Os padrinhos são pessoas muito especiais na vida do seu filho. Independentemente dos critérios que você usou para escolhê-los, tenho certeza de que seu desejo é que a convivência entre eles e o filhote seja próxima, e que o pequeno possa contar com eles durante toda a vida. Posso dizer que fomos muito felizes na escolha dos padrinhos de Catarina: desde que ela nasceu, nos ajudam nos momentos de dificuldade, e compartilham nossas alegrias com seu desenvolvimento. E pensando nessa relação, que é tão gostosa, fiz esse post com algumas dicas – que são básicas, mas que podem fazer toda a diferença para que esse relacionamento seja lindo! Vem ver!

padrinhos do bebe

1) Converse sempre com eles: é muito importante manter um canal de comunicação aberto com os padrinhos. Isso significa dialogar constantemente sobre o pequeno, seus hábitos, sua personalidade e seu comportamento. Mantenha-os próximos da rotina da criança, envolvendo-os em diversos momentos (um almoço gostoso, uma tarde de brincadeiras, e até mesmo uma noite em que seu filho, quando maiorzinho, durma fora de casa). Além de fortalecer o vínculo entre todos os que participam dessa relação, ficará mais fácil solicitar a ajuda dos padrinhos quando necessário, pois essa convivência já será natural para o filhote.

2) Mostre que eles são importantes: existem diversas formas de demonstrar aos padrinhos o quanto eles são essenciais na vida do pequeno. Sempre que puder, faça isso! Eles sentirão que são queridos e que podem participar ativamente da vida do seu filho. Essa também é uma boa maneira de ensinar o filhote a respeitar e amar seus padrinhos.

Publicidade

3) Envolva-os na vida do seu filho: abrir espaço para que os padrinhos participem da vida do pequeno é fundamental. Por isso, sempre que possível, associe a figura deles à rotina da criança. Por exemplo: o padrinho e a madrinha podem combinar de buscar o pequeno na escola em um determinado dia, ou marcar um passeio a sós, para curtir o pequeno com tranquilidade. Atitudes simples como essas vão ajudar a criar uma boa relação entre afilhados, padrinhos e pais.

4) Reforce o vínculo entre vocês: na maioria das vezes, os padrinhos são pessoas que já fazem parte do círculo de amigos da família. Mesmo assim, é sempre bom estabelecer um relacionamento próximo – marcar encontros, conversas e ter momentos juntos. Dessa forma, a criança enxergará os padrinhos como parte da família e os terão como uma referência importante.

5) Compartilhe os momentos: seja uma nova conquista, uma fase de crise ou qualquer outro episódio que a criança esteja vivendo – divida com os padrinhos do seu filho todos os momentos pelos quais vocês estão passando. O objetivo é sempre compartilhar e acompanhar o crescimento da criança – seja ele físico, intelectual ou espiritual. Vale a pena incorporar algumas dessas atitudes: o resultado será surpreendente e todos sairão ganhando!

* Para terminar o post, queria contar algo que a madrinha da Catarina propôs a ela, e que criou um laço muito bonito entre as duas: sempre que a pequena visse uma estrela no céu, saberia que a dinda também a estaria enxergando, e se lembrando dela. Até hoje, sempre que a filhota vê uma estrelinha, me mostra dizendo exatamente isso! Dessa forma, o coração das duas está sempre conectado!