Amor do pai é uma das maiores influências da personalidade da criança

Por 118 Comentários


Que o amor materno é fundamental para a vida de qualquer criança, não temos qualquer dúvida. Aliás, em pleno século XXI, nossa cultura ainda coloca sob responsabilidade (quase que exclusiva) da mãe os cuidados com os filhos (é uma criança que faz birra? Que bate no amiguinho? Que vai mal na escola? “A culpa é da mãe”, não é assim que ouvimos comumente por aí?).

Mas como fica o papel do pai nessa história? Pois um estudo recente mostrou que ele é fundamental na formação da personalidade da criança, e como ela desenvolverá diversas características até a idade adulta. Pesquisadores da Universidade de Connecticut, nos EUA, demonstraram que crianças de todo o mundo tendem a responder da mesma forma quando são rejeitados por seus cuidadores, ou por pessoas a quem são apegadas emocionalmente. E quando essa rejeição é do pai, diferentemente do que muitas pessoas acreditam, ela causa marcas profundas.

amor de pai

Segundo os estudiosos, que avaliaram 36 trabalhos envolvendo mais de 10.000 pessoas, entre crianças e adultos, a rejeição paterna tem essa influência tão marcante porque, em primeiro lugar, é mais comum do que a materna. E também porque a figura do homem é associada a prestígio e poder – ou seja, para a criança, é como se ela tivesse sido esquecida ou preterida por alguém que todos consideram importante.

Agora vem a parte mais triste: o estudo mostrou que as crianças sentem a rejeição como se ela realmente fosse uma dor física. As partes do cérebro ativadas quando um pequenino se sente rejeitado são as mesmas que se tornam ativas quando ele se machuca, com uma diferença: a dor psicológica pode ser revivida por anos, levando à insegurança, hostilidade e tendência à agressividade.

A boa notícia é que um pai presente e carinhoso tem exatamente o efeito contrário na formação da personalidade do filho: o pequeno cresce feliz, seguro e capaz de estabelecer ligações afetivas muito mais facilmente na vida adulta. Se o pai do seu filho é exatamente assim, compartilhe o post com ele – tenho certeza de que ele adorará saber disso!




Arquivado em: ComportamentoCuidados diáriosDesenvolvimento Tags:

Comentários (118)

Trackback URL

  1. Janis disse:

    Que bacana, adorei! Em casa, a minha Lara tem um PAIdrasto muito presente e carinhoso; E sei o quanto ele é importante para o desenvolvimento dela, pois o apego de ambos é palpável.
    Beijos
    Janis

  2. Infelizmente no meu caso foi o oposto… vida que segue…

  3. Carol Lacerda disse:

    eu discordo? cadê a fonte confiável? esse texto é um artigo e não aponta pesquisas comprovadas. Segundo os estudiosos, que avaliaram 36 trabalhos envolvendo mais de 10.000 pessoas, entre crianças e adultos, a rejeição paterna tem essa influência tão marcante porque, em primeiro lugar, é mais comum do que a materna. Onde estão os nomes desses estudiosos?

  4. tem link no meio do texto, acho que la e a fonte da pesquisa

  5. Paciência meu caro. Tamo junto nessa mas agora é a hora de darmos todo o amor do mundo aos nossos filhos.

  6. José Carlos Milléo a gente aprende mais nas adversidade…

  7. Andrea Nunes disse:

    "(…) porque a figura do homem é associada a prestígio e poder". Já estamos no século XXI?! Segundo a educação sexista de muitos pais e mães por aí… Parece que não!

  8. Exatamente, Carol, a fonte da pesquisa está indicada no link. Bjs

  9. Meu pai me abandonou com 1 ano, minha mãe nos criou sozinha, tenho um filho de 1 ano e meio e amo ele demais, não entendo como uma pessoa é capaz de abandonar o próprio filho.

  10. é melhor ler direito antes de fazer um comentário desses Carol Lacerda

  11. é melhor ler direito antes de fazer um comentário desses Carol Lacerda

  12. Carol Lacerda disse:

    Mil Dicas de Mãe não tinha notado, obrigada.

  13. Carol Lacerda disse:

    Eu li querida…. existe liberdade de expressão, por isso comento o que eu quiser ok.

  14. Carol Lacerda disse:

    Querida, eu questionei e não afirmei.

