Com certeza, os primeiros chutes do bebê na barriga da mãe são um momento único e especial, com uma sensação indescritível, que só quem vive sabe explicar! Mas você sabe mais sobre esses chutes? O que eles são exatamente? Veja a seguir!

Primeiramente, os chutes do bebê são os movimentos feitos por ele na barriga da mamãe, que ocorrem normalmente a partir do quarto mês de gestação, a partir da 18ª semana de gravidez. Claro que isso não é regra!

Os chutinhos são um ótimo sinal, afinal são indicadores de que o bebê possui um excelente estado de saúde e estão relacionados com o desenvolvimento e o crescimento do bebê. Ufa!

Continue a leitura e veja o que está por trás desses movimentos.

Publicidade
 chutes do bebê

Mulher grávida segurando sua barriga, de lado. Crédito da foto: Freepik

Afinal, o que motiva os chutes do bebê na barriga da mamãe?

Quando a mãe pode sentir os chutes do bebê?

Desde o início da gestação, a atividade fetal é intensa no útero da gestante. Porém, nas primeiras semanas, como o feto é muito pequeno, os movimentos do bebê na barriga da mãe são imperceptíveis.

Isso tende a se intensificar até o momento em que o bebê está pronto para nascer. E, claro, se não acontecerem, é sinal de alerta para a mamãe.

Portanto, é normal que os bebês chutem mesmo… E a futura mamãe pode começar a notar os movimentos do bebê ao mudar de posição, esticar-se ou tranquilamente ao descansar.

Isso porque o bebê aproveita esses momentos para golpear com os braços e as pernas a parede do útero materno com períodos de atividade e descanso.

Publicidade

Com o avanço da gestação, a atividade se concentra em determinados momentos do dia, por isso podem ser bastante previsíveis.

Além disso, o movimento do bebê está influenciado pela alimentação da mãe e é estimulado pelo consumo de doce. Durante esse processo, se produz um aumento da glicose no sangue materno, que passa para o bebê através da placenta e que anima o bebê a se mover ritmicamente e por períodos curtos de tempo.

Quando o embrião mede somente uns poucos centímetros, flutua no ventre materno, se balança e gira no líquido amniótico. À medida que vai crescendo, os movimentos fetais são cada vez mais precisos.

Todos os movimentos que o bebê realiza, exige coordenação entre a espinha dorsal, a cabeça e os ombros. Os movimentos do futuro bebê não implicam em nenhum perigo para ele e constitui um bom treinamento para ele e o líquido amniótico o protege.

Um dos mitos mais difundidos é que durante as últimas semanas o bebê deixa de se movimentar, mas é por causa da falta de espaço e os movimentos ficam mais pausados, ainda que siga plenamente ativo no ventre da mãe.

Então, resumidamente, a movimentação fetal acontece da seguinte forma:

Publicidade
  • 7ª semana – a atividade é imperceptível. O bebê se vira de lado, faz movimentos involuntários. Isso significa que ele está se alimentando bem e que o oxigênio chega corretamente na placenta.
  • 9ª a 14ª semanas – a criança já soluça, vira a cabeça, leva as mãos ao rosto, abre a boca e se estica. A partir da 11ª semana, ela começa a bocejar e mexer os olhos. Todos esses movimentos ainda não são capazes de atingir a parede do útero, então, são percebidos apenas no exame de imagem, como o ultrassom.
  • 15ª e 20ª semanas – o bebê começa a crescer, fazendo com que a mamãe comece a sentir os “chutes”. Alguns deles são bem fortes!
  • 20ª e 24ª semanas – a atividade é menos intensa durante o dia. Geralmente, nessa fase, o bebê fica mais enérgico quando a mamãe repousa, ou seja, à noite.
  • 24ª e 27ª semanas – a atividade fetal é constante e brusca. O bebê se mexe bastante e isso é perceptível na barriga da gestante.
  • 29ª semana – os movimentos ficam menos bruscos. Isso se dá porque o espaço dentro do útero fica menor. Nessa fase, a criança, geralmente, dorme em uma parte do dia e fica agitado na outra.
  • 33ª semana – nessa etapa, as atividades são menos frequentes, porém se tornam dolorosos.
  • 36ª semana – o bebê começa a se encaixar na pélvis para poder nascer.

