Cólica na gravidez é normal? Quando procurar ajuda?

Por 0 Comentários


Quando falamos sobre as sensações mais comuns da gravidez, muita gente pensa em inchaços pelo corpo, vontade constante de fazer xixi e, claro, os tão famosos enjoos. Contudo, alguns sintomas pouco falados são tão comuns quanto esses – caso da dor de cabeça, da prisão de ventre e até mesmo da distração e esquecimento, que ficam mais frequentes durante os meses de espera do bebê. E tem outro nessa linha também, sobre o qual vamos falar hoje: as cólicas. Você sabia que cólica na gravidez é normal? É isso mesmo: por mais que nossa menstruação cesse durante a gestação, também sentimos o desconforto nesse período. A seguir eu te conto por que isso ocorre, além de mostrar quando a cólica é normal e quando se trata de um sinal de alerta. Vem ver!

Veja também: O livro de gravidez do ano, que é sucesso entre as grávidas!

Imagem: 123RF

Quando a cólica na gravidez é normal?

Durante a gestação, o corpo da gestante passa por diversas mudanças. Entre elas, é claro, está o crescimento do útero. Nesse processo, os ligamentos que sustentam o órgão se distendem (para dar lugar ao bebê) – e geralmente é por esse motivo que as cólicas ocorrem. Muitas mulheres relatam sentir cólicas leves no início da gravidez, na parte debaixo da barriga ou na virilha (e pode ser mais intensa ao mudar de posição), um sinal da adaptação do útero. Portanto, nesses casos a cólica na gravidez é normal, sim.

Outros motivos que levam ao sintoma (e com os quais você não precisa se preocupar) são o acúmulo de gases e a prisão de ventre. O que acontece é que, durante a gestação, a digestão fica mais lenta, comprometida pelos hormônios. Essa diminuição do ritmo pode desencadear gases e dificuldade para ir ao banheiro o que, por sua vez, desencadeia cólicas (no caso intestinais, mas que frequentemente são confundidas com as uterinas).

A cólica na gravidez é normal também quando ocorre durante ou depois de um orgasmo e, ainda, nas contrações de parto. Neste último caso, algumas mulheres sentem, bem antes da data esperada para o bebê nascer, as chamadas contrações de treinamento (de Braxton Hicks), que dão a sensação de cólica e endurecimento da barriga (mas que não induzem ao trabalho de parto).

Portanto, o mais comum é sentir cólicas especialmente no início da gestação, pela adaptação do corpo ao bebê, ou no fim, por conta das contrações.

Veja também: Probióticos na gravidez: como eles podem ajudar a saúde de mãe e filho.

E quando não é?

Apesar de na maioria dos casos a cólica na gravidez ser normal, atribuída aos sintomas citados acima, o desconforto, se intenso e frequente, pode ser indício de complicações. Fique atenta caso a cólica inicie em um lado só e, depois, se espalhe por toda a barriga, além de vir acompanhada de sensibilidade, dor aguda e sangramento vaginal. Esses sintomas podem indicar parto prematuro, aborto espontâneo, descolamento de placenta ou um quadro de gravidez ectópica (que é quando o óvulo é implantado fora do útero, e a gestação normalmente não segue adiante). Pedra nos rins, infecção urinária, cálculos biliares e miomas são alguns outros exemplos de complicações em que as cólicas fazem parte dos sintomas.

Veja também: 5 drinks deliciosos liberados para a gravidez e amamentação

Dicas sobre cólica na gravidez

O ideal para saber se está tudo bem ou se chegou a hora de procurar um médico é observar se a cólica melhora a partir de medidas que já estamos bem acostumadas a tomar, por conta das cólicas menstruais: bolsa de água quente, hidratação, chás, repouso. Também é importante que você converse com o seu obstetra para que ele indique um analgésico para tomar nesse momento (não se automedique, pois nem todos os medicamentos são seguros para as gestantes). Porém se, mesmo com todas essas medidas, a dor persistir, procure atendimento, combinado?

Quer saber onde encontrar informações super úteis sobre gravidez? Veja o vídeo a seguir:


 



Arquivado em: GravidezSaúde Tags:

Deixe seu comentário