Descobrir uma técnica para acalmar o bebê era basicamente o meu sonho quando minha filha Catarina era uma recém-nascida. Como boa parte de vocês que acompanham o blog de perto já sabe, minha pequena foi um bebê que chorou muito, muito, muito mesmo. Quase fiquei louca nos primeiros meses. Nesse período, eu ouvia que era cólica, que era refluxo, que era birra (pasmem, mas há quem acredite que um bebê de 2, 3 meses chore alucinadamente porque é birrento), que ela deveria ter algum problema sério de saúde… Eu achava que minha filha estava exausta, pois era muito difícil acalmá-la, ela dormia pouco durante o dia (quase nunca mais do que 45 minutos de cada vez), e vivíamos nesse ciclo vicioso: ela irritada, eu acabada.

técnica para acalmar bebês

Imagem:123RF

O Método dos 5 S

Com o tempo, as coisas foram naturalmente melhorando, principalmente depois que Catarina completou 6 meses. Então, se você tem um bebê assim, acredite: isso vai passar! Mas enquanto o amadurecimento do seu bebê não acontece, vale muito a pena conhecer esse método que vou compartilhar agora. Para minha frustração, só fiz essa descoberta depois que Catarina tinha 1 ano de idade. Por volta dessa época, uma prima me mostrou um vídeo sobre a técnica para acalmar o bebê criada pelo famoso pediatra norte-americano Dr. Harvey Karp, chamada técnica dos 5S. Lembro que vi e fiquei lamentando por não ter assistido a esse DVD logo que Catarina nasceu. Hoje, pensando em como eram meus dias com minha filha, tenho certeza de que esse método poderia ter ajudado MUITO. Minha bebê poderia ter chorado bem menos (e eu poderia ter chorado bem menos)!

Segundo a técnica para acalmar o bebê apresentada no livro e no DVD O bebê mais feliz do pedaço, de autoria do médico, você deve seguir 5 passos para ativar o reflexo da calma no recém-nascido. É como se todos os bebês nascessem com um botão de “desligar” o choro, que é ativado quando você reproduz exatamente essa sequência de forma eficiente. Para pegar o jeito, é preciso treinar um pouquinho, mas depois que você automatiza a técnica (segundo as pessoas que conheço que a testaram), o bebê se acalma rapidamente. Então vamos logo aos 5 passos, porque você não tem tempo a perder, não é mesmo?

Publicidade

1) Enrole o bebê na manta (em inglês, Swaddle)

Sim, eu já havia lido que isso é fundamental para acalmar o bebê, pois reproduz melhor a sensação intra-uterina (lá o bebê está apertadinho, certo?). Além disso, nos primeiros meses, o bebê não tem controle motor de seus braços e pernas, e a movimentação involuntária dos membros pode irritá-lo. Como, em todas as minhas tentativas para enrolar Catarina, ela chorava desesperadamente (e eu achava que ela estava com calor, pois tinha nascido em dezembro), eu desisti de tentar fazer o famoso “charutinho”. Mas hoje me arrependo disso. Depois de ver o vídeo, entendi que muitos bebês de fato se agitam logo que são enrolados, mas que, prosseguindo com os demais passos, a tendência é que ele logo se acalme. Então, se fosse hoje, eu certamente INSISTIRIA no uso do cueiro, até mesmo porque hoje existem modelos práticos, ajustáveis e com velcro.

 

2) Coloque o bebê de lado ou de barriga para baixo (em inglês, Side or Stomach)

Segundo o criador da técnica, alguns bebês não gostam de ficar de barriga para cima quando acordados, pois isso ativa o reflexo de reação à queda (eles ficam inseguros). Lembro que quando meu marido pegava Catarina de barriga para baixo (posição que eu não conseguia reproduzir com tanta eficiência), muitas vezes era o suficiente para ela parar de chorar (que raio de cólica era essa que passava tão rápido?!). Para entender melhor do que estou falando, veja os vídeos no final desse post.

 

3) Shhhhhhhhhhhhh (em inglês, Shushing or white noise)

É o famoso barulhinho no ouvido do bebê. Aliás, barulhinho não, pois deve ser pelo menos da altura do choro do bebê. Nada de fazer aquele shh, shh, shh, baixinho. Isso também remete ao período intra-uterino, em que o bebê ouve todos os ruídos do interior do corpo da mãe (pulsação, estômago, intestino etc). Os chamados ruídos brancos também funcionariam para acalmar o bebê pelo mesmo motivo.

 

Publicidade

4) Balance o bebê (em inglês, Swinging)

Sei que em outro post eu já havia manifestado minha opinião sobre não balançar o bebê, pois isso poderia “acostumá-lo da maneira errada para dormir”. E querem saber? Depois de ver esse vídeo, estou mudando de ideia! Percebi que se eu tivesse feito toda a sequência para acalmar minha filha, provavelmente ela teria sido um bebê mais tranquilo, que dormiria mais facilmente (e não ficaria TÃO dependente do balanço como ficou).

 

5) Dê algo para o bebê sugar (em inglês, Sucking)

ara isso, vale chupeta, seio materno e também o dedo (o seu ou o do bebê), escolha o que lhe parecer mais adequado. Catarina, para facilitar, não pegava a chupeta, então era só o dedo da mamãe mesmo que funcionava na maioria das vezes.

Segundo o Dr. Karp, nem sempre será necessário que você chegue ao quinto passo. Há situações em que o bebê se acalma logo no segundo ou no terceiro. Outra consideração importante é que muitas mães relatam na internet que, após usarem a técnica, conseguiram aumentar o tempo de sono do bebê, tanto de dia quanto à noite. Se você está esgotada por ter um bebê que só chora em casa, não custa assistir aos vídeos a seguir. Para mim foi tarde demais, mas se ajudar você, ficarei muito feliz!

Vale a pena assistir também às explicações e demonstração da técnica do 5S feita pelo pediatra brasileiro Daniel Becker. Confira nesse vídeo abaixo:

Publicidade