Estudo mostra que mães “chatas” criam filhas mais bem-sucedidas

Por 9 Comentários


Já te falaram que você é uma mãe chata? Pois eu já ouvi isso de algumas pessoas: que sou muito exigente com a pequena, que não facilito as coisas para ela, que não admito alguns tipos de comportamento aqui em casa. Como Catarina tem apenas 4 anos, ainda não houve tempo para que a própria me dissesse isso – mas tenho certeza de que, em algum momento (ou em vários!), daqui até os seus 15 anos de idade, terei a oportunidade de escutar bastante esse “elogio” da filhota (eu também já fui adolescente e lembro bem como essa fase funciona!).

A escolha da foto foi proposital: porque ser uma mãe exigente não tem a ver com falta de carinho - muito pelo contrário! Imagem: 123RF

A escolha da foto foi proposital: porque ser uma mãe exigente não tem a ver com falta de carinho – muito pelo contrário! (Imagem: 123RF)

Se a história é a mesma por aí, você vai gostar de saber que um estudo divulgado nesse ano pela Universidade de Essex, na Inglaterra, chegou à conclusão de que mães mais exigentes (ou “chatas”, como se diz por aí) criam filhas mais bem-sucedidas. Para obter esses resultados, os pesquisadores avaliaram cerca de 15.500 meninas entre 13 e 14 anos de idade – e, na maioria das vezes, elas relataram que eram suas mães as pessoas mais atuantes em sua educação.

A pesquisa determinou que as filhas que se sentiam mais exigidas por suas mães tiveram maior chance de chegar à faculdade, acabaram atingindo melhores cargos e salários, e também tiveram as menores taxas de gravidez na adolescência. Ou seja – bons motivos para ser aquele tipo de mãe que pega no pé, que acompanha, que estimula quando sabe que a filha pode fazer melhor, que está ao lado para dar apoio sempre que ela precisar.

Minha mãe foi exatamente assim como cada uma de suas três filhas, e hoje vejo que ela não poderia nos ter dado melhor presente! E é por isso que pretendo fazer o mesmo por Catarina.

Agora, quando alguém lhe disser que você é uma mãe chata, tem uma boa resposta na ponta da língua!

Veja também: Ser mãe é aprender a confiar em si mesma




Arquivado em: ComportamentoCuidados diários Tags:

Comentários (9)

Trackback URL

  1. Interessante! A #DicaDoDia que publiquei no meu canal do YouTube hoje fala sobre um assunto bem parecido!

    Concordo com você! 🙂

  2. ivanilde disse:

    Fiz um bom trabalho graças a DEUS ufaaaaa. obrigado pela reportagem

  3. ana disse:

    Será que sou mãe chata? não sei; só minhas filhas podem dizer. Só sei que são quatro vencedoras. Um beijo pra cada uma!

  4. Nívia Ferreira disse:

    Olá! Passo pelas mesmas coisas, com a diferença de que minha filha de 4 anos já me chama de chata!! kkkkkkkkkkkk

  5. Verusca disse:

    Tem uma coisa na pesquisa que não bate , se as meninas tinham 13 ou 14 anos , como poderiam já ter ingressado na faculdade , ou afirmar não terem filhos na adolescência , já que até a maioridade faltam ainda 4 ou 5 anos :/

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Verusca,
      O estudo foi iniciado quando essas meninas tinham 13 ou 14 anos, e elas foram acompanhadas por anos, até a conclusão do trabalho.
      Um abraço!

  6. Stefany disse:

    Concordo plenamente!
    Mas penso q deva ser acrescentado alguns dados ao artigo, pois se a pesquisa fora feita em meninas entre 13 e 14 anos, como podem já estar na faculdade, ter melhores salários… Etc.

    De qualquer forma, eu apoio uma educação “chata”!

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail