Quando você vira mãe, descobre que não sabia uma infinidade de coisas, sobretudo sobre a maternidade! Você percebe que suas noites de sono eram MARAVILHOSAS, que você não dava o devido valor a comer a comida quente, que birra não tem lugar ou hora para acontecer! E mais: você descobre que sua mãe tinha absoluta razão em várias coisas que dizia (e sobre as quais você pensava: “será que ela não pode ser um pouquinho mais moderna? Será que não dá para reclamar menos? Ela adora fazer tempestade em copo d´água!”). O mais engraçado é que o tempo passa e você se pega falando EXATAMENTE as mesmas palavras. Às vezes eu levo até susto, porque tenho a impressão de que estou apenas “dublando” as frases dela!

Veja só e no final me diga: você não acha que já ouviu isso em algum lugar?

– Você não vai sair sem levar uma blusinha! (mesmo que esteja um calor de 30 graus!)

– Meu ouvido não é penico! (onde é que se compra um protetor auricular? Durante a fase dos “terrible two” ele é item mais do que necessário!)

Publicidade

– Quantas vezes vou ter que repetir? (pelo jeito, cerca de 4.569!)

– Você sentiu saudades? (mesmo que só tenha ficado meia hora fora de casa!)

– Eu não estou chorando, é que um cisco entrou no meu olho (ah, sei…)

– Amanhã é segunda-feira, graças a Deus! (segunda-feira é o dia de mãe descansar do fim-de-semana, minha gente!)

– Ou você me obedece, ou… (complete como quiser. Aqui em casa, atualmente, termina com: as Barbies vão passar uma semana em cima do armário!)

– Quem fez isso com você? (de um simples arranhão a um coração partido, não importa: é uma pessoa morta até o fim do dia!)

Publicidade

– Não foi você quem começou, ou foi? (só para garantir que não vai comprar briga à toa!)

– Será que eu posso ficar sozinha no banheiro?! (nem aqui eu tenho sossego?)

– Biscoito, agora? Nem pensar, é hora do jantar!

– Vem comer, que está esfriando! (vou falar pela décima vez!!!)

– Anda, diz bom dia para o seu avô! (por que é tão difícil aprender bons modos?)

– Cadê sua avó que não atende o telefone? (na hora que o bicho pega, para quem mesmo você liga?)

Publicidade

– Um dia você vai ter um filho e vai me entender (e olha que Catarina só tem 3 anos e já ouve isso, minha gente!)

– Cadê seu pai? (pelo amor de Deus, alguém pode ficar 5 minutos com essa criança para eu simplesmente fechar os olhos?)

– Pergunta para o seu pai (quando você precisa de alguém para dividir a responsabilidade pelo sim ou pelo não que o filhote vai receber como resposta!)

– Melhor arrumar essa bagunça antes que seu pai chegue! (aliás, melhor para você e para mim também, que deixei você espalhar massinha na casa inteira!)

– Não, porque não! (traduzindo – tem coisas que você só vai entender daqui a algum tempo; por enquanto é não e ponto final!)

– Você me respeita, menina, que eu sou sua mãe!

coisas

Olha a cara de quem não quer escutar!
Fotografia: Fernanda Ghitnic

E você, repete alguma frase da sua mãe? Deixa nos comentários e engrossa o coro!