A primeira menstruação: tudo o que você precisa saber

Por 0 Comentários


Um fato muito marcante na vida de toda menina é a primeira menstruação. Eu me lembro direitinho do dia em que ela aconteceu – foi um misto de medo, alegria, dúvida do que estava por vir. Minha mãe, médica, conversou bastante comigo para que esse fosse um processo natural. Acho também que ver que ela usava absorvente e tratava a questão com naturalidade também ajudou na incorporação do processo.

Por considerar esse fato de extrema importância para as meninas (e para toda a família, claro, porque os pais precisarão conversar muito com a filha), pedi que a nossa querida médica hebiatra Bianca Lundberg falasse sobre o assunto. A seguir ela conta quando acontece a primeira menstruação, como ela se caracteriza, e como conduzir o papo sobre o tema. Espero que seja muito útil aí na sua casa!

Imagem: 123RF

Por Dra. Bianca Lundberg

Oi pessoal!

Hoje vim falar de um assunto que preocupa e assusta muitas mães e pais, mas é completamente normal: a primeira menstruação. Em termos médicos, ela é chamada de menarca, e costuma acontecer de um ano e meio a três anos após o aparecimento das mamas.

Pode ser um momento de medo e emoções confusas para a família toda, e muita insegurança é gerada pela falta de informação ou por informações erradas. Tanto é que a maioria das garotas tem sua primeira menstruação de modo despreparado e a experiência não costuma ser das mais positivas quando estamos desprevenidas.

Além disso, a presença de sangue (que traz lembranças de dor, machucado, acidente), aliada a superstições e boatos, faz com que a menarca seja associada algo ruim e vergonhoso. Por isso, o melhor é começar a conversa sobre menstruação calmamente, assim que as mamas começarem a crescer.

A maioria dos responsáveis por essa incumbência (mãe, outra mulher com função maternal, ou o pai) precisa de mais informações para fornecer conteúdo certo e prático às jovens. Não sei se você já percebeu, mas o conteúdo escolar costuma abordar a parte biológica da menstruação e reprodução humana. Então a garota pode inclusive acreditar que foi totalmente informada durante as aulas, quando na verdade os conceitos práticos ainda não foram recebidos.

Como falar sobre a primeira menstruação

Quando as garotas estão iniciando a puberdade, podem ser dados alguns dados como: o que é a menstruação, qual a sua frequência, quanto tempo dura, seu significado. Aos poucos, tente ir conversando mais sobre o assunto, de preferência em um local tranquilo, durante a rotina normal da família. Isso traz uma maior naturalidade ao tema, o que ajudará a menina a trata-lo dessa forma.

É necessário saber o quanto a jovem sabe desse assunto –  se alguma amiga ficou menstruada, se já conversaram sobre isso… Nesse caso é essencial notar se o que ela já sabe está correto. Dê as informações aos poucos, para que o conteúdo não esteja exagerado demais para ser assimilado. E é por isso que devemos seguir a recomendação de conversas a partir do início da puberdade, para ter tempo.

Além disso, conforme esse mesmo tempo vai passando, as dúvidas mudam e atitude da adolescente também. Devemos nos adaptar para ter novas conversas. Se a jovem, num primeiro momento, não se sentir à vontade para conversar, respeite seu desconforto e tente posteriormente. Mas não deixe de conversar.

Falando naturalmente sobre a primeira menstruação

Uma boa ideia é reiniciar o bate-papo com uma experiência conhecida (eu menstruei quando tinha X anos, me senti dessa forma… ), ou com um pretexto (uma propaganda de absorvente, por exemplo). Algumas famílias têm costume de marcar essa data da menarca com algo festivo – mas antes de entrar no ritmo de  comemoração, não se esqueça de dialogar com sua jovem sobre o que ela prefere fazer.

Ao conversar, reforce lados bons da menstruação: indica um corpo saudável, significa crescimento, não impede nenhuma atividade.

Algumas informações práticas sobre a primeira menstruação: 

– A idade da menarca da mãe e das parentes pode indicar a idade próxima da menarca da paciente.

– O fluxo pode ser irregular de dois a três anos após a primeira menstruação, devido à adaptação do corpo aos hormônios.

– Antes da menarca, pode aparecer uma secreção clara ou de cor mais amarronzada.

– No início, a cólica é menos frequente, já que nem toda menstruação é acompanhada de ovulação. Atingindo a frequência regular, o período menstrual ou pré-menstrual pode ser mais doloroso.

– Além de cólica, pode haver inchaço abdominal e nas mamas, dor nas mamas, dor de cabeça, dor nas costas e coxas, além de mudança de humor e de disposição.

– Discuta o uso de absorventes: oriente o manuseio, ensine utilidade, quando e como descartar. Providencie absorvente para ser deixado com a jovem caso a menstruação aconteça fora de casa. Discuta o uso de absorventes internos e alerte para atenção e higiene, que é essencial.

É importante também investigar:

– Se a menina desenvolve pelos e/ou mamas antes de oito anos de idade. Se houver puberdade precoce e não for tratada, a paciente pode se desenvolver mais cedo, menstruar mais cedo, e não crescer todo o seu potencial.

– Se a menstruação é excessiva, com fluxo abundante vazando absorventes por mais de sete dias.

– Se existe sangramento anormal entre ciclos.

– Se após os ciclos se tornarem regulares, houver ausência de ciclo.

– Se houver dor abdominal aguda, de forte intensidade.

Por final, é importante dizer que essas dicas e orientações sobre a menstruação podem também ser dadas pelo médico de adolescente, que está preparado para tópicos tão delicados quanto este.

Um abraço!

Bianca Rodrigues de Godoy Lundberg é Médica de Adolescentes; atende em seu consultório jovens entre 10 e 20 anos de idade, na Zona Sul de São Paulo. Mais informações em www.biancalundberg.com  


 



Arquivado em: AdolescênciaSaúde Tags:

Deixe seu comentário