Você sabe o que é o método Baby Led Weaning (BLW)? Neste post você aprenderá tudo sobre o assunto.

Até os seis meses de vida, os bebês devem se alimentar exclusivamente de leite materno, que supre todas as suas necessidades nutricionais.

Depois disso, alimentos podem (e precisam!) ser introduzidos no cardápio infantil, que, aos poucos, vai sendo enriquecido com tubérculos, leguminosas, verduras, frutas, carnes, até que o filhote passe a comer todos os grupos alimentares. E como realizar a introdução dos sólidos, afinal?

Sobre o processo convencional, nós já conversamos nesse post aqui. Mas, atualmente, ao invés de oferecer papinhas aos pequenos, muitos pais têm optado por seguir o método Baby Led Weaning (BLW). Esse método incentiva as crianças a comerem sozinhas desde pequenas, sem o auxílio de talheres. Achou a ideia interessante?

Publicidade

Então, vem saber um pouco mais sobre o assunto e ver os prós e contras dessa escolha!

 

bebê comendo sozinho

bebê comendo sozinho. Foto: freepik

O que é o método BLW?

O BLW é uma técnica que vem ganhando cada vez mais adeptos no mundo todo. Apesar de ser antigo, o método ganhou destaque porque apareceu no livro “Baby-led Weaning: Helping Your Baby to Love Good Food” (em tradução para o português, Desmame Guiado pelo Bebê: Ajudando Seu Filho a Amar Boa Comida), de Gill Rapley – uma britânica ligada à área da saúde.

A ideia geral é a seguinte: aos seis meses de vida, quando o bebê geralmente começa a se alimentar com papinhas, os pais devem incentivar o filho a comer sozinho alimentos sólidos. E quando cortados em pequenos pedaços, poderão ser levados à boca facilmente, sem a ajuda de talheres.

Assim, a criança terá a oportunidade de vivenciar uma experiência diferente com a comida: ela poderá sentir a textura, observar as cores e identificar os diferentes sabores de tudo o que ingere (o que dificilmente acontece quando ela se alimenta com papinhas).

Publicidade

Além disso, o pequeno também conseguirá participar das refeições em família desde cedo – como qualquer outro integrante da casa. Consequentemente, ajudará no processo de sociabilização.

pai observando o bebê comer sozinho

pai observando o bebê comer sozinho. Foto: freepik

Benefícios do método BLW

Essa forma de introduzir alimentos sólidos traz alguns benefícios para o desenvolvimento dos pequeninos. O BLW estimula a autonomia, já que a criança poderá se alimentar sozinha e descobrir, aos poucos, o que mais agrada seu paladar.

A coordenação motora também é outro fator positivo trabalhado pela técnica. Mas, se você decidir que quer introduzir alimentos no cardápio do seu filho por meio do BLW, deve prestar atenção a alguns fatores: é importante estar sempre perto da criança enquanto ela come, observando-a (para evitar incidentes).

Também é essencial certificar-se de que o bebê está sentado corretamente na hora das refeições. Você pode oferecer ao seu filhote praticamente tudo o que sua família come (alimentos de todos os grupos). Só tire do cardápio sementes, castanhas, frutas com caroço e alimentos que oferecem riscos, como o de engasgar.

Para facilitar o processo, pique bem as comidinhas – cenouras em palitinhos, por exemplo, fazem sucesso entre a criançada.

Publicidade
bebê pegando o alimento

bebê pegando o alimento. Foto: freepik

O que pediatras recomendam sobre o BLW

Apesar dos pontos favoráveis, esse tipo de método não é elogiado por todos. Em geral, os pediatras recomendam que a alimentação infantil seja introduzida aos poucos: começando primeiro com comidinhas pastosas, para depois partir para as sólidas (é como se, gradativamente, a capacidade de deglutição de novos alimentos fosse sendo trabalhada).

Entretanto, muitas mães percebem que seus filhos são capazes de mastigar aos seis meses de vida – por isso, acabaram se adaptando ao BLW.

Se você tem interesse nessa técnica, leia bastante a respeito e converse com o médico do seu filho, para saber sua opinião (seu conhecimento será um bom “termômetro” para identificar se seu filho está preparado para o método).

Outro ponto que também é alvo de críticas é a bagunça que surge na hora das refeições (como ainda são pequenas, as crianças acabam se sujando e atirando alimentos no chão). Essa realmente é uma consequência do método e, mesmo assim, muitos pais acabam virando adeptos dele, porque acreditam que há mais pontos positivos do que negativos.

