Se você ainda está grávida, prepare-se para um dos maiores questionamentos que a maternidade traz: como fica minha vida profissional depois de ser mãe? Dá para voltar a trabalhar como antes? Vale a pena manter a atividade profissional? E se você já é mãe, provavelmente vai concordar comigo que o último mês da licença maternidade é de um profundo aperto no coração – dá vontade de largar tudo e ficar só com o filhote (mas aquele seu outro lado pode estar louco para voltar a sair de casa, encontrar os colegas de trabalho, falar sobre qualquer coisa que não seja fralda, amamentação, refluxo, cólicas…). A dúvida é antiga (já vivida por algumas gerações de mães no nosso país), mas ao mesmo tempo muito atual, e por isso mesmo uma pergunta frequente que recebo das leitoras aqui do blog. Afinal, dá para conciliar trabalho e maternidade?

Devo contar então minha experiência pessoal a vocês, não para que seja usada como modelo, mas apenas como um ponto de partida para você, mãe (ou futura mãe) que está do outro lado da tela, pensar sobre o assunto. Como vocês sabem, sou dentista por formação, e até a escolha da minha profissão foi feita pensando em ter filhos um dia. Não, não foi à toa que escolhi uma profissão liberal: eu queria poder trabalhar meio-período durante uma parte da minha vida (modelo, aliás, que herdei da minha mãe, que é médica e que trabalhou dessa forma até que a caçula tivesse quase dez anos). Se estou feliz em trabalhar dessa forma hoje? Sim, acho que é uma ótima opção para quem pretende se manter ligada à carreira e ter um tempo maior para ficar com os filhos. Mas é claro que tem seu preço: um orçamento mais apertado, um carro simples com trocas menos frequentes na garagem, saber que aquela blusinha linda do shopping pode não caber na conta do cartão desse mês… Não existe milagre: trabalhar fora só metade do dia significa que você vai ganhar menos, e terá que encontrar formas de gastar menos também. Ah, e não existe moleza: no outro período que você está em casa, você não fica de pernas para o ar (a não ser que você tenha babá, aí a história é outra!); é a mãe sendo requisitada o tempo todo!

Mas pode ser que você tenha optado por uma profissão em que a alternativa do meio-período não seja real. Aí talvez a dúvida seja ainda maior (ou não! Se você estiver feliz trabalhando o dia todo fora, tem mais é que seguir em frente!). “Largo a carreira para ficar em casa? Mando o filhote para um berçário e volto ao trabalho logo depois da licença acabar? Contrato uma babá para ficar com ele em casa?” Claro que cada uma de nós opta por um modelo, dependendo das condições disponíveis para sua família. Às vezes uma das avós pode ficar com o filhote, ou talvez você seja professora e possa levar seu filho para a mesma escola. Mas e se o coração falar mais alto e você decidir ficar por conta do filhote? Se for o seu desejo mais íntimo e se houver suporte para que você siga esse caminho, tenha coragem! Conheço algumas mães que deixaram seus empregos, passaram uma década fora do mercado de trabalho e hoje voltaram com pique total!

Publicidade

E como outra alternativa existe a possibilidade do empreendedorismo materno, claro! É cada vez maior o número de mães que opta por abrir seu negócio. Não, não é fácil se organizar para ser mãe e trabalhar no mesmo ambiente, mas há muitas mulheres que não trocariam essa vida por nenhuma outra! Será que não está na hora de você resgatar algo que saiba fazer? Quer ver uma lista de possibilidades para quem quer ganhar dinheiro trabalhando por conta própria?

* Aulas particulares: de matemática, de inglês, de português (até mesmo para estrangeiros, por que não?). Divulgue entre os amigos e no bairro onde você mora!

* Artesanato: bijuterias, produtos para bebês, lembrancinhas de maternidade, batizado, festas em geral. Além de vender para os conhecidos, você pode montar uma loja virtual!

* Fotografia: tem o dom de proporcionar cliques inesquecíveis? Uma boa câmera de investimento e uma divulgação eficiente e você pode começar a fotografar mil eventos por aí, desde festas infantis até books de bebês!

* Cozinha: sabe fazer doces, bolos, salgados? Procure locais de venda no seu bairro, converse com os amigos – às vezes alguém tem um contato quente para você -, monte uma loja virtual!

* Consultoria: você tem um profundo conhecimento adquirido sobre um assunto? Venda isso! Seja uma consultora de moda, de RH, e até mesmo de maternidade!

Publicidade

Pois é, o assunto é interessante e extenso! Hoje eu fico por aqui, mas se você quiser saber um pouco mais sobre empreendedorismo materno, prometo um novo post para os próximos dias!