Como identificar os chutes do bebê na gravidez?

Ainda que o bebê comece a se movimentar no interior do útero desde a sétima ou oitava semana da gestação, geralmente os primeiros chutes do bebê começam a ser notados entre a semana 16 e 22 da gravidez, se for o primeiro filho.

Já as mães de primeira viagem podem demorar mais tempo para reconhecer os primeiros movimentos do seu bebê porque os confundem com gases ou outros movimentos estomacais.

Por outro lado, as veteranas são capazes de distinguir melhor esses sutis chutes graças à experiência anterior. Além disso, as mulheres muito magras podem sentir os movimentos do bebê mais cedo e mais frequentemente do que as gordinhas.

Algumas mães descrevem essa sensação como milhos de pipoca estourando, um peixe nadando de um lado para o outro ou uma mariposa batendo as asas na sua barriga.

Com que frequência se deve notar os movimentos do bebê?

Durante o segundo trimestre, os chutes são pouco frequentes e ocorrem de maneira espaçada de tempo. No entanto, não existe um padrão fixo para medir os movimentos do bebê. Uma vez que começam a sentir com regularidade, os ginecologistas recomendam observar sua regularidade e sua frequência porque uma redução na atividade do bebê poderá indicar algum problema.

No terceiro trimestre da gestação, poderá contar os chutes do seu bebê. Os movimentos fetais são sinais de bem-estar fetal, ainda que se deva levar em conta que sua intensidade e o número de vezes, são variáveis em cada feto.

A título de orientação, no terceiro trimestre se pode perceber um mínimo de 10 movimentos por dia. E é bom lembrar que mais importante do que contar quantas vezes o bebê se move, é perceber logo que os movimentos fetais diminuírem, levando em conta que existem dias que se podem notar mais ou menos movimentos.

Leia mais: Cuidados importantes para o recém-nascido

chutes do bebê

Mulher loira grávida, de top branco e calça jeans, sorrindo. Fundo azul claro.

Como se pode notar mais os movimentos do bebê?

Primeiramente, a intensidade com que a grávida sente os movimentos do feto depende da constituição materna, já que as gestantes que estão em seu peso ideal, notam com mais facilidade os chutes que as futuras mamães obesas.

Na realidade, o registro de chutes também depende da quantidade de líquido amniótico. Na semana 20 da gestação oscila entre os 100 e 300 mililitros, e quanto maior é a quantidade de líquido, com menos frequência o bebê se choca contra a parede do útero.

Até o final da gravidez, o feto tem cada vez menos espaço e encontra mais problemas para se locomover com facilidade, ainda que seus movimentos sejam mais contundentes e se notam com mais força.

Quando se nota mais os primeiros chutes do bebê?

A atividade do seu bebê depende da mãe. Os cientistas descobriram que uma forte descarga de adrenalina, que acontece após um dia ruim de trabalho ou após uma discussão, tem efeitos no feto porque esse hormônio do estresse viaja através do cordão umbilical e como consequência o bebê aumenta sua atividade.

Por outro lado, as mulheres se surpreendem quando, ao tentar dormir, seu bebê começa a brincar sem parar, impedindo que concilie seu sono.

Diversos estudos revelam que todos os fetos desfrutam entre as 21 e as 24 horas, de uma fase de vigília vinculada, que pode ser devida à produção de cortisona da mãe. Esse hormônio aumenta o sono da mãe, mas desperta o bebê.

O desenvolvimento embrionário transcorre de forma similar em todos os bebês, mas cada criança se move de forma diferente em regularidade, frequência e intensidade.

As mulheres que estão em sua segunda ou terceira gravidez percebem isso claramente porque detectam os chutes de cada um dos filhos diferentemente.

O que a grávida sente quando o bebê se mexe?

Quando os movimentos do bebê na barriga começam a ser perceptíveis, muitas vezes, no início, são confundidos com as atividades intestinais. Isso porque, nesse primeiro momento, a sensação é semelhante a de ter gases.

Por isso, muitas mulheres dizem ter a sensação de que uma bolha está estourando em seu abdômen.

Com o crescimento do bebê, que vai ficando mais forte e ativo, a mamãe não tem mais dúvidas de que o filho está chutando. Já que a criança começa a ter atividades bruscos, distendendo a parede uterina.

