Organização em cada idade: o que você pode ensinar seu filho a fazer?

Por 0 Comentários


Ao longo da vida, eu fui percebendo o quanto ser organizada é importante. Ter uma casa onde tudo está em seu lugar torna o ambiente mais gostoso de se viver, além de poupar um tempo enorme, que você gastaria se não soubesse onde cada coisa está. Depois que virei mãe, então, a organização se tornou ainda mais importante – embora diferente, porque quem tem criança pequena em casa sabe que a dinâmica muda. E tenho tentando passar isso para a Cacá, porque sei que será muito benéfico para ela também – tanto para que ela também aprenda a se organizar, como para mostrar que cada integrante da casa precisa fazer sua parte. Acredito que isso torne os filhos muito mais colaborativos.

Se você também pensa assim, vai adorar o post de hoje, da nossa querida Personal Organizer Paula Tofanelli. Nele ela conta como funciona a organização em cada idade, e como seu filho pode fazer a parte dele aos 2, aos 3, aos 5 anos, e por aí vai. Aproveita e segue a Paula em seu Instagram (clique aqui), que lá ela compartilha várias outras dicas bacanas!

Por Paula Tofanelli

Mesmo crianças pequenas já podem aprender a se organizar. Elas são capazes de desenvolver o senso de organização, a autonomia e a responsabilidade desde cedo, independente do gênero. Não importa se você tem um menino ou uma menina em casa: você pode ensinar ambos a contribuírem com as tarefas da família.

Quer saber o que seu filho já é capaz de fazer em cada idade? A seguir dou algumas dicas, que você pode colocar em prática aí na sua casa:

De 0 a 4 anos

O ideal é começar a ensinar seu filho a ser organizado já nas primeiras atividades com brinquedos no chão. O bebê ainda não entende que a bagunça é decorrente de suas brincadeiras, por isso não adianta cobrar, dar bronca ou sair gritando e deixar a criança sozinha. Se você tiver uma reação excessiva, o pequeno pode começar a ter medo de brincar e, com isso, perde a chance de aprender e interagir com outras pessoas e expressar seus sentimentos. Exigir muita arrumação nessa fase deixa a criança confusa, pois ela não compreende o que os pais estão exigindo – podendo levar até a tristeza. Dessa forma, ela entende que organizar é chato e uma atividade solitária, e jamais se animaria para organizar coisa alguma, nem em casa nem na vida. O melhor é entrar na bagunça e fazer junto, de forma lúdica e com paciência.

Imagem cedida por Paula Tofanelli

Acabou a brincadeira? É hora de guardar todos os brinquedos. Até os 2 anos, será necessário que você os coloque dentro do lugar certo (uma caixa, um cesto, sacola, armário). O bebê pode recolher os itens e ir passando para você. Mesmo que ele não faça, só de olhar você fazendo, já vai assimilando o processo e o senso de organização começa a ser criado.

De 2 a 4 anos

Nessa etapa a própria criança pode alcançar o brinquedo e coloca-lo em seu devido lugar. Mas os pais ainda podem orientar e ajudar. Invente músicas – elas são ótimas para ajudar na memorização.

Esse aprendizado permite que a criança desenvolva novas habilidades, além de aumentar sua autoestima (por perceber que é capaz de fazer coisas sozinha). Ainda ajuda a entender melhor a noção de responsabilidade e cuidado com seus pertences (pois, entre outras coisas, ela aprende a valorizar o que tem e não a reclamar do que não tem). Deixe tempo e espaço para a criança brincar, remexer e descobrir tudo. E então só depois arrumar, para recomeçar no dia seguinte.

Imagens: Morguefile.com

Ainda nessa faixa etária, a criança pode colocar sua roupa suja no cesto, ajudar a pendurar as roupas no varal, auxiliar na cozinha, por exemplo. Mais do que ajudar, a principal intenção é que ela encare a organização e as tarefas de casa como algo gostoso de fazer, e de aproveitar melhor o tempo. Não uma obrigação estressante.