  15. Vc disse que o artigo não apontava pesquisas comprovadas, porém apontam. Mas não vamos abrir uma discussão aqui. Ainda mais se tratando de um tema tão delicado. 😉

  16. Meu comentário foi apagado várias vezes… Não apagado pelos administradores, mas a página foi atualizada e perdi o que havia escrito. Lamentável

  17. Otávio Nina disse:

    Tava demorando, isto é o patriarcado querida Andrea.

  18. Henry, a minha situação é igual a sua. E fico com esse mesmo questionamento, como pode um pai abandonar o próprio filho???

  19. Isso já aconteceu comigo por várias vezes… É uma questão a ser vista pelo site!!!

  20. Pois é Carla Pires Sena. Escrevi uma opinião e quando me dei conta atualizou a página e apagou tudo, acabei desanimando, perde toda a linha do raciocínio né?! Rrs

  21. Michel disse:

    Passei por essa situação, não tive convívio nenhum com o meu pai. Na verdade só vi ele uma vez aos 16 anos.Foi triste….demais e depois nunca mais.
    Acho que faz sentido sim.

  22. É uma ferida que não cicatriza… Fica somente adormecida

  23. Ótimo texto! Mtos pais deveriam saber disso!

  24. Eberth Ayala disse:

    Chore mais pois o choro é livre.

  25. Erika França disse:

    Nós mulheres não temos que nos sentir menores por isso, pai e mãe tem uma influência única na vida da criança, isso é maravilhoso, dá segurança e estabilidade pra criança, temos que parar de querer ser igual ao homem, somos mulheres e me orgulho disso, porque sei que minhas características femininas não são menores que as masculinas, apenas diferentes……….e isso é maravilhoso

  26. Sou pai de uma menina de 14 anos , me separei da mãe dela ela tinha 9 meses e sempre fui ver ela sempre que pude mas a mãe dela sempre a jogou contra mim nunca quis vim na minha casa e nem passear comigo nesse fim de ano larguei de mão não quero mais saber cansei de se humilhar pra minha filha vim comigo , hoje sou bem casado e tenho um filho de 3 anos e samos um grude um com o outro…

  27. Sei bem o que é isto! O amor se constrói no dia a dia. Infelizmente eu me separei. Tenho um filho de 4 anos. Sempre sonhei em ser para ele o pai que não tive. Mas infelizmente devido a separação não tenho conseguido ser. E sei bem o que a ausência de um pai nos causa. Na medida do possivel faço a minha parte, mas infelizmente por conhecimento de causa sei que não é o suficiente!

  28. Dio Minks disse:

    que triste, mas não deixa isso te afastar da tua filha, sério. o relacionamento com a mãe dela é uma coisa,e com ela é outra. não desista!

  29. Carlos Mauch disse:

    A grande verdade é que o tempo passa e a presença se torna saudade! Sejam os seus os melhores pais do mundo ou não, aproveitem cada instante possível ao lado deles, sem rancor, sem mágoas! No fundo aprendemos que errando ou acertando eles (me incluindo) querem apenas o seu bem! E por mais que tentem imaginar jamais saberão quão grande é o amor deles por ti!

  30. erika fernanda moreira disse:

    Fui criada por pais adotivos e muito amadas por eles. mas a rejeição do meu pai sempre me incomodou. hoje sou casada e meu marido qdo eu estava gravida de 6 meses me deixou. qdo meu filho completou 7 meses de nascido ele pediu para voltar aceitei pois não queria criar meu filho sem a presença do pai. Hoje vivemos muito bem e valeu a pena toda fase difícil que passei em prol da felicidade do meu filho

  31. Cida Tabatini disse:

    Henry e João…..vivo esta situação com meu filho que foi abandonado pelo pai quanto tinha 1 ano…o pai dele é totalmente ausente na vida dele…eu não consigo entender ele é um filho maravilhoso tem 15 anos…sofre muito com esta rejeição…..por isso tem muitos pais em asilo…..

  32. Paulo Novaes disse:

    Faça um filho com uma mulher (Não vale adotar) !

  33. Paulo Silva disse:

    Pauline Paes… disso ai que eu estou falando… =D

  34. Jocy Ribeiro disse:

    Marcela Scheid pra essa garota questionar o fato dessa forma e não concordar com certeza ela teve um pai presente e que a mimou muito, nada contradiz os fatos e com certeza alguém que foi rejeitado por seus genitores sentem a vida toda por isso. Para sabermos disso nem precisaria de artigo e estudos nenhum, affe…comentário inútil dessa Carol Lacerda.

