Recentemente, uma leitora do blog entrou em contato comigo para dar um relato pessoal muito bacana: ela tem uma filhinha de 4 meses e a amamenta com um peito só! Segundo ela, três pediatras não souberam dizer se ela conseguiria amamentar a filha dessa maneira – não só conseguiu, como a pequena mama exclusivamente leite materno e tem um peso ótimo!

Bebê mamando

Bebê mamando – Foto: Freepik

Eu achei o assunto tão interessante, que resolvi pesquisá-lo para compartilhar mais informações com vocês. Porque, como me disse essa mãe, é muito difícil encontrar alguém que possa dar orientações sobre a questão. Se você também está passando por uma situação parecida com a amamentação do seu bebê, tenho certeza de que vai gostar.

Amamentação: o que comer?

O melhor conselho a dar às mães que perguntam qual dieta seguir durante a amamentação é escolher uma dieta que seja o mais variada e balanceada possível.

Publicidade

Além disso, como essa atividade requer um gasto considerável de calorias (até 700 kcal por dia), a dieta ideal durante a amamentação deve fornecer cerca de 500 kcal adicionais em comparação com antes da gravidez; os outros 200kcal serão fornecidos pela metabolização das reservas de gordura armazenadas durante a gravidez.

Mulher amamentando seu bebê

Mulher amamentando seu bebê – Foto: Freepik

Durante a gestação a mulher também tem um aumento da necessidade de vitaminas A, C, D, E e K, e a necessidade de ácido fólico, iodo, selênio e zinco permanece alta, enquanto a de ferro é reduzida devido à redução da perda.

Se não houver menstruação durante a amamentação ; no entanto, mães com anemia e / ou baixas reservas de ferro devem ser cuidadosamente identificadas. Geralmente, se a dieta for variada e saudável, não há necessidade de suplementos porque as vitaminas que a mãe necessita estão contidos na dieta normal.

O que deve ser evitado durante a amamentação

Não há alimentos a evitar durante a amamentação. Para serem limitados estão os grandes peixes predadores (lúcios, cavalas, espadarte, atum, etc.), que podem acumular metais pesados; recomendação que deve ser estendida, em geral, a toda a população.

É possível tomar café durante a amamentação , porém é aconselhável não exceder duas ou três xícaras ao dia, devido à passagem da cafeína pelo leite (isso pode causar irritabilidade no recém-nascido).

Publicidade

O álcool , que tem grande capacidade de passar para o leite, deve ser evitado tanto quanto possível ; se for ingerida uma pequena quantidade, é recomendável esperar pelo menos duas horas antes de amamentar o bebê.

Por outro lado, não há contraindicações em tomar chocolate durante a amamentação; obviamente, como todos os alimentos que contêm açúcar, as quantidades devem ser limitadas (mesmo se você não estiver amamentando).

É normal que o bebê tenha preferência por uma das mamas?

Mulher deitada amamentando seu bebê

Mulher deitada amamentando seu bebê – Foto: Freepik

Sim, é natural que o bebê tenha essa preferência, que pode acontecer devido à diferença no formato do bico de um lado para o outro (o que facilita a pega – assim, ele preferirá mamar do lado em que a eficiência da amamentação é maior.

Em geral, ele escolherá o bico mais protruso – que está mais para a frente) ou simplesmente porque a mãe tem mais jeito para segurar o filhote em um dos lados, deixando-o mais confortável naquela posição.

Também pode acontecer do bebê preferir um dos seios por alguma situação temporária (como dor em um dos ouvidos, ou nariz entupido) ou porque a produção de leite em uma das mamas é maior (e quanto mais ele mamar daquele lado, mais leite será produzido; enquanto o outro naturalmente ficará menos, se não for estimulado com a sucção).

Publicidade

Que outros fatores podem causar a preferência do bebê por um dos seios?

Mulher amamentando

Mulher amamentando – Foto: Freepik

O pequeno pode querer mamar em apenas um lado se houver mastite em um dos seios (porque a inflamação pode deixar o gosto do leite salgado), ou se um dos lados estiver com candidíase (o conhecido “sapinho”).

Por isso, é fundamental procurar a ajuda do pediatra de seu filho (para esclarecer se há algum probleminha com sua saúde) e de seu ginecologista (para avaliar as condições de sua mama), caso o bebê insista na preferência.

Resolvidos os possíveis problemas, persista: com o tempo, seu bebê pode se acostumar a mamar em ambos os seios (a paciência materna é fundamental nesses casos!).

