10 Reflexões sobre o sono do seu bebê que você precisa fazer

Por 4 Comentários


Hoje é dia da coluna da nossa querida consultora de sono, Michele Melão. E o post de hoje está super completo: com perguntas que você pode (e deve!) se fazer para entender melhor os motivos que levam seu filho a não dormir como você gostaria, ou esperava.

Enfim, uma listinha para colocar na cabeceira, e se lembrar sempre que o sono do filhote desandar!

Por Michele Melão

 

Se seu bebê tem dificuldade para adormecer, tem despertares noturnos frequentes, chora muito na hora de ir para a cama, passa o dia irritado e demonstrando sono ou faz sonecas irregulares e curtas, então talvez seja a hora de tomar certas atitudes para melhorar a qualidade de vida de toda a família (porque quando um bebê dorme mal, os pais também sofrem, não é verdade?). Por isso reuni aqui para as leitoras do Mil Dicas de Mãe essas 10 reflexões que podem modificar o padrão de sono do seu filho – muitas vezes, mudanças simples de hábito ou o estabelecimento de algumas regras já fazem toda a diferença!

recem nascido dormindo

1) Como está seu estilo de vida?

Já li em diversos livros que o bebê deve se adaptar à família e não o contrário. Que deve dormir no claro e com barulhos durante as sonecas, e que a casa não deve alterar seu ritmo por causa da chegada do novo membro. Mas alguma de vocês já viu isso acontecer na prática? O que realmente acontece é uma grande mudança, e já que isso é praticamente inevitável, repense seus hábitos para garantir uma boa noite de sono ao seu filho. Crie um ambiente gostoso para as sonecas, diminua as luzes e os sons da casa no fim do dia, esqueça a TV pelo menos uma hora antes do seu bebê ir para a cama e adeque seus horários aos dele. Por um tempo, deixe de sair à noite, pular refeições, etc.

2) Você conhece como funciona o sono do bebê?

Hoje existem diversas fontes para que você possa se informar sobre o sono de seu filho. Os principais pontos a serem entendidos com antecedência são: as necessidades de sono do bebê, quanto tempo em média ele deve ter de soneca todos os dias, quais são as fases de transição dessas sonecas, as janelas de sono (tempo que seu filho consegue ficar acordado durante o dia) e sugestão de rotina. Tudo isso de acordo com a idade. Com essas informações, certamente ficará mais fácil melhorar a qualidade de sono do filhote.

3) Quais são suas expectativas quanto ao sono do seu filho?

Um recém-nascido dorme muito, mas dificilmente dormirá mais do que 3 horas seguidas. E você pode fazer de tudo para esticar sua noite, mas ele certamente acordará para ser alimentado. Um bebê de até 6 meses pode (e deve) acordar pelo menos 2 vezes de madrugada para mamar. Assim, esteja preparada desde a gravidez para ter seu sono interrompido por pelo menos um semestre.

4) Você compara o sono do seu filho com os filhos das amigas?

Você já reparou que sempre que você pergunta a uma amiga, vizinha ou parente se o filho dela dorme a noite toda a resposta é sempre a mesma? Sim, a noite toda, sem chorar, nem me chamar! Aí começa a culpa: “o que estou fazendo de errado?”. Cada bebê tem uma necessidade diferente de sono, alimentação e atividades. Cada família tem seu ritmo. Por isso, se você deseja melhorar a qualidade de sono do seu filho, faça uma pesquisa sobre seus hábitos e sua rotina. Reveja seus horários, como está a alimentação, seu ritual de sono e certamente você vai descobrir algo que possa ser feito para ajudar seu bebê a dormir a noite toda – sem comparações. Mesmo em uma reeducação de sono, alguns bebês mudam seus hábitos em 3 dias, enquanto outros precisam de 30 dias para que os resultados apareçam.

5) O quarto do seu filho é sinônimo do cantinho do pensamento?

Se você costuma deixar seu filho pensando quando ele faz algo errado, não use o termo “dormir” associado ao castigo. Por exemplo: não diga “hoje você vai dormir cedo e não assistirá seu programa predileto, porque fez tal coisa!”. Esta frase pode criar uma percepção de que dormir é ruim, e seu filho pode começar a evitar o sono, o quarto e chorar muito na hora de ir para a cama.