Então, a partir da 25ª semana, o papai e outras pessoas podem sentir a criança se mexer, apenas colocando a mão na barriga da gestante.

Da 28ª semana em diante, além dos chutes, você poderá ver o bebê se mexendo e se esticando pela sua própria barriga. Nesse período, a parede abdominal se estica em função do aumento de tamanho do útero. Por isso, qualquer movimento brusco do bebê é perceptível.

Quantas vezes por dia o bebê se mexe?

Apesar de ser comum se mexer a partir da 22ª semana, ele não faz isso a toda hora! A gestante sentirá os momentos do bebê na barriga várias vezes por dia, porém, não há regra sobre o número de chutes considerada normal. Afinal, cada bebê tem suas características.

O que acontece em quase todos os casos é que a quantidade de atividade fetal aumenta até a 32ª semana, ficando mais estável próximo do parto. Também, é importante destacar que o bebê para de se mexer quando dorme. Isso leva de 20 a 40 minutos, porém, algumas crianças podem dormir mais que 90 minutos.

Se você está lendo e pensando “que bom que o neném dorme na mesma hora que a mãe”, está enganada! Geralmente, a movimentação fetal costuma ser mais intensa à noite, especialmente entre às 21h e 2h da madrugada.

Outra informação importante a ser compartilhada é que o bebê, quando está acordado, se mexe, aproximadamente, 30 vezes por hora. Bastante, não é mesmo?! Mas não precisa se assustar! Muitas dessas atividades são imperceptíveis

Então, como falamos, não há regras para a atividade fetal. Por isso, a grávida precisa reconhecer o padrão do seu filho, para monitorar qualquer mudança. Pois, uma redução prolongada de atividades do bebê na barriga, pode ser sinal de algum problema.

Meu bebê se mexe pouco, devo me preocupar?

A partir da 28ª semana, você já consegue ter um padrão de atividades do seu bebê. Então, se você notar alguma anormalidade, a dica é deitar-se de barriga para cima, marcando o tempo e contando os movimentos. Caso note que ele está se mexendo menos que 10 vezes, num intervalo de duas horas, procure seu médico.

Normalmente, quando está tudo bem, é possível contar 10 estímulos em 30 minutos. Mas, como algumas crianças podem ser mais preguiçosas, e como nem toda a atividade é perceptível, recomenda-se esse exercício.

Existem algumas ações que a mamãe pode ter para estimular o movimento do bebê na barriga. Tais como:

  • Apoiar-se em almofadas e deitar com as pernas para cima;
  • Mexer na barriga com as mãos;
  • Bem como evitar locais com muito barulho;
  • Ingerir líquidos gelados;
  • Conversar com o bebê;
  • Caminhar.

Porém, antes de praticar qualquer estímulo, converse com seu médico. Ele poderá dizer o que é bom ou não para sua gestação.

chutes do bebê

Mulher grávida com expressão surpresa. Fundo branco. Crédito da foto: Freepik

A redução dos movimentos do bebê na barriga é preocupante?

Muitas mães relatam sentir a redução da atividade fetal em algumas ocasiões da gravidez. Porém, grande parte dos casos, na verdade, é apenas uma parada de estímulos bruscos. Mas aqueles imperceptíveis que citamos antes, continuam acontecendo.

Entretanto, quando realmente há redução dos movimentos do bebê na barriga, é sinal de alerta para a mamãe. Inclusive, podem comprometer a saúde da criança. Algumas das gestações que ocorrem a redução, apresentam um dos problemas a seguir.

  • Feto menor que o normal para a idade gestacional;
  • Possibilidade de parto prematuro;
  • Deficiência de líquido amniótico;
  • Falta de crescimento fetal;
  • Insuficiência placentária;
  • Infecções intra-uterinas.

Então, em caso de suspeita de redução dos movimentos, principalmente após a realização da dica que compartilhamos na seção anterior, procure seu obstetra. Assim, as chances de reverter um possível problema podem ser ainda maiores.

E não se esqueça que o acompanhamento pré-natal é muito importante para garantir a saúde do seu bebê.

Para concluir, esse é um dos momentos mais gostosos da gravidez da mãe, poder sentir seu bebê na barriga.

Agora que você já sabe tudo sobre os chutes do bebê na barriga, confira também outros nove sintomas bons da gravidez que você vai amar! 

Até a próxima!