Hoje eu recebi uma mensagem de uma leitora com uma sugestão de post bem interessante: como organizar a festa na escola dos pequenos. Eu adorei a ideia, porque acho um assunto importante e delicado: afinal, nesse caso, você precisa preparar uma comemoração em um ambiente diferente da sua casa, onde estarão crianças com quem seu contato não é tão frequente (você certamente conhece alguns amiguinhos de seu filho, mas não todos), e na qual você não estará presente (muitas escolas não permitem que os pais e outros familiares participem do momento). Parece difícil? Mas não precisa ser – certa vez eu conversei com a escola de Catarina, e entendi o porquê de muitas regras estabelecidas, e o que pode ser feito para que a festinha seja curtida por todos. A seguir, eu compartilho algumas dicas com vocês:

festa na escola

1) Fale com a escola do seu filho e veja o que pode (e o que não pode) ser enviado: essa é a dica mais importante, porque cada espaço escolar enxerga as festas dos alunos de uma forma – em alguns, você pode levar apenas o bolo; em outros, pode também enviar lembrancinhas para os colegas de turma, e há ainda outros que liberam para decoração, salgadinhos, docinhos (enfim, uma festa completa). Quando você respeita as normas da escola, além de não criar situações tensas (por exemplo, você comprou as lembrancinhas e terá que voltar com tudo para trás, porque elas não poderão ser distribuídas), otimiza seus gastos, comprando apenas o que será útil para o evento. Assim, programe-se para essa conversa algumas semanas antes do aniversário do seu filho.

2) O convite: algumas escolas não permitem o envio de convites de aniversário (justamente para evitar que os coleguinhas enviem presentes). Na escola da pequena funciona dessa forma, e minha opinião pessoal é que é uma grande comodidade. Mas se na escola de seu filho é de praxe enviar um convitinho, providencie aqueles impressos, com envelope (que a professora colocará na agenda de cada criança, ou distribuirá entre seus pais) com pelo menos uma semana de antecedência.

Publicidade

3) O bolo certo: e aqui vale falar tanto do sabor, quanto da apresentação. Em geral as crianças adoram bolo de brigadeiro, ou de cenoura (se você optar por algum deles, certamente será um sucesso) – analise qual é a linha da escola, se mais natural ou não, para definir se vale a pena enviar o de chocolate.

Muitas escolas pedem que o bolo já venha cortado em pedaços e embrulhado: assim a distribuição entre os coleguinhas fica facilitada. Na escola de Catarina é exatamente assim, e eu adorei uma dica que recebi da direção: ao invés de enviar o tamanho do pedaço convencional, corte a fatia da metade e embrulhe cada pedaço separadamente – afinal, crianças pequenas só conseguem comer um pouquinho, e, dessa forma, você evita o desperdício.

Uma outra ideia, ao invés de enviar o bolo convencional, é fazer cupcakes e enviar para a turma – os pequenos adoram e a porção já está individualizada! Para as mães prendadas, pode ser uma boa forma de economizar na festinha, pois você faz a receita em casa na véspera e deixa tudo prontinho.

Por fim, é importante perguntar à escola o tamanho do bolo – ele deve servir apenas a sala do seu filho ou será distribuído por todas as classes (o que é pratica muito comum em escolas pequenas)? Não se esqueça de colocar no cálculo os professores e outros funcionários – afinal, todos eles têm contato diário com seu filho e adorarão receber um pedacinho do bolo de aniversário.

4) Seja prática na decoração: a maioria das escolas não permite que você envie decoração para a comemoração, mas, se ela for permitida na de seu filho, a dica é permanecer no simples e prático (lembre-se de que os professores têm pouco tempo para montar a festa). Poucos balões ou um painel único que possa ser colado facilmente com fita adesiva já dão um ar festivo e não sobrecarregam ninguém.

5) Escolha bem as lembrancinhas: esse é um dos pontos mais delicados da organização de uma festa na escola, pois aquilo que você escolher será levado para casa pelas outras crianças. Cuidado com objetos pequenos (ou com pedaços que possam descolar), que podem ser engolidos por crianças pequenas. Se optar por enviar guloseimas, vale a pena conversar com a escola, para saber se há alguma criança com restrição alimentar (com alergia ou diabetes) na turma. O envio de balas e doces não é bem visto por muitos pais; por isso, se quiser ter certeza de que a lembrancinha será bem aceita, fuja deles. E dê preferência para uma lembrancinha única (sem distinguir se é de menino ou de menina,por exemplo), pois a chance de ocorrer uma briga porque “a do outro é muito mais legal do que a minha” não é pequena. Quer uma boa ideia? Kits de colorir fazem a alegria da criançada e não esbarram nos problemas já citados.

Publicidade

6) Comidas e bebidas: converse com a escola sobre possíveis restrições, como frituras, doces e refrigerantes. Você pode providenciar sanduíches de queijo em pão de forma, pães de queijo (as crianças adoram!), salgadinhos (dê preferência aos assados, que são mais saudáveis), água e sucos. Não exagere na quantidade, pois os pequeninos costumam comer pouco. Avalie a possibilidade de marmitas ou kits prontos (que vêm dentro de caixinhas, e que são vendidos por empresas especializadas em buffets para festas) – como já vêm montados, são uma “mão na roda” para quem não quer ter trabalho com a organização da comemoração. Nas escolas em que as comidinhas podem ser enviadas, geralmente o brigadeiro é liberado – apesar dos copinhos de doce serem lindos, as crianças acham muito mais prático comer as bolinhas (e o volume de lixo gerado é bem menor).

7) Outros itens necessários: você providenciou tudo, mas saiu da escola e percebeu que se esqueceu dos guardanapos? Faça uma listinha de outros itens que não podem faltar, como pratinhos, talheres e copos descartáveis, vela e canudinhos. Algumas escolas permitem o envio de máquina fotográfica para o registro da festa – mande, pois o registro da festinha de cada ano, e do crescimento do seu filho, não tem preço!

8) Quando os adultos podem participar: algumas escolas permitem que os pais e, eventualmente,  outros familiares (como os avós) possam estar presentes na festinha. Lembre-se de que muitas crianças não se sentem à vontade na presença de estranhos – se algum colega de seu filho ficar retraído, aja com naturalidade e não force a situação (aos poucos eles vão se acostumando, sem que nada precise ser feito).

9) O fim da festa: se você estiver na festa, cuide para que ao final dela esteja tudo limpo – arregace as mangas e ajude! Além de facilitar o retorno da escola às atividades normais diárias, esse é um grande exemplo para seu filho!