Caso o Baby Led Weaning seja a sua escolha, lembre-se de não repreender a criança ou apressá-la. Afinal, o objetivo do BLW é realmente deixar que o pequeno coma sozinho, no seu tempo. Para diminuir a sujeira, vale colocar um babador no filhote e, se for possível, forrar o chão onde fica o cadeirão com um pedaço de plástico.

Uma boa dica é pensar com calma sobre o assunto e perceber se seu filho reagiu bem à técnica ou não: cada criança é única, e cabe a nós, mães, respeitar e amar suas escolhas!

bebê em consulta com o pediatra

bebê em consulta com o pediatra. Foto: freepik

Nutrição

É importante introduzir alimentos sólidos por volta dos 6 meses porque o leite materno ou a fórmula por si só não fornecem quantidades adequadas de nutrientes importantes como ferro e zinco.

Níveis baixos de ferro e zinco podem levar ao comprometimento do crescimento, do desenvolvimento motor e cognitivo e da função imunológica. Daí a importância de prestar atenção a esses nutrientes importantes.

Comer alimentos inteiros durante o desmame conduzido pelo bebê tem o potencial de ser muito rico em nutrientes quando comparado com alguns alimentos infantis caseiros ou comerciais que às vezes os pais diluem.

Uma das críticas ao desmame conduzido por bebês, no entanto, é que, como o bebê está no controle de sua alimentação (em vez de um adulto estar no controle), ele pode não comer o suficiente para se desenvolver. Mas um estudo comparando o IMC de bebês desmamados com um grupo de bebês alimentados com purês não encontrou diferença no peso corporal ou no crescimento.

Também não há evidências de que qualquer um dos grupos consiga universalmente mais ferro em comparação com outro. Então os pais não precisam necessariamente se preocupar com isso se estiverem em sua curva.

Alimentos para BLW que são uma excelente fonte de ferro para bebês incluem cereais fortificados com ferro, carnes, ovos, batata-doce e beterraba, para que você possa se concentrar em servi-los.

bebê comendo papinha

bebê comendo papinha. Foto: freepik

Envolvimento durante a hora das refeições em família

As principais características do desmame liderado pelo bebê são que o bebê fica com a família durante as refeições e têm as mesmas opções de refeições (em peças adequadas, sem sal ou açúcar).

O bebê pode então se autoalimentar usando as mãos, uma colher ou outra ferramenta de autoalimentação como uma “colher de dádiva”. Com o tempo, os bebês podem aprender, assim como nós, que comer reduz a fome e se adaptarão às novas rotinas alimentares com a família.

Melhora a destreza

Uma das maiores vantagens do desmame conduzido por bebês é que ele permite que os bebês tenham maior destreza ao se alimentarem sozinhos. Eles desenvolvem uma melhor coordenação mão-olho que leva à independência e menos microgestão dos pais durante a hora das refeições. Ganhando!

Melhora as habilidades motoras orais

O desmame conduzido por bebês pode ajudar a melhorar as habilidades motoras orais à medida que aprendem a criar um bolo (bola de comida) e engolir.

Quando um bebê come um novo alimento, o reflexo da língua o força a lamber e saborear o alimento. Com prática e exposição contínuas, os bebês aprendem a mover a língua de um lado para o outro, da mesma forma que fazemos quando comemos.

bebê comendo brócolis

bebê comendo brócolis. Foto: freepik

Melhora o paladar

Os bebês que foram alimentados com o desmame conduzido por bebês têm menos probabilidade de serem exigentes. Isso porque são expostos a diferentes texturas e sabores de alimentos desde uma idade mais jovem.

Uma vez que muitos alimentos exigentes giram em torno de problemas de textura, a introdução de uma ampla variedade no início pode ajudar a minimizar isso no futuro.

Menor risco de obesidade

Falamos o tempo todo sobre a importância da alimentação consciente para os adultos, por que não desenvolver essas mesmas habilidades nos bebês? Um estudo nesta área descobriu que bebês BLW tinham um risco menor de obesidade porque eles podiam praticar a autorregulação desde uma idade mais jovem.

Como resultado, eles podem se tornar mais conscientes sobre seus sinais de saciedade e podem usar essas habilidades mais tarde na vida.