O que fazer para que o bebê pegue as duas mamas?

Jovem amamentando seu bebê

Jovem amamentando seu bebê – Foto: Freepik

Você pode tentar as seguintes estratégias:

  • Ofereça sempre o peito rejeitado no início da mamada. Como o bebê estará com fome, é maior a probabilidade de que aceite a mama nessa condição.
  • Tente dar o peito rejeitado quando o bebê está com sono. Pode ser que, sem perceber, ele comece a pegá-lo.
  • Experimente outras posições: variando a forma de amamentar, você pode encontrar uma posição que seja mais cômoda para o filhote no lado rejeitado.
  • Tente a posição invertida (na qual o corpinho do bebê é colocado embaixo da axila da mãe, com a barriga apoiada em suas costelas. A mãe apoia a cabeça do bebê com o braço e o corpo com o braço) ou simplesmente tente mudar o bebê de um seio para o outro sem virá-lo (nesse caso você precisará de uma almofada para ajudar no apoio). Alguns bebês aprendem a mamar em ambos os lados dessa maneira!
  • Trabalhe o bico do peito rejeitado: um pouco antes da mamada, use uma bombinha manual para estimulá-lo. Dessa forma ele ficará mais protrusão, facilitando a pega do bebê.
  • Alguns bebês recusam o peito se ele tiver um fluxo muito intenso ou se estiver muito cheio. Por isso, faça uma ordenha manual para retirar um pouco de leite, antes de colocar o bebê para mamar.

Posições para amamentar

Mãe amamentando seu filho

Mãe amamentando seu filho – Foto: Freepik

A posição deitada para amamentar é a mais natural e apreciada por mães e bebês de todas as idades. Para maior conforto nesta posição pode ser útil usar algumas almofadas de suporte – para não ficar completamente esticado – ou usar uma poltrona reclinável.

Uma variante, muito útil em caso de pontos ou depois de uma cesariana, é a posição deitada de lado : mãe e bebê ficarão ambos deitados de lado e de barriga com barriga.

Já a posição de “rugby” (ou “futebol”) para amamentar consiste em apoiar o bebê no antebraço, com a mãe sentada. Neste caso, os pés da criança devem estar voltados para o encosto da cadeira / poltrona.

Por fim, muito interessante é a possibilidade de amamentar na tipoia , vantajosa quando você está fora de casa: neste caso a mãe fica com as mãos livres e também pode realizar alguma outra atividade enquanto o bebê está mamando.

Para a amamentação, as posições corretas, em qualquer caso, são as que garantem o maior conforto para a mãe e para o bebê.

E se não der certo amamentação?

Jovem mãe amamentando bebê recém-nascido em casa

Jovem mãe amamentando bebê recém-nascido em casa – Foto: Freepik

É possível que você tente de tudo, e mesmo assim o bebê se recuse a mamar em um dos seios. Sem desespero! A  amamentação pode seguir por muito tempo, mesmo nessa situação.

Um cuidado importante com a mama rejeitada é manter a ordenha, para que o leite não empedre. Você pode fazer isso durante a mamada, pois há um reflexo natural que ajuda na saída do leite (talvez seja um pouco difícil do começo, mas apoiando bem o bebê e com um pouco de prática, ficará mais tranquilo).

Ou utilize uma bomba de leite (alguns modelos tornam a extração muito rápida). Uma boa ideia é congelar o leite extraído, para aqueles momentos em que você precisa que alguém alimente o bebê na sua ausência. Ou mesmo doar: já imaginou que esse leite pode fazer uma outra mãe muito feliz?

Os seios ficarão desiguais depois disso após amamentar?

Provavelmente haverá uma pequena diferença, mas, na maior parte das vezes, apenas a mãe é capaz de notá-la.

Amamentar em apenas um peito, o bebê precisará de complemento?

Mulher deitada amamentando

Mulher deitada amamentando – Foto: Freepik

Algumas mães conseguem amamentar com apenas uma mama, sem que haja necessidade de complemento; mas nem todas! O acompanhamento do pediatra é fundamental para essa decisão: ele avaliará se seu bebê está ganhando peso como deveria (e se não estiver, poderá recomendar uma fórmula artificial).

Agora o mais importante: não se culpe por não conseguir realizar a amamentação como você sonhou. Mais importante do que a ideia de amamentar com perfeição é que seu filho esteja bem, saudável, crescendo forte e tranquilo.