6) O que acontece quando os pais ou o papai chega em casa depois do trabalho?

Esta é uma dica para os pais que trabalham fora. Normalmente chegam mais tarde, com saudade do filho e agitam muito a criança no fim do dia, prejudicando o “trabalho” da melatonina – hormônio do sono que deve fazer seu papel no corpo do bebê, para que ele durma. Procure alternativas como fazer brincadeiras tranquilas, leitura de livros com músicas calmas, e tente negociar o horário de saída do trabalho uma vez na semana, além de ter qualidade de tempo com seu bebê aos finais de semana.

7) Você conhece seu bebê?

Se você tiver uma rotina, mesmo que não seja muito rigorosa, vai perceber que seu filho segue um determinado ritmo durante o dia. Horário da fome, da soneca, da cólica e muitas vezes até do cocô – tudo segue um certo padrão. Entender esse padrão e adaptar seu dia às necessidades do seu bebê pode resultar em uma criança muito mais segura, previsível e mais preparada para uma boa noite de sono.

8) Você tem uma rotina?

Se tem algo que todas as pessoas sabem é que o bebê precisa de rotina. Mas por que então ela não existe em muitas casas? Mesmo sabendo disso, diversas famílias atendem os bebês de acordo com a necessidade do momento. Por exemplo: chorou, deve ser fome e então o bebê é alimentado. Coçou o olho, hora de dormir.

Com uma rotina de atividades, alimentação e hora do sono, ficará muito mais fácil entender e atender as necessidades dos bebês, garantindo que hormônios de vigília não sejam fabricados no corpo do pequeno, prejudicando o sono e as sonecas.

9) Você tem consistência para ajudar seu bebê a dormir?

Você vai precisar de tempo, paciência e muita consistência para que seu filho desenvolva a habilidade de dormir e firme esses bons hábitos de sono. Mesmo sabendo que isso não é simples e fácil, não adianta ser radical no começo e relaxar depois. Qualquer mudança de hábito causa transtorno, e seus benefícios são percebidos com o passar dos dias – e não imediatamente. Compare os bons hábitos de sono do seu bebê com os resultados rápidos em uma dieta – pode funcionar no começo, mas depois de um tempo você percebe que uma mudança alimentar contínua e consistente é muito mais eficiente para alcançar os resultados e mantê-los.

10) Você já tentou fazer algo pelo sono do seu bebê?

Você já leu sobre o sono, sabe da importância da rotina, do ritual, da previsibilidade e na teoria sabe exatamente o que deve ser feito. Mas e na prática? Seu filho acorda de hora em hora mas você continua ninando até que ele durma? Continua deixando que ele durma mamando? Não consegue diminuir o ritmo da casa para criar um ambiente de sono agradável para seu bebê? A melhor maneira aqui é finalmente dar os primeiros passos. Se você colocar algum método de aprendizagem de sono em prática por pelo menos uma semana, já vai perceber quanto tempo perdeu com tentativas desesperadas para fazer seu bebê dormir. Muitas famílias precisam de ajuda para fazer isso, mas é importante procurá-la e tomar as providências. O sono não é apenas questão de descansar. Seu filho precisa dormir bem para se desenvolver adequadamente, se proteger de doenças, evitar a obesidade infantil e tantos outros benefícios que conseguimos garantir para os bebês através do bom soninho.

michele melão selo




Arquivado em: Cuidados diáriosSono do bebê Tags:

Comentários (4)

Trackback URL

  1. Laina Alves disse:

    Bom dia!! Gostaria muito que vocês abordassem sobre bebês que mamam fórmula desde nasceram… a quantidade ideal para cada idade!! No meu caso mês!!
    Meu bebê Lucas tem 4 meses!!
    Amo a coluna de vcs leio sempre!
    Um abraço

  2. Kriscie disse:

    Gostaria de saber quais são os passos mencionados no último paragrafo e quais os métodos de sono existentes. Obrigada

  3. Jessica Aline disse:

    Amei o post,sempre leio. Mas pra minha sorte e d toda a casa é q meu bebe tem apenas 2 meses e desde quando nasceu dorme a noite toda, nunca tive problemas com isso.

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail