Por Michele Melão

aprendizagem de sono

Há alguns dias, escrevi aqui no Mil Dicas de Mãe sobre o choro controlado e outras técnicas para ajudar no sono dos bebês. E desde então, muitas mães vêm me pedindo para que eu explique um pouco mais sobre os métodos gentis que podem ser usados para ensinar os filhos a dormir melhor.

Por isso, no post de hoje, vamos falar sobre três métodos bastante usados pelas famílias, que são eficientes para muitas crianças e considerados gentis. Neles, os pais ficam ao lado dos filhos enquanto eles aprendem a dormir e ajudam a quebrar as associações de sono, como embalo, peito, colo e tantas outras, que precisam da interferência da família durante a madrugada (muitas vezes de hora em hora, a cada ciclo de sono que o bebê faz). Vamos a eles:

Publicidade

Método da Encantadora de Bebês:

Este método consiste em criar uma rotina onde o bebê é alimentado, faz alguma atividade (troca, banho, etc) e deve dormir. Para dormir, a mãe deve seguir a rotina dos horários e atender às necessidades do bebê sempre dentro desse esquema. Segundo a criadora do método, o bebê deve se ajustar a casa, e não o contrário.

Na hora de ir para cama, o bebê deve ir para o berço ainda acordado e quando chorar, a mãe deve tirá-lo do berço, acalmar o bebê no colo e quando ele parar de chorar, deve ser colocado no berço novamente (acordado). Nesse método, o bebê não deve dormir no peito, já que a ideia é amamentar sempre quando acorda, e não para dormir. De madrugada, os pais devem fazer a mesma coisa, quantas vezes forem necessárias, até que o bebê durma, sozinho, no berço e siga os horários propostos para amamentação.

Pontos positivos: funciona muito bem para bebês que são “reloginhos”. Bebês que mamam de 3/3 horas, acordam e dormem no mesmo horário. Além disso, é considerado um bom método para tirar a associação de mamar para dormir. Pode também ser interessante para mães que querem fazer a transição do quarto dos pais para o quartinho do bebê, já que os pais não saem de perto enquanto o bebê não dorme, e isso dá segurança e facilita a mudança do ambiente.

Pontos negativos: para bebês que mamam por livre demanda, esse método não funciona. Para suas mães, seguir a tal rotina proposta pode ser impossível, porque o sono e as atividades do bebê são regulados pela amamentação. Apesar do colo acalmar, muitos bebês ficam mais estimulados do que relaxados com esse processo de tirar todas as vezes do berço para acalmar (método PU/PD – Pick UP / Put Down).

Método da cadeira (Kim West):

Publicidade

Esse método, desenvolvido pela famosa “Sleep Lady”, consiste em ter uma rotina para mostrar para o bebê que a hora de dormir chegou e colocá-lo no berço também acordado. Depois disso, o adulto deverá sentar-se em uma cadeira ao lado do berço e em intervalos determinados (3 em 3 dias por exemplo), a cadeira deve ir se afastando do berço – até chegar do outro lado da porta. Nesse método, se o bebê chorar, ele não deve ir para o colo, mas sim ser acalmado no berço e a cadeira nunca deve retroceder. Uma vez afastada do berço, aquele é o ponto de partida para o próximo dia.

Ponto positivo: o método é feito bem aos poucos, ideal para bebês que têm medo de ficar sozinhos em seu quarto. A quantidade de dias pode ser ajustada de acordo com cada família.

Ponto negativo: apesar de ser considerado gentil, muitas famílias têm grande dificuldade em confortar o bebê no berço, especialmente aqueles que já ficam em pé, gritam e choram muito.

Método 12 Horas de Sono com 12 Semanas de Vida:

Método criado pela brasileira Susy Giordano, que aos 26 anos já tinha 5 filhos. Susy afirma que o controle dos pais sobre os horários e hábitos do bebê é primordial para melhorar o sono. Segundo a autora, os pais precisam se sentir no comando para que a criança se adapte à família. Um exemplo é que a autora não acredita que o ritmo da casa precisa diminuir durante as sonecas – para ela, o bebê deve se acostumar com isso.

A metodologia consiste em uma rotina rígida com alimentação de 4 em 4 horas para que o bebê espace mais a alimentação e consiga dormir por 12 horas durante a noite. Também os pais devem fazer uma rotina, ser firmes nos horários e confortar o bebê no berço quando ele chora. A autora é contra deixar o bebê chorar por muito tempo, mas o método também não sugere que os bebês venham para o colo para serem acalmados. Os confortos devem ser: chupeta (só para o sono), afagos, naninhas, brinquedos, encontrar alguma posição melhor para o bebê no berço e algumas palavras para acalmar.

Publicidade

Pontos positivos: os pais não devem sair de perto do bebê enquanto ele estiver chorando, portanto é considerado um método de aprendizagem gentil. É um meio termo entre os métodos de deixar chorar e os sem choro.

Pontos negativos: nem sempre conseguimos que o bebê se adapte à casa como a autora sugere. O que acontece na maioria das vezes é que a casa muda completamente com a chegada do bebê. Para as mães que amamentam (livre demanda ou não), até os 6 meses a indicação é que ainda mamem de madrugada.

Minha opinião sobre estes métodos (e todos os outros): é bastante interessante conhecer as maneiras de ajudar seu bebê a dormir e tirar o que há de melhor em cada uma, de acordo com o que a família considera importante. Todos esses métodos têm pontos positivos, que podem ser adaptados à rotina de cada casa.

Qualquer método de aprendizagem de sono requer paciência, calma e persistência dos pais. Começar um método, trocar para outro, atender o bebê de maneiras diferentes todos os dias, pode causar mais transtornos do que trazer alguma solução. Em uma consultoria de sono, pesquisamos bastante sobre os bebês e a dinâmica da família antes de sugerirmos os métodos e, mesmo assim, quase sempre ajustes são necessários para conseguirmos os resultados esperados.

Você não precisa de maneira nenhuma abandonar seu bebê no berço chorando para que ele aprenda a dormir sozinho, nem tampouco chegar à exaustão por não ter noites de sono restauradoras. Mas ensinar seu filho a dormir, funciona como uma lição de casa: você pode estar ao lado dele enquanto ele executa a lição, mas se fizer sempre tudo por ele, a solução poderá até ser eficiente num primeiro momento, mas o aprendizado ficará mais lento e prejudicado.

Seu bebê vai aprender a andar se você nunca colocá-lo no chão? Certamente vai, mas pode demorar mais tempo. O que vai dar segurança é a prática, a habilidade de cair e levantar. Com o sono acontece algo muito parecido. Percebemos que quando o bebê aprende a dormir, essa prática vira algo bom de fazer, e eles gostam de praticar, especialmente no sono noturno.

michele melão selo