Hoje é dia de abrir o coração e contar tudo aquilo que eu nem imaginava que aconteceria, antes da Catarina nascer. Coisas sobre ser mãe, cuidar de um bebê, que passavam longe da minha cabeça e que só fui aprender ou descobrir na prática!

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Vamos à minha lista do “Antes de ser mãe, eu não sabia que…”

1) Essa história de amamentar a cada 3 horas é conversa para boi dormir. Porque o tempo começa a contar do início da mamada (e considerando que no primeiro mês o bebê leva quase 1 hora para mamar, mais 20 minutos para arrotar, mais o tempo de trocar a fralda, isso significa que você terá no máximo 1 hora para suas necessidades diárias – tomar banho, comer, dormir – até a próxima mamada)!

Publicidade

2) Receber visita em casa é bom demais, depois de passados os primeiros dias. Para as mães que sempre trabalharam fora, ou que tinham uma vida social ativa, ficar o dia inteiro com um bebê que não fala (muito pelo contrário, só chora), é de pirar a cabeça. É TÃO BOM quando aparece alguém para conversar, falar sobre qualquer coisa, jogar conversa fora… Eu, pelo menos, me sentia gente de novo!

3) Amamentar doía tanto, nos primeiros dias. Você praticamente chora enquanto o bebê mama. E só não desiste porque sabe o quanto é importante para o bebê o aleitamento materno. Ainda bem que passa (pelo menos para boa parte das mães) e depois fica uma das coisas mais gostosas do mundo!

4) Eu iria sair do banho pingando leite. Afinal, eu não tinha ido tomar outra ducha justamente para tirar aquele cheiro de leite?

5) Cocô de recém-nascido é explosivo! E toda mãe leva pela menos um jato desses na vida (pela lei de Murphy, esse jato de cocô que sujará todo o quarto acontecerá às 2h da madrugada).

6) Seria TÃO difícil ficar longe da minha filha, até para fazer coisas como almoçar fora com o marido, ir ao cabeleireiro (aliás, onde mesmo é que fica esse lugar?), ao supermercado (graças a Deus existe delivery!).

7) O punho da minha mão direita iria ficar frouxo por um tempo, de tanto segurá-la por debaixo do bracinho (também resultado dos hormônios da gravidez que afrouxam seus ligamentos por um tempo). Tinha dias em que eu achava que a mão não voltaria para o lugar certo!

Publicidade

8) Cortar unha de bebê é difícil, principalmente se for como a minha filha, que mexe a mão, o pé, faz um escândalo…! Conclusão: tem que cortar enquanto dorme (mas já foi tão difícil fazê-la pegar no sono, tem mesmo que cortar a unha? E se ela acordar? Socorro!); ou agora a segunda tática: dá um pote de iogurte para distrair que dá para cortar tudo e mais um pouco!

9) Eu voltaria a usar as mesmas roupas de antes da gravidez. Já os sapatos… quase todos apertados!

10) Ir ao banheiro sozinha e tranquilamente é missão impossível! Ou o filho vai junto ou é o maior chororô do lado de fora! Você escolhe, rsrs!

11) Minha filha também iria fazer birra, chorar daquele jeito que eu sempre recriminei nos filhos dos outros. Virou mãe? Então se prepara para pagar sua boca e aprender a nunca mais julgar o filho alheio!

12) Tem dias em que você acha que seu filho tem o melhor pediatra do mundo; e em outros você acha que o médico não sabe nada. No final, todo resfriado, tosse ou febre passam!

13) Eu iria passar o dia vendo desenho animado. Principalmente depois que o bebê cresce um pouquinho e começa a prestar atenção nas cenas da TV (aí é que não dá MESMO para ver novela perto dele).

Publicidade

14) Existem bebês que ODEIAM dormir. Minha filha acha que é a maior perda de tempo do universo! Sempre que conto que ela não dorme bem até hoje, as pessoas perguntam: “Mas por quê? Ela tem alguma coisa? Dor? Medo? Manha? E o pior que a resposta (juro para vocês que eu SEI que é isso) é: simplesmente ela não gosta de dormir, raios!

15) Existe amor desse tamanho! Porque apesar de cansada, mal dormida, sem tempo para nada, eu agradeço todos os dias pelo nascimento da minha filha!

E você? O que não sabia antes de ser mãe e só descobriu quando seu filho nasceu? Me conta!