  35. Mil Dicas de Mãe, faltou completar.
    Como um pai pode recuperar esse dano?

  36. Mil Dicas de Mãe, faltou completar.
    Como um pai pode recuperar esse dano?

  37. Filippe Rimis disse:

    Dica: escreve antes no bloco de notas e depois ctrl+c ctrl+v. 😉

  38. Cida Tabatini seu filho faz terapia? Se não faz, é bom fazer. Bjs 😉

  39. Saymon Ianae Onofre não desista da sua filha, insista, pois um dia ela vai perceber a armação da mãe dela e te dar valor, como vc e a mãe dela são separados ela pode se sentir rejeitada e com ciúmes do irmão, vc não está se humilhando, mas sim cumprindo seu papel de pai!!!!

  40. Renato Seragi disse:

    Que comentario ridiculo… Aff

  41. Ricardo Telles Furtado, se me permite… Não sou psicóloga, mas gosto muito de ler sobre o assunto (Augusto Cury e Içami Tiba têm livros nesta área), e um pouco do que pude entender até hoje, é que não há como apagar uma memória, mas é possível “reeditá-la”! Eu, particularmente, não tive problemas com meu pai, mas com minha mãe, durante toda a infância. Foi difícil, mas depois de muito tempo conseguimos superar! As memórias ainda existem, mas são apenas lembranças que hoje não machucam mais! Hoje somos amigas, cúmplices, e também mãe e filha! Leva um tempo. É preciso paciência e persistência, mas vale a pena! 🙂 Abraço.

  42. Fiquei curioso do porquê da sua reação. Percebi uma certa revolta e agressividade.

  43. Gostei do texto e acredito que é isso mesmo, mas, acho que no início ela foi mui…to infeliz!!! Hoje não existe mais essa imagem e isso não passa de "femininismo total". Muitos homens cuidam melhor da casa e de crianças do que muitas mulheres, um exemplo disso aconteceu aqui em Bagé onde uma mãe matou asfixiada sua filha de 5 anos no início da semana!!! Portanto parem de dizer que as mulheres tem imagem disso e que homens tem imagem daquilo e vivam o presente, abrem os olhos, se atualizem. Existem PAIS (pai e mãe) bons e maus, independente do sexo!!! Obs.: Eu não sei como eu vivia sem ter uma filha, é espetacular, somado com a mãe, é melhor ainda. Bjos

  44. Eduardo, pai presente nem sempre quer dizer estar todos os dias junto. Se ele sente sua atenção, carinho e preocupação, isso é o que importa. Convivência nem sempre é diária, mas é preciso acompanhar de perto.

  45. Nossa muito interessante, vale a pena tirar um minutinho do tempo e ler..

  46. Publicar as fontes das pesquisas seria de muita valia para que possamos defender o conteúdo desta publicação nas redes sociais. Não que eu duvide, mas a sociedade de uma forma geral exige muito mais do que a nossa palavra.

  47. Henry, a resposta é a ausência de Deus. Também tive esse problema, e só consegui entender a situação e perdoar meu pai, quando percebi que ele estava perdido. Sem Deus no coração, o amor se esfria. Não significa que nossos pais não nos amavam, mas que não tinham a força para levar a vida. Talvez não tivessem nem amor próprio. Como amar alguém, sem antes aprender a se amar? Abraço.

  48. Cida Tabatini Não conheço sua história no detalhe, mas posso te dizer que seu marido provavelmente também sofre muito com a situação… Consegui compreender isso e perdoar meu pai. Meu pai tinha vida triste, longe de Deus, e isso fez com que ele se afastasse das pessoas que mais o amavam. O perdão é uma decisão, e independe da atitude do outro. Se seu filho decidir por isso, com certeza Deus irá curar todas as feridas que o acompanham. Abraço.