Aos 4 anos, a criança é capaz de arrumar a própria cama e outras atividades motoras. Demonstre como isso deve ser feito e a incentive a ir fazendo no dia a dia, até não precisar mais de sua ajuda. Ao perceber que ela já faz um bom trabalho sozinha, explique que dali, por diante, aquela tarefa é de responsabilidade dela.

Imagens: Morguefile.com

De 5 a 7 anos

Nessa faixa de idade, a criança já entende o que é bagunça e o que é a arrumação necessária da casa. É possível dar pequenas ordens e falar sobre responsabilidades, mas preste atenção ao tom de sua voz (e entenda que o trabalho de uma criança pequena nem sempre será perfeito como o de um adulto). Você pode solicitar ajuda para: arrumar a mochila e a lancheira escolar, pegar o uniforme no armário ou o pijama e guardar os calçados.

A partir dos 5 anos, a criança já consegue guardar seus brinquedos por conta própria. É importante que ela entenda que, se não estiverem sendo usados, os brinquedos precisam estar guardados. Se ela esquecer, com jeitinho você pode lembrar (pois é claro, que de vez em quando, ela será resistente). Vale a pena persistir e, se for necessário ajudar, ajude!

Regar as plantas, pôr a mesa para as refeições, tirar os pratos e copos da mesa (não somente o dela) e auxiliar na cozinha são tarefas que podem ser incluídas também. Se seu filho errar algo, mostre como se faz o certo. Com o tempo a atividade “entra no automático”. Facas, objetos cortantes e pontiagudos continuam sob a responsabilidade e supervisão dos adultos da casa.

Imagens: Morguefile.com

A partir dos 8 anos

A criança pode se envolver mais na organização, executando tarefas como ajudar a descarregar ou guardar as compras do supermercado, ou levar o lixo para fora.

Inclua seu filho nas tarefas, converse com ele e compartilhe a rotina do dia a dia da casa. Desenvolva uma rotina de organização e limpeza da casa (não perigosa) que inclua a criança – algo que ela possa fazer e que fique sob sua responsabilidade. Assim ela perceberá que, para a casa ficar em ordem, a ajuda dela é necessária. Procure dar tarefas pequenas, que ela consiga começar e terminar.

Quando estiver realizando uma tarefa, chame seu filho e explique o que você está fazendo. Vá narrando, passo a passo e pedindo ajuda no que for necessário. Nessa idade pode ser que ele queira se esquivar, mas, com persistência e firmeza, você consegue a participação dele!

Imagens: Morguefile.com

Pré-adolescentes e adolescentes – podem e devem ajudar com a limpeza da casa

Quando seu filho chegar à essa etapa, você pode dar a ele tarefas maiores e mais complexas, como ir à padaria, ajudar na faxina, fazer seu próprio lanche, ir ao banco, guardar a própria roupa quando chegar da lavanderia, arrumar seu quarto, cuidar da louça, passar roupa. São exemplos simples e que fazem parte da rotina diária de qualquer casa.

Dicas finais:

Não refaça o trabalho que seu filho executou

Mais importante do que fazer a tarefa com a perfeição do adulto, é simplesmente fazê-la. Quando sua criança fizer uma tarefa, evite refazê-la para melhorar a qualidade (do contrário poderá desestimular o pequeno, deixando o recado – mesmo sem querer – de que o que ele faz não é suficientemente bom). Lembre que a prática leva à perfeição. A partir do momento que os pais não refazem, a ideia sobre “arrumar a cama”, por exemplo, é reforçada na mente da criança, e o conhecimento adquirido sobre esta tarefa é o suficiente para o momento. Essa lógica vale para qualquer tarefa.

Mesmo que tenha babá ou funcionária do lar, dê tarefas para seu filho fazer!

Dessa forma, criamos a oportunidade das crianças desenvolverem autonomia e responsabilidade com as próprias coisas. Mesmo que sua funcionária tenha ótimas habilidades para cuidar da casa, sua criança pode ser responsável por manter algumas coisas em ordem.


 



Arquivado em: Coisas de casaComportamentoCuidados diários Tags:

Deixe seu comentário