Essa semana eu recebi um e-mail emocionante de uma leitora, no qual ela contava todo seu desespero em fazer sua filha dormir. Nos primeiros meses de Catarina eu enfrentei o mesmo problema, por isso sei o quanto esse processo é desgastante – tudo o que você tenta fazer (e não funciona) causa uma frustração enorme, a ponto de você se perguntar se nasceu mesmo para ser mãe (juro que você chegar a pensar nisso!). “Afinal, não era para ser mais fácil? Não era para meu filho dormir boa parte do dia e acordar tranquilo, com um sorriso no rosto?”. Pois aqui em casa eu não soube o que era isso por muito tempo (mas garanto – uma hora essa dificuldade passa e você e o filhote sobrevivem!).

Imagem: Creative Commons

Imagem: Creative Commons

Pois nesse e-mail, a mãe levantou uma questão interessante: a dificuldade de estabelecer uma rotina diária quando o filho acorda cada dia em um horário diferente. Um exemplo: se hoje o bebê acorda às 7 horas da manhã, e faz sua primeira soneca por volta das 9:30h, como ficam os horários das sonecas e da alimentação se amanhã ele acordar às 8:30h? Certamente só pegará no sono por volta das 11h, o que bagunça toda a rotina estabelecida.

Todo mundo fala sobre a importância da rotina para que o bebê pegue facilmente no sono e aprenda a dormir melhor. Mas como fazer, se a cada dia o bebê resolve começar o dia de uma forma diferente? Pois essa é a dica que eu gostaria de dar para esses casos: acorde o bebê! Sim, ao invés de esperar que ele acorde sozinho, seja ativa no processo e o acorde sempre nos mesmo horário.

Publicidade

Isso parece simples de ser pensado, mas eu sei o quanto eu relutei para colocar em prática. Por alguns motivos, que eu listo a seguir:

1) Eu achava errado acordar o bebê: como minha filha dormia mal, eu agradecia todas as vezes em que ela acordava mais tarde – eu achava que naquele dia ela acordaria mais descansada e feliz (o que nem sempre era verdade – ao acordar mais tarde, parecia que ela acordava “fora de sintonia”, e também se irritava com facilidade).

2) Eu queria dormir até mais tarde: imagine alguém que não dormia bem à noite e que durante o dia ficava um caco cuidando de um bebê que só chorava. Essa era eu! Por vezes, eu ficava horas acordada durante a madrugada – e por isso torcia para conseguir dormir um pouco mais pela manhã. Não parece um motivo nobre? Pois mães que não dormem me entenderão perfeitamente!

3) Eu achava que se acordasse minha filha cedo, ela se acostumaria com o horário para o resto da vida: aqui em casa não funcionamos bem pela manhã – eu durmo tarde, meu marido também, e não costumávamos levantar cedo até Catarina nascer. Por isso nosso sonho era ter uma filha que acompanhasse essa rotina, e não uma que levantasse às 7h da manhã. O que aprendi com a experiência, é que naturalmente os bebês vão conseguindo dormir até mais tarde com o passar do tempo, e nos primeiros meses é muito melhor acertar a rotina do bebê do que se preocupar com esse detalhe.

Se seu bebê tem dificuldade de acertar a rotina de sono, essa pode ser uma boa dica. Acordando-o todos os dias no mesmo horário, naturalmente ele fará as sonecas em horas similares. Também sentirá sono à noite no mesmo horário, e com isso a rotina se manterá naturalmente. Seu corpinho se acostumará a liberar os hormônios associados ao sono sempre no mesmo ritmo, e isso será extremamente benéfico para ele. Essa dica só não vale para as fases de transição de sonecas, quando os horários e a rotina ficam bagunçados por algumas semanas, até que o bebê se adapte. Mas com paciência, tudo volta ao normal!