  49. Tive problemas com meu pai, mas nos perdoamos e hoje estamos bem!
    Te dou duas dicas. 1º Seja humilde e peça perdão por tudo o que aconteceu. Mesmo que tenha razão em algum aspecto, não leve isso em conta. Explique os motivos que levaram a essa situação, não para se justificar, mas para que ele conheça tenha conhecimento da história. Isso o ajudará a perdoa-lo.
    2º Ame-o com todas as suas forças. Demonstre seu amor. Talvez o coração dele esteja endurecido, mas tenha paciência, as coisas vão se acertar.
    Te indico ler esse livro: As cinco linguagens do amor – Gary Chapman. As pessoas tem formas diferentes de dar e receber amor. Talvez te ajude a compreender como seu filho percebe o amor.
    E leia também esse pequeno trecho da bíblia. Vai te inspirar.
    1 Coríntios 13
    "1 ¶ Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
    2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
    3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
    4 ¶ O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
    5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
    6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
    7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
    8 ¶ O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
    9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
    10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
    11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
    12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
    13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor."
    Grande abraço e que Deus abençoe sua família

  50. Caio Pereira vc ganhou meu like!
    Andrea, vc não ganhou nada meu…nem me deslike….kkkkkkkk

  51. Obrigado Daniela Doerner Radaelli !!!

  52. Vania Pereira disse:

    Guarda Compartilhada.. Lei aprovada recentemente justamente p/ proteger a criança dessas questões.. procure saber Saymonn.. e aplique.. pelo bem de sua filha

  53. Erika França parabens pelo comentario! homens e mulheres são diferentes e tem responsabilidades diferentes, e nem por isso um é melhor que outro!

  54. Cida Tabatini disse:

    Márcia Torssani Batistella ……ele não quis fazer…..diz que sua terapia é a sua fé em DEUS….respeitei a vontade dele…..

  55. Luiz disse:

    É muito bom sim para a formação da criança o convívio sadio com o pai, o laço é formado e ninguém pode cortar isso um amor de pai e filho, mas na maioria das vezes infelizmente como aconteceu comigo e vários outros casais que tenho visto quando se separam as mulheres ficam loucas não aceitam certas coisas e querem impor armando e fazendo de tudo para afastar o pai do filho fazendo alienação parental, se sentem vítimas e fazem um inferno na vida de todos! Ridículo isso, se apoiavam na lei falha do nosso país mas isso agora mudou com a nova lei da guarda compartilhada, abrem os olhos homens, dizem que casamento é bom quando é bom para os dois mas quando é para a mulher e para a família dela!

  56. É sempre saudável considerar que a fonte do texto, da qual surge este postulado tornando o 'amor do pai' algo determinantemente superior na personalidade de uma criança, está em outro idioma e pode conter informações truncadas. Uma leitura rápida do conteúdo livre mostra que as pesquisas utilizam um método de coleta de dados psicológicos chamado de "Parental Power and Prestige Questionnaire", que quer dizer literalmente "Questionário sobre Prestígio e Poder Parental", e que este método, assim como toda ciência que preze a inovação, vem sendo revisto, pois se baseia em entendimentos sociais sobre o que é parentalidade e sobre o modelo em declínio de núcleo familiar chefiado exclusivamente por um homem e uma mulher, isto é, a forma de criar filhos muda de lugar para lugar e de tempo para tempo e de cultura para cultura, e isso pode interferir na validade de qualquer pesquisa.

    Esse texto tem grandes evidências de que foi traduzido de outro, também em inglês, da Society for Personality and Social Psychology, conforme link: http://www.spsp.org/?PressRelease_12Jun12.

    Há uma informação no original (de 2012) que condiciona bastante o critério generalista que essa "tradução" se propôs: "children and young adults are likely to pay more attention to whichever parent they perceive to have higher interpersonal power or prestige. So if a child perceives her father as having higher prestige, he may be more influential in her life than the child's mother. Work is ongoing to better understand this potential relationship."

    Traduzindo: "Crianças e adolescentes costumam prestar mais atenção àquele parente (ou pai ou mãe) para o qual percebem ter maior poder e prestígio interpessoal. Então, se uma criança percebe no seu pai um maior prestígio, ele pode ser mais influente na vida da criança do que a mãe. Trabalhos estão sendo realizados para melhor compreender esse relacionamento potencial".

    Em inglês, "parent" significa em português "aqueles que criam, que são os parentes mais próximos". O estudo fala bastante de "parental power and prestige" que não quer dizer "prestígio e poder do PAI" apenas, mas de ambos que cuidam da criança.

