Como já contei em outro post, Catarina foi daqueles bebês que nos primeiros meses chorava inconsolavelmente. E eu, mãe de primeira viagem, sem saber por que ela chorava tanto (cólica? Refluxo? Cansaço? Ah, talvez seja fome, e dá-lhe peito de novo), tinha meus momentos de Maria Maluca. Como ela se recusava a pegar a chupeta, era difícil acalmá-la para dormir. E vivíamos um ciclo vicioso, de cansaço e choro.

Aos poucos, fui desenvolvendo técnicas para acalmá-la e facilitar que pegasse no sono. E queria compartilhar esse precioso conhecimento com vocês (sim, digo precioso porque não há nada mais divino do que o silêncio após horas de choro). Então, se está difícil acalmar seu filhote, veja as dicas abaixo (e prometa que só vai rir um pouquinho da minha cara, imaginando que realmente eu fiz tudo isso):

1) Recorra à chupeta. Não é por acaso que a tradução em inglês para chupeta é pacifier (olha aqui o pacificador entrando em ação!). Se seu filho se recusa a pegar a chupeta ou você decidiu não dá-la ao bebê, siga para a dica 2.

2) Dê uma volta com o bebê no carrinho. Quando o tempo fechava lá em casa, eu colocava a Catarina no carrinho e saía para andar. Normalmente eu conseguia que ela dormisse. Melhor ainda se for uma rua de paralelepípedo, porque o carrinho dá uma balançada de leve e o bebê dorme mais rápido.

3) Use sons calmantes, os chamados ruídos brancos. Sons que eu já testei e que eu sei que facilitam o sono do bebê: secador de cabelos, aspirador de pó, ventilador. Em um período que Catarina acordava muitas vezes durante a noite, deixar o barulho do ventilador ligado diminuía em cerca de 50% as acordadas noturnas. Atualmente tem até aplicativo de IPhone que emite esses sons, dê uma olhada.

Publicidade

4) Ligue o rádio. Quando Catarina começava a chorar, era difícil fazer com que ela parasse. A impressão que me dava era de que ela ouvia o próprio choro e que isso a irritava ainda mais. No pico da crise de choro, quando eu já havia tentado as alternativas anteriores, eu ligava o rádio, mas nas alturas! Em geral ela parava de chorar e prestava atenção na música (deixe o rádio ligado por um tempo razoável depois que o bebê dormir, senão você corre o risco dele acordar assim que você desligar o som). Peça depois desculpas aos vizinhos.

5) Como último recurso, sempre existe o carro. Não recomendo que você faça isso sempre, para que o bebê não acostume a dormir sempre desse jeito (já imaginou ficar dando voltas toda madrugada?). Mas de vez em quando, no limiar das suas forças, é válido.

É claro que estamos falando de condições normais, em que você já se certificou de que seu bebê não está incomodado, com fome, frio/calor ou doente, certo?
E você, tem alguma dica para acalmar o bebê? Conta pra gente porque isso toda mãe quer saber!

Quer ler mais sobre cuidados diários com o bebê? Clique aqui.