A mancha vermelha na nuca do bebê é conhecida como hemangiomas que se originam de pequenos vasos sanguíneos, os chamados capilar. Eles levam a um crescimento excessivo de células endoteliais, ou seja, células que revestem a parede do vaso e os mastócitos.

Os hemangiomas passam por dois estágios de desenvolvimento:

  • Proliferação, ou seja, crescimento,
  • Involução, ou seja, desaparecimento.

Quão comuns são os hemangiomas?

Mancha vermelha na nuca do bebê

Bebê sentado com urso – Foto: Freepik

A mancha vermelha na nuca do bebê é bastante comum, mesmo em 10% dos bebês, com mais frequência em meninas (2–5 vezes mais) do que em meninos. O seu número diminui com a idade, alguns desaparecem completamente e após os 10 anos ocorrem em menos de 10% das pessoas.

Publicidade

Como os hemangiomas se manifestam?

A maioria dos hemangiomas está localizada na região do couro cabeludo e pescoço. Por esse motivo aparece a mancha vermelha na nuca do bebe.

Superficialmente, têm a forma de pontos vermelhos de 1-3 mm de diâmetro, ligeiramente convexos. Mas os mais profundos aparecem azulados na pele.

Os maiores são raros. Mas isso inclui o cavernoso, conhecido como “mancha vinho do porto”. Geralmente está localizado em um lado do corpo e não desaparece com a idade.

Além disso, um grupo especial de hemangiomas são os de órgãos internos, que ocorrem com mais frequência no fígado. Geralmente não apresentam sintomas clínicos e detecta-se acidentalmente durante o exame de ultrassom.

A mancha vermelha na nuca do bebê desaparece?

Sim. Isso desaparece com a idade. Sendo assim, as indicações para o tratamento cirúrgico dos hemangiomas hepáticos são: lesões> 10 cm de diâmetro, presença de sintomas clínicos (dor e febre), alterações trombóticas ou rápido aumento da lesão.

Essa mancha vermelha na nuca do bebe na maioria dos casos não requer tratamento. Mas geralmente encontra-se na infância e desaparece completamente por volta dos 12 anos.

Publicidade

Assim, deve-se realizar exames de imagem periódicos para a formação de novas lesões no caso de hemangiomas de fígado e outros órgãos internos. Os hemangiomas superficiais da pele desaparecem com a idade e, em grande medida, constituem um defeito estético, e não um problema clínico significativo.