    A meu ver, AMOR já é boa influência na vida de qualquer ser humano. Nivelar se o de um pai ou de uma mãe é mais influente do que o outro é reduzir o entendimento do significado de família, e do que é amar.

  57. David, a fonte da pesquisa está indicada no link presente no texto.
    Um abraço!

  58. Tenho 35 anos e não conheço meu pai. Felizmente, meu padrinho sempre se mostrou presente como figura paterna e o considero como pai. Fui criado entre católicos, depois de um tempo tornei-me agnóstico e de uns anos pra cá virei ateu. Posso afirmar a vocês que religião não forma o caráter de ninguém. Tenho um filho de 10 anos e uma esposa grávida de 2 meses. Muitas pessoas acham que quem não ama a deus não é capaz de amar ninguém. Sou ateu e amo meu filho acima de qualquer coisa. Amo o que está a caminho da mesma forma. Ser ateu não significa odiar, não significa ser satânico ou qualquer outro rótulo a nós atribuído. Apenas não acreditamos na existência de uma divindade. Aliás, para adorar o diabo é preciso crer na existência de deus. Os dois fazem parte da mesma religião, um representando o bem e o outro o mal. Não creio em nenhum dos dois e nem por isso sou incapaz de outros amores. No meu ponto de vista, a fé, ou a ausência dela, é algo individual. Como seres humanos, devemos ser capazes de aceitar nossas diferenças e viver harmoniosamente, respeitando nossas diferenças. Não quero discutir com ninguém sobre a importância da religião ou qual das diversas religiões do mundo é a realmente certa. Meu objetivo com essa postagem é apenas um: esclarecer que todos somos capazes de dar e receber amor e outros sentimentos, independentemente do que acredita ou deixa de acreditar.

  59. Mil Dicas de Mãe Eu vi agora.. pena que não ficou muito evidente 🙂

  60. Carlos Augusto da Silva Tamo junto 😉

  61. Aline Beni disse:

    Esse comentário valeu mais que o texto!

  62. Homens que foram abandonados de alguma forma pelo pai, tendem a ser melhores pais que pais normais!

  63. Saiu a nova lei da guarda compartilhada, pesquise e verás que agora é possível!
    É só levar um pedido a julgamento.

  64. Foi preciso realizar um estudo para chegar a esta conclusão? É obvio que tanto as mães quanto os pais influenciam na formação do caráter e no emocional dos seus filhos!

  65. Fantástico. Esse comentário trás mais conteudo que toda a reportagem acima. Imaginem adolescentes ou criancas que não tem o "pai" presente na vida e leem esse tio de matéria…..se já sao revoltados vao ficar mais né

  66. Grande Eider Madeiros, concordo plenamente com você.
    Amor é amor o resto não faz falta.
    E o mais importante, amor não se cobra.

  67. Eu terminei um relacionamento quando meu filho tinha 9 meses de idade, atualmente ele esta com 3 anos. Por ela ser uma pessoa problemática e instável, tive vários atritos e brigas durante esse período.
    Devido a esse fato meio que criei um barreira (repúdio) contra a presença dela e dos familiares, a única coisa que ela serve pra me ligar é pra pedir dinheiro de pensão. Não consigo ir visitar meu filho direito por causa da mãe dele e por eu estar morando em outro estado. Perdi e estou perdendo os melhores momentos do meu filho devido a mãe do meu filho, infelizmente.
    A coisa que mais queria na vida é estar presente na vida do meu filho, porque eu fui criado somente pela minha mãe e não queria que meu filho passasse pelas mesmas coisas que eu passei.

  68. Laiana Luz disse:

    Jose Paulo Oliveira, veja isso…

  69. Deveriam participar mais no cuidar criar o filho, assim a mae poderia ter um relacionamento melhor .
    mais tempo disponovel para o casal.
    assim nao teria necessidade de jogar na sargeta, uma mae com bebe de meses e alguns anos.
    A presenca a participacao e importantissimo.
    Deveriamos rever o conceito de adquirir novas familias.

