Vamos falar sobre quais sensações de um bebê no útero. Ele aprende parte das informações sobre o mundo enquanto ainda está sob sua proteção direta.

Muitas pessoas sabem que o feto reage às emoções da mãe. As mulheres grávidas costumam ouvir conselhos para evitar o estresse, não ficar nervosa e não incomodar o bebê.

É tão importante manter total paz de espírito durante a gestação? As emoções são acompanhadas por uma onda de hormônios que passam pela corrente sanguínea até o bebê.

Mas isso não significa que você deva reprimir a raiva, o ressentimento ou a raiva durante a gravidez. Ao experimentar toda a gama de emoções, você estabelece a base para a inteligência emocional de seu bebê. É importante não ficar com raiva ou insistir no negativo.

Publicidade

Além das vivências maternas, a criança no útero é capaz de “próprias” sensações associadas a uma realidade ainda desconhecida para ela. E algumas dessas sensações podem surpreendê-lo. Vamos descobrir juntos o que o feto sente.

1 – Sabor

A partir da 10ª semana de gravidez, o embrião consegue sentir o sabor. Ele tem uma ideia disso por meio do líquido amniótico, que a essa altura começa a engolir.

2 – Ondas sonoras e vibrações

39 semanas de gravidez

Foto: Dreamstime

A partir da 20ª semana de gravidez, o feto começa a distinguir as ondas sonoras.

Até ele distinguir entre os sons individuais, seu sistema nervoso ainda não está adaptado a isso. Mas o bebê já capta as vibrações e vibrações.

3 – Música

Na 23ª semana, o aparelho auditivo fetal é formado. Ele começa a distinguir entre música, vozes, ruídos da rua e outros sons.

Publicidade

O bebê se lembra de repetir sons ou melodias regularmente enquanto ainda estava no útero.

4 – Vozes e língua materna

O feto, a partir da 23ª semana de gravidez, ouve e lembra as vozes dos futuros pais. Durante os testes realizados na Universidade de Nova York, a psicóloga Atena descobriu que os recém-nascidos preferem ouvir a fala humana mais do que outros sons. Eles são capazes de reconhecer sua língua nativa e as vozes de seus pais.

5 – Sons do corpo da mãe

38 semanas

Foto: Dreamstime

Lá dentro, o bebê pode sentir sua respiração. É constantemente acompanhado pelas batidas do seu coração. Ele e os sons da respiração tornam-se a base da segurança. É por isso que o recém-nascido é colocado no peito da mãe.

Nas próximas 3-4 semanas após o nascimento, é extremamente importante pegar o bebê com mais frequência e pressioná-lo na área do coração.

Seu bebê também ouve o ronco de seu estômago e intestino.

Publicidade

6 – Luz brilhante

A partir da 15ª semana de gravidez, o feto começa a distinguir entre claro e escuro. Isso é semelhante à nossa percepção da luz quando acordamos, mas ainda deitamos com os olhos fechados.

Aqui, um sol brilhante apareceu por trás das nuvens e depois desapareceu novamente. Neste momento, os olhos do feto ainda não estão abertos. Isso acontecerá em 20-22 semanas.

7 – O bebê no útero e  o toque

37 semanas de gravidez

Foto: Dreamstime

No terceiro trimestre, o bebê sente o toque da barriga da mãe. Traços agradáveis ​​trazem emoções positivas.

8 – Cheiros

No decorrer da pesquisa, verificou-se que simpatias e antipatias por certos aromas se formam ainda na fase de desenvolvimento intrauterino. A formação do olfato começa a partir da 7ª semana de gravidez. E a cada semana subsequente, a gama de cheiros percebidos pelo feto aumentará.

Claro, o bebê não conhece o mundo dos aromas diretamente. Ele percebe a composição química do ar que você respira. Se o cheiro faz você se sentir bem, as endorfinas irão avisar seu bebê sobre isso. Se negativo – cortisol e K ° reportarão.

Como resultado, após o nascimento, a criança, sentindo este ou aquele cheiro, pode “lembrar” suas emoções e “reproduzi-las”. Ou seja, um cheiro agrada o bebê, mas ele não gosta do outro.

9 – O bebê no útero e o calor

26 semanas

Foto: Dreamstime

O feto é capaz de sentir o calor. Mas os picos de temperatura são perigosos para ele. Uma temperatura constante é importante para o desenvolvimento normal. É praticamente inalterado tanto no futuro bebê quanto no líquido amniótico ao seu redor.

10 – Explosões hormonais

A liberação de hormônios fora de controle é uma característica de todas as mulheres grávidas. O corpo está se reconstruindo, preparando-se para a missão da gestação e do nascimento, os picos hormonais são parte integrante do processo. E o bebê os sente muito sutilmente e reage a eles.

Bebê no útero: comunicação durante a gravidez

feto 27 semanas

Foto: Dreamstime

No terceiro mês de gestação, o bebê no útero já está formadinho dentro da barriga (só precisa crescer, é claro) e seu aparelho auditivo é capaz de perceber sons.

Além dos barulhos internos do organismo da mãe, ele também consegue ouvir o que vem de fora – por isso você pode (e deve!) conversar com o filhote, que ele vai te escutar. Incentive o papai e os outros irmãos a fazerem o mesmo, pois nessa fase a criança é capaz de distinguir diferentes vozes.

E olha só esse segredinho: quando a mãe se sente bem (em situações em que relaxa e sente prazer), ela libera determinadas substâncias no corpo (como a ocitocina, o chamado hormônio do amor) que chegam até o feto – e, consequentemente, ele também é beneficiado por seus efeitos.

Por isso é que esses momentos de conversa fazem bem à criança: geralmente as situações em que a mãe fala com o pequeno ou canta para ele são aquelas em que está mais relaxada, assim como quando ela ouve uma música de que gosta (portanto não existem regras quanto a estilos que mais agradem os bebês – o que a mãe se sentir bem ouvindo, é o pequeno se sentirá também).

Mas lembre-se de que o mesmo vale para sons que são desagradáveis para a mãe. Ou seja, se ela ouvir algo irritante e se sentir incomodada, como barulhos estridentes, o filhote também terá essa percepção.

Bebê no útero: o que ele sente?

feto 23 semanas

Foto: Dreamstime

O filhote também sente a frequência cardíaca e respiratória da mãe. Assim, quando seu coração bate mais rápido ou a respiração fica mais forte (como durante a prática de atividades físicas), ele sente.

Outra situação perceptível para o bebê é quando os pais estão fazendo sexo (mas não se preocupe com isso, pois o fato é sentido positivamente!).

A prática só faz bem para ele: além da mãe sentir prazer (e liberar os hormônios benéficos que ele também recebe), o pequeno recebe mais nutrientes, porque o fluxo sanguíneo na região genital e no útero fica mais intenso pela excitação sexual.

Ainda dentro da barriga, a criança sonha (por isso também que é importante conversar com ela para mantê-la relaxada, pois os sonhos refletem como foi “o dia” dela), boceja e chupa o dedo.

E, claro, ela também se mexe, em ritmo que irá aumentar gradualmente (os famosos chutes são mexidas do pequeno, que, em geral, começam a ser sentidas por volta da vigésima semana de gravidez e costumam ser mais intensas depois que a mãe come, já que o filhote fica com mais energia após as refeições).