Vamos começar explicando o que significa esse período?

  • Gravidez = por volta de 270 dias + 
  • 1º ano de vida do bebê (0 a 12 meses) = 365 dias + 
  • 2º ano de vida do bebê (12 a 24 meses) = 365 dias 
  • = 1000 dias

E se acrescentarmos ainda o período pré-concepcional: pelo menos 3 meses antes da gestação = 1100 dias. 

Com base em estudos e pesquisas, médicos e cientistas demonstraram que algumas atitudes e hábitos adotados nesses três anos pré e pós-parto, com destaque para a nutrição, proporcionam benefícios a longo prazo e são capazes de influenciar toda a vida do bebê.

Bebê sendo alimentado

Bebê sendo alimentado – Fonte Freepik

Esse conceito surgiu após pesquisas publicadas na revista Lancet entre 2008-2013, sob a ótica da epigenética. Epigenética nada mais é do que a influência do ambiente na saúde e no comportamento dos indivíduos. Alimentação, doenças, experiências vividas, entre outros fatores, podem influenciar na saúde desse individuo até a velhice.

Publicidade

Tanto no período pré-concepção quanto na gestação é quando ocorre a programação metabólica, o imprinting metabólico, quando existe a capacidade de mudar a vida daquela criança antes mesmo dela ser gerada. Afinal, é nesse período que cada célula do corpo está sendo formada e programada. O quão maravilhoso é isso? Podemos atuar na prevenção de doenças crônicas, auto-imunes, alergias, obesidade, entre diversas outras patologias.

Dependendo da nutrição, do metabolismo, da suplementação, podemos mudar o curso do indivíduo que está sendo gerado, buscando evitar doenças crônicas não-transmissíveis. Vale lembrar que hoje em dia a incidência e prevalência dessas doenças só vem aumentando, como exemplo: alergias, hipertensão, diabetes, doenças auto-imunes, obesidade… Constatou-se que atuar nesse período de programação metabólica do bebê resulta numa maneira de proteger o indivíduo dessas doenças. 

Mãe feliz beijando bebê

Mãe feliz beijando bebê – Fonte: Freepik

É importante frisar que não estamos falando só da futura mamãe! Tudo que se aplica à mulher também deve ser refletido ao homem, afinal quanto mais bem nutridos a mãe e o pai, melhor a qualidade do óvulo e do espermatozóide. Então a ideia é agir no período de pré-concepção, quando esse casal está se programando para engravidar. 

E como podemos agir? Aí vão algumas dicas importantes:

  • Evitar carboidratos refinados; 
  • Evitar alimentos processados – “descasque mais e desembale menos”;
  • Mais: gorduras boas – ex. azeite extra-virgem, abacate;
  • Preferência pelo parto vaginal – melhor formação da microbiota do bebê;
  • Amamentação ainda dentro da sala de parto! E incentivar o aleitamento materno livre demanda;
  • Introdução alimentar bem orientada!
  • Nos primeiros 2 anos de vida: não introduzir açúcar, alimentos industrializados, alimentos alergênicos;
  • Criação com apego;
  • E muito mais!

Afinal: “é melhor prevenir do que remediar.”