  70. Meus queridos, vocês já ouviram falar nas Constelações Familiares? É uma dinâmica que trata das nossas relações sistêmicas e indico que cada um procure um bom constelador na sua cidade. pode auxiliar e muito a entender o que nos move, auxiliando assim a remover as barreiras emocionais que nos instigam a repetir os nossos antepassados através do Amor. abraços,

  71. Pier Berg disse:

    A Idiota que escreveu isso, sequer sabe traduzir direito. Deveria voltar e pedir o dinheiro da escola de inglês de volta kkkkkk

  72. Agradeço a Deus pelo pai dos meus filho,hoje dois filhos são pais,e amam muito suas filhas

  73. Luan Garcia disse:

    Mas eu creio que o intuito deste texto seja outro: o de desmistificar o pensamento, bem comum no cotidiano brasileiro, de que a mãe é mais importante na vida do filho do que o pai. Ademais, eu mesmo posso dizer que as consequências negativas da rejeição citadas no texto são verdade, infelizmente.

  74. tekka disse:

    sb o tema do tópico, eu compreendo que ainda não é comum – numericamente falando – a participação ativa do pai; ainda há mt amor ‘de longe’; o texto só fala em ‘amor’ e em ‘rejeição’; não menciona ‘ausência de cuidado paterno’, que é o que mais se vê. E se a família for homoafetiva, a chance de cuidados é maior? E se tiver só mãe, que é super comum?

    agora, querer ‘fontes’ e bibliografia em blogs e redes sociais é querer demais; nem todo artigo ‘científico’ é ‘científico’, nem toda evidência é evidente: leiam artigo da FOLHA de hoje: EVENTOS CIENTÍFICOS ‘CAÇA-NÍQUEIS’ PREOCUPAM CIENTISTAS BRASILEIROS. Há editores ‘predatórios’ que querem muuuitas publicações; quanto mais publicação, mais grana; a WASET fica nos Emirados Árabes e chancela qualquer publicação ‘científica’.

  75. Tenho sentido na pele esse tipo de rejeição meu filho só tem 4 meses.

  76. Estamos no século XXI sim, e pra gerar um filho ainda são necessários uma mulher e um homem!! Sabe pq? Pq ambas partes são de igual importância, ambas partes tem o poder de influenciar na vida do filho, de maneiras diferentes porém com mesmo impacto.
    Aliás, o choro é livre!

  77. Ivanisio M. Maciel disse:

    Este é um fato concreto. Conheço inúmeras crianças que são fruto desta realidade e teem este perfil. É triste, mas, é verdade.

  78. Marta disse:

    Tive vários problemas com meu pai na adolescência, por que ele era muito severo, mas hoje tenho absoluta certeza se ele não fosse do jeito que foi, talvez eu não tivesse tanta prudência e caráter.
    a pouco tempo me separei e deixei minhas filhas optarem com quem elas queriam ficar, respeitei a decisão delas e a mais velha optou ficar com o pai, uma vez que ela o ama e ele magoou a mim e não a elas e sei o quanto elas ainda necessita dele.

  79. cristina disse:

    Gente e quando o pai morre logo cedo e a criança é criada só pela mãe como fica? Estou nessa situação e acho meu filho bem equilibrado, mas em fim quais os problemas?

  80. Carlos Gomes disse:

    Tenho dois principezinhos, um de 5 e outro de 1 ano. São minhas vidas, foi comerciante e parte da vida do de 5 anos não vi por causa do trabalho. Hoje, fora do ramo, em casa, de férias (kkkkk), fico todo o tempo que posso com eles. O maiorzinho somos muito apegados, e fazemos tudo juntos. Não sei como vai ser quando o outro estiver maior. kkkkkk

  81. Wellington pina disse:

    Bem o pai é pouco valorizado em comparação com a mãe, já que até na justiça a guarda fica com as mães e em rarrisimas, raríssimas exceções mesmo ficam com o pai. sou pai de uma menina de 06 anos Meg esse é o nome dela, sou divorciado pedi divorcio a minha ex então já viu, um homem pedir divorcio é também incomum, as mulheres pedem divórcio. A justiça como sempre fazendo justiça. Seu contracheque como se todo pai fosse irresponsável com seus filhos algumas mães usando os filhos para punirem seus ex maridos. Na justiça nada anda e nada é feito em favor do pai, tenho amigos passando pela mesma situação. Ela é lenta e totalmente imparcial a guarda é da mãe. ela pode viajar com seu filho no meu caso filha sem sua permissão a não ser para viagens internacionais e sem te avisar e nada acontece. Meus parabens a justiça brasileira como sempre sendo imparcial e totalmente eficiente.

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail