Ah, a maternidade! Ela nos faz pagar a língua em tantos aspectos! Pois eu confesso a vocês que um deles, para mim, foi a festa de 1 ano de Catarina. Até ter filhos, eu olhava para aquelas comemorações enormes, com quase 100 convidados, mesa decorada, docinhos, bolo de três camadas, lembrancinhas para adultos e crianças e me perguntava: para que esse exagero? Afinal, obviamente a criança não vai se lembrar de nada!

Mas aí eu virei mãe. E adivinhem: eu quis fazer uma festa exatamente como essa! Aliás, optamos por fazer o batizado da pequena também nessa data, então a loucura foi em dose dupla! Bastava um vestido? Claro que não, foram dois: um branco, com flores, para o batismo; o segundo combinando com o tema da decoração da recepção (sim, eu vesti a filhota de Minnie)! Gastei meses decidindo cada detalhe, desde a forminha do brigadeiro (que precisava ser vermelha com bolinhas brancas), até as bandejas em formato de orelhinha. Isso sem falar no número de amigos e parentes que compareceram: uns 90 no total (o que significa que, contando com os que faltaram, minha lista passava de uma centena).

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Se você já é mãe, provavelmente sabe sobre o que eu estou falando. E nem precisa ter chegado ao primeiro aniversário do filhote, porque a verdadeira motivação para fazer uma festa como essa nasce bem antes disso. Talvez ela apareça no meio de uma noite insone (a quadragésima seguida), em que você já passou da fase do desespero por não conseguir dormir e já chegou ao ponto de fechar os olhos encostada no berço. Ou quem sabe depois de tentar dar a papinha de banana pela quinta vez, mesmo sabendo que acontecerá o mesmo que das quatro vezes anteriores: seu filho vai cuspir tudinho, e sobrará para você limpar a bagunça espalhada pelo chão. Ah, pode ser também logo depois de uma crise de cólica (que todo mundo jurava para você que só duraria três meses, mas seu filho já tem quase seis, e chora sempre ao final do dia).

Publicidade

Depois de alguns meses enfrentando a dura rotina de ser mãe, os desafios, as culpas, os medos; nos momentos em que você tem vontade de chorar e se pergunta se as dificuldades um dia irão acabar, você acha um quentinho no coração: a comemoração de 1 ano do filhote. Você sabe que seu filho não vai se lembrar da festa, mas tem certeza de que nunca, nem em oitenta anos, se esquecerá dela. Você pensa em todas as pessoas que te amam, que amam seu marido, e que já amam esse pedacinho de gente, simplesmente porque ele é seu filho – e que você deseja que compartilhem esse instante. Você imagina o álbum de fotos, que registrará uma marca importante na vida do pequeno, e que ficará de recordação para ele, do início da sua história.

Por isso, se você sente vontade de fazer uma grande festa para comemorar o primeiro aniversário do seu filho, faça! Não ligue para as pessoas que ainda não têm filhos e não podem imaginar o prazer que você está sentindo! Nem para aquelas que já tiveram filhos há tanto tempo, que já se esqueceram da importância que esse momento tem para o coração de uma mãe. No fim a felicidade que todos os preparativos e que o grande dia lhe trarão será tão grande, que fará tudo valer a pena!