Hiperêmese gravídica: quando os enjoos são excessivos na gravidez

Por 0 Comentários


Os enjoos estão entre os sintomas da gravidez mais conhecidos. Mas sabia que enjoos e vômitos podem ser tão fortes e recorrentes no início da gestação, que chegam a ser considerados um quadro chamado hiperêmese gravídica?

A hiperêmese gravídica acomete algumas mulheres e é provocada pela rápida elevação de hormônios no primeiro trimestre da gravidez. Deve ser diagnosticada por meio de exame clínico, pois exige tratamento para não causar nenhum risco à mulher e até mesmo ao bebê. Quer saber mais sobre ela? Então confira as informações a seguir!

hiperêmese gravídica
Imagem: 123RF

O que caracteriza a hiperêmese gravídica?

Náuseas e vômitos, comuns na gestação, são chamados de êmese. A hiperêmese, portanto, é quando esses sintomas são exagerados. A frequência é muito maior, assim como a intensidade do desconforto. É no primeiro trimestre da gestação que o quadro se manifesta, podendo levar à perda de peso da gestante.

A suspeita vem desse exagero dos sintomas – para se ter uma ideia, a mulher que sofre com hiperêmese gravídica não consegue comer nem beber nada sem passar mal. Muitas vezes o quadro está associado à gravidez de gêmeos e também é comum estar relacionado a fatores psicológicos, como ansiedade e estresse. Se desconfiar de algo, procure o ginecologista. O diagnóstico é feito por exame clínico.

Quem tem hiperêmese gravídica possui maior sensibilidade ao hormônio beta-HCG (veja aqui). Ele é produzido pelo ovário depois da concepção, por isso o início da gravidez é o período em que o quadro se manifesta (e por esse motivo. também, muitas vezes ele é associado à gestação gemelar, uma vez que há concentração maior desse hormônio).

Tratamento

Em alguns casos é indicado que a mulher seja internada para receber medicação intravenosa, medida necessária inclusive para prevenir complicações nutricionais para ela e o bebê, já que a alimentação fica comprometida pela hiperêmese gravídica.

É fundamental lembrar que a mulher não se automedique, pois vários medicamentos têm o uso restrito ou mesmo proibido durante a gestação.

Para contribuir com o tratamento, a prática de atividades físicas e uma noite bem dormida são muito úteis, pois ajudam a equilibrar o humor (auxílio bem-vindo especialmente se o quadro for desencadeado por fatores psicológicos). Terapias como acupuntura e massagens (adaptadas à gravidez) também podem ajudar. Geralmente, entre o terceiro e o quadro mês o quadro cessa, mas é importante que seja acompanhado por um profissional de saúde.


 



Arquivado em: Gravidez Tags:

Deixe seu comentário