As histórias são grandes aliadas para o desenvolvimento infantil. Além de entreter os pequenos, elas também são ótimas para serem usadas como uma forma de transmitir uma mensagem para a criança de uma forma leve e divertida. Conheça a história do lobo mau!

Lobo mau e os três porquinhos

Lobo mau e os três porquinhos – Foto: Freepik

Uma dessas histórias que permite que a criança aprenda algo com a sua moral, é histórias com lobo mau. Como a famosa história do lobo mau e os três porquinhos, um clássico que pode ensinar aos pequenos como é importante ter responsabilidade, como cada escolha tem uma consequência. Na historinha, os três porquinhos precisam construir um abrigo, mas somente um realmente faz o trabalho corretamente, os outros preferem brincar e curtir o dia e fazem um trabalho de qualquer jeito. No fim, os porquinhos aprendem a ser responsabilizados por suas ações. 

História do Lobo Mau e Os Três Porquinhos 

Lobo mau e os três porquinhos

Lobo mau e os três porquinhos – Foto: Freepik

Publicidade

Era uma vez três porquinhos, eles viviam felizes em um lindo bosque. Prático, era o porquinho mais responsável, sempre atento para cumprir com seus deveres. Heitor, era conhecido por sua mania de fazer tudo apressado.

E Cícero, era o porquinho mais preguiçoso, não gostava de responsabilidade e só curtia o momento sem se preocupar com mais nada. Como todos os dias, esses três porquinhos brincavam e se divertiam, até que de repente um lindo sabiá veio voando avisar: 

– Porquinhos, vocês não podem acreditar! Um lobo muito malvado nesse bosque irá chegar. 

Prático,  horrorizado logo exclamou: 

– Ah! Que notícia terrível, um abrigo temos que encontrar.  

O pânico logo se espalhou sobre aquele lindo bosque, um lobo muito mau estava chegando e se os porquinhos não quisessem virar comida de lobo uma casa bem forte eles precisavam construir.

Publicidade

Mas um grande impasse acabou acontecendo, os porquinhos não entraram em concordância de qual casinha construir, pois para Cícero, tudo isso era “perda de tempo”, ele conseguiria construir uma casinha com menos tempo do que o que o Prático pretendia usar.

Heitor também achou que Prático estava sendo muito cauteloso, eles podiam muito bem construir uma casinha sem todo esse cuidado que ele insistia em fazer. Prático, como um porquinho responsável foi logo dizendo: 

–Vocês podem muito bem construir suas casas da forma como preferirem, mas eu não abro mão de construir um abrigo forte e seguro.  

Cada porquinho seguiu seu próprio caminho

Então cada porquinho seguiu seu próprio caminho, decidindo cada um por si como deveria ser a construção da casinha.  

Com poucos minutos, Cícero já se gabava por ter terminado sua casinha em tão pouco tempo: 

– Ha ha ha! Enquanto vocês estão trabalhando horas nesta casa, a minha já está pronta, agora só preciso relaxar e esperar o lobo chegar. 

Publicidade

Quando Heitor viu que Cícero já tinha concluído a casa, ele logo se apressou para poder também ter um tempo para curtir, pois, para ele, sua casinha já estava forte o suficiente para protegê-lo do terrível lobo.  

Então Heitor e Cícero foram brincar enquanto Prático continuava construindo sua casinha. Mesmo vendo os outros dois porquinhos se divertindo, Prático continuou fazendo seu trabalho. De vez em quando um porquinho gritava para Prático: 

– Prático, esquece essa casa e vem brincar. 

– Você tem que descansar, pare um pouco e venha brincar com a gente.  

– Prático, olha como estamos nos divertindo! 

Mas nada disso fez com que Prático não cumprisse o seu dever, mesmo querendo brincar com os outros porquinhos, ele sabia que antes de brincar devia terminar sua casinha.  

Depois de muito tempo, Prático terminou seu trabalho. Ele ficou muito satisfeito com a construção de sua casa, que era muito bonita, uma verdadeira fortaleza. 

Quando a noite chegou…

Quando a noite chegou, um longo uivo os porquinhos escutaram. Prático logo ordenou: 

– Todos devem se esconder, cada um para sua casa agora! 

Os porquinhos saíram disparados, o lobo mau chegou e cada porquinho entrou em sua casa para fugir do terrível lobo. Prático, Heitor e Cícero, cada um em sua casa escutou: 

– Áuuuu áuuu, sou o lobo mau, vim pegar um porquinho para fazer mingau!! 

O lobo logo avistou uma casinha, ela era feita de bambu e lama, era a casa de Cícero. 

Quando o lobo chegou na casa de Cícero, ele exclamou: 

– Porquinho, saia dessa casa ou eu vou derrubar essa casinha! 

Cícero respondeu: 

– Você pode tentar, mas minha casa não vai derrubar! 

Então o lobo soprou, soprou e soprou, a casinha de Cícero foi destruída, não sobrou nada além de bambu e lama no chão.

lobo mau

Lobo mau – Foto: Freepik

Cícero ficou desesperado, se ele tivesse feito uma casa mais forte ao invés de brincar ele não estaria nessa situação.  Cícero correu para casa de Heitor e gritou: 

– Heitor! O lobo mau derrubou minha casinha, preciso entrar na sua para me proteger! 

Heitor foi logo abrindo a porta para Cícero, mas foi logo garantindo: 

– O lobo conseguiu derrubar a sua casa, mas a minha ele não vai conseguir! 

Bem perto eles escutaram outro forte uivo “áuuuu áuuu”. O lobo estava chegando, cada vez mais próximo. O lobo então avistou uma casinha feita de madeira, e com sua forte voz falou: 

– Porquinhos, é melhor abrir essa porta, estou com muita fome e se não abrirem eu vou soprar e soprar, até essa casinha derrubar! Áuuuu áuuu! 

Heitor respondeu: 

– Você pode soprar, mas essa casinha você não vai derrubar! 

Continuando a história do lobo mau…

lobo mau

Foto: Freepik

O lobo então soprou, soprou e soprou, a casinha toda derrubou. Heitor não podia acreditar, sua casinha estava toda destruída. Mas o que Heitor não percebeu é que com pressa de terminar sua construção, ele esqueceu de colocar os pregos e aços. Isso fez com que a casa de Heitor ficasse sem estrutura.  

Os porquinhos então correram para casa de Prático, e gritaram por ajuda: 

– Prático, você tem que nos ajudar, o lobo derrubou nossa casa e não temos mais para onde ir! 

Prático foi logo socorrer os outros porquinhos, abriu a porta e ofereceu abrigo. Mas eles sabiam que o lobo logo chegaria. Pouco tempo depois, o lobo chegou e foi logo gritando: 

– Já chega, minha paciência já acabou, quando eu derrubar essa casinha vou fazer mingau de todos vocês! 

Então o lobo soprou, soprou, soprou e soprou, mas para sua surpresa, a casinha continuou inteira. “Isso não é possível”, pensava o lobo, mas o que ele não sabia era que o Prático construiu uma casa com tijolos, cimento, pedra e vidro, era uma casa muito forte e o lobo não conseguia destruir.

Os porquinhos festejavam, essa era uma casa segura e o lobo não podia destruir. Mas o lobo não desistiu, ele subiu na casa de Prático e entrou na chaminé, mas ao descer ele acabou queimando o rabo e fugiu de dor. 

O lobo foi para muito longe e nunca mais voltou. Heitor e Cícero aprenderam que nem tudo é diversão, cada um deve cumprir o seu dever, sem pressa e preguiça, mas da forma correta.

Curtiu a história do lobo mau? Deixa um comentário.