O mel é permitido na gravidez? O mel pode prejudicar uma mulher grávida ou um bebê? O consumo de mel durante a gravidez apresenta algum risco? Existe algum tipo de reação alérgica? Confira!

Grávida com mel

Grávida com mel – Foto: Freepik

O mel funciona bem para a saúde e a beleza. Pois acalma irritações, cura resfriados e melhora o humor.

Mel na gravidez – benefícios

Alguns especialistas recomendam o mel na gravidez, alegando que não é apenas uma bomba vitamínica e nutricional, mas também um remédio para alguns males da gravidez (náuseas, vômitos, azia).

Publicidade
Pote de mel

Pote de mel – Foto: Freepik

O mel, além de frutose e glicose, ou seja, açúcares simples, contém muitas vitaminas e minerais, que funcionam muito melhor do que os suplementos artificiais recomendados.

Além disso, o mel na gravidez protege as mulheres contra doenças porque tem um efeito bactericida.

Durante a infecção, o mel acalma a irritação e a dor de garganta, supostamente ajuda a aliviar a tosse, embora isso não seja comprovado cientificamente.

Além disso, o mel na gravidez, como já mencionado, tem um grande efeito nas doenças da gravidez, como náuseas e vômitos.

Durante a gravidez, as mulheres costumam sofrer de anemia e o mel é um produto rico que pode prevenir isso, claro, não se deve esquecer de uma alimentação balanceada e saudável neste momento.

Publicidade

Resfriados durante a gravidez

Chá de limão, mel e gengibre

Chá de limão, mel e gengibre – Foto: Freepik

Durante a gravidez, o corpo da mulher está particularmente exposto a todos os resfriados e infecções. Mas para evitá-los, deve-se consumir bebidas e produtos à base de ou com adição de mel. Assim, uma ótima solução é beber água morna com mel, limão e gengibre duas vezes ao dia.

Náusea

Aparece rapidamente e pode ser muito incômoda, tirando a alegria da gravidez. Mulheres grávidas com queixas de náuseas devem beber chá quente com mel e gengibre. O mel apoia perfeitamente o sistema digestivo e tem um efeito positivo no metabolismo.

Azia

A azia na gravidez é um problema muito incômodo e, muitas vezes, difícil de combater. Principalmente quando, devido ao estado da mulher, ela não pode tomar medicamentos.

Vinagre de maça e mel

Vinagre de maça e mel – Foto: Freepik

Já nos primeiros sintomas de azia, é recomendado beber água morna com adição de vinagre de maçã e mel. Assim, essa mistura pode ajudar efetivamente a lidar com o problema incômodo.

Publicidade

Além disso, o mel natural de abelha é uma ótima alternativa aos fármacos e permite cuidar da saúde da gestante de forma natural e não invasiva.

Mel na gravidez fortalece o sistema imunológico

Graças ao efeito dos antioxidantes, algumas doenças são prevenidas.

Mel na gravidez tem propriedades antimicrobianas

Possui propriedades essenciais para combater infecções que causam gripe e dores de garganta.

Propriedades anti-inflamatórias e antivirais

Grávida tossindo

Grávida tossindo – Foto: Freepik

O mel é um bom supressor da tosse, graças ao seu efeito calmante na irritação da garganta.

Cura úlceras

Antes de tudo, o consumo regular de mel reduz o crescimento das bactérias responsáveis ​​pela formação de úlceras.

Melhora a saúde do couro cabeludo

Novamente graças às suas propriedades anti-inflamatórias, ajuda a combater a caspa e a coceira com a aplicação local de uma mistura de mel e água morna.

Reduz alergias

Isso só se aplica ao consumo de mel local, que contém pólen presente na área. O consumo regular pode tornar o corpo imune ao pólen e, assim, aliviar as alergias sazonais.

Comer mel na gravidez – quais os riscos?

Favos de mel – Foto: Freepik

O mel aumenta os níveis de açúcar no sangue e reduz a sensibilidade à insulina. Além disso, uma grande quantidade de mel pode causar diarreia, constipação ou flatulência e ganho excessivo de peso. Portanto, se você gosta de mel, use com moderação.

Escolha sempre mel pasteurizado. Pois o mel não pasteurizado é considerado potencialmente perigoso durante a gravidez devido ao risco de botulismo. Alguns especialistas se preocupam com o conteúdo dos esporos botulínicos, que podem liberar toxinas.

As contraindicações do consumo excessivo de mel na gravidez

Como acabamos de mencionar, o mel é uma substância açucarada e seu consumo excessivo pode ser um problema, especialmente na gravidez.

Mel na tigela – Foto: Freepik

Na verdade, causa uma  sensibilidade à insulina agravada, porque o mel aumenta os níveis de açúcar na corrente sanguínea e piora nossa resistência à insulina, especialmente quando o limite de 25 gramas de frutose por dia é excedido.

Também pode causar cólicas estomacais, constipação, distensão abdominal e, em alguns casos, até diarreia.

Em geral, a ingestão excessiva de mel leva nosso organismo à acidificação, retardando o processo digestivo, mas também o aparecimento de  cáries dentárias  e ganho de peso.