de sono. Já nos últimos meses, o peso da barriga pode dificultar as tarefas diárias.

É assim mesmo, pois o corpo fica sobrecarregado e tendo que trabalhar para suprir as necessidades da mãe e do bebê em crescimento. Então é muito importante descansar e evitar tarefas e atividades pesadas.

6. Não use remédios sem orientação médica

As grávidas possuem certas restrições quanto ao uso de medicamentos, já que várias substâncias podem comprometer o desenvolvimento do bebê, causando abortos e malformações. Por isso, é importante que você nunca se automedique.

Fale primeiro com seu médico sobre os sintomas, pois ele saberá qual o melhor tratamento e irá indicar o melhor medicamento para o seu caso.

É comum que as mães sintam alguns desconfortos durante a gestação, como:

  • Dores de cabeça;
  • Câimbras;
  • Incontinência urinária;
  • Excesso de gases;
  • Dores nas costas;
  • Alterações no humor.

Em conclusão, se você é mãe de primeira viagem, fique tranquila e curta ao máximo a sua gravidez! Afinal, é normal sentir insegurança ou irritabilidade, porém essa fase é única na vida de uma mulher e seguindo as dicas acima você passará por uma gestação confortável e muito gostosa.

Veja também: Quando a barriga começa a aparecer?