A chupeta é sempre um assunto polêmico no mundo materno. Enquanto algumas mães juram de pé junto que jamais darão chupeta para os bebês, outras encontram no objeto um pingo de sossego e relaxamento para a criança. Então, vem todas aquelas outras dúvidas como: e o desenvolvimento dentário? Quando é a hora de tirar? E se tiver confusão de bicos? 

Afinal, a chupeta é realmente prejudicial para os bebês? Leia abaixo. 

Frequência, intensidade e duração: como saber a hora de dar e tirar a chupeta 

chupeta

Comida para bebê com chupeta azul no meio. Foto: Freepik

O ato de sugar é um comportamento reflexo do bebê que pode ser observado já no útero materno, em ultrassonografias. Esse comportamento é vital para o crescimento e desenvolvimento psíquico do bebê. Principalmente no primeiro ano de vida, a criança sente a necessidade de sugar. O problema é quando o bebê fica o tempo todo com o bico na boca, não tira o item nem para falar, comer ou brincar. Esse uso excessivo pode prejudicar o desenvolvimento da arcada dentária, mudar a postura da língua (que fica relaxada com a chupeta) e contribuir para alterações musculares e ósseas. 

Publicidade

Caso a chupeta seja usada apenas para acalmar o bebê ou na hora de dormir, as chances de dependência são muitos mais baixas, visto que a criança não depende do item para passar por hábitos normais do dia a dia. 

Pode influenciar na amamentação? 

chupeta

Bebê pequeno chorando no colo da mãe. Foto: Freepik

A Sociedade Brasileira de Pediatria confirma que a chupeta pode, sim, prejudicar a amamentação. Porém, é uma via de duas mãos. Quanto mais estabelecida a amamentação, menor será a necessidade do bebê de ter esse movimento de sucção em outros momentos. 

Entretanto, sabemos que cada caso é um caso. Para evitar confusões de bicos, pediatras recomendam que a chupeta seja dada ao bebê apenas depois de quatro semanas de vida – quando a amamentação já está melhor estabelecida. 

O dedo é uma opção melhor? 

chupeta

Bebê de roupa listrada dormindo no carrinho e chupando o dedo. Foto: Freepik

Não! O dedo apresenta mais riscos para o desenvolvimento da criança do que o bico. Além de não ser possível retirá-lo da criança, como é a chupeta, a força da mão pode empurrar o palato, fazendo com que o céu da boca da criança se mova para cima e altere o desenvolvimento ósseo do bebê.

Publicidade

Caso a criança comece pelo dedo, é importante cortar o hábito e, se necessário, substitui-lo pela chupeta. 

A chupeta tem benefícios?

Bebê dormindo de chupeta azul. Foto: Freepik

Sim! Um dos maiores benefícios da chupeta é a calma que ela costuma trazer ao bebê. Outros estudos indicam até que o item, quando usado com moderação, pode até favorecer a respiração nasal do bebê, diminuindo assim o risco de morte súbita. 

Mas, é preciso observar as circunstâncias em que o item é introduzido. Mesmo que seja para “benefícios” como esse. Em vez de já recorrer ao bico, quando o bebê estiver muito nervoso ou em uma crise de choro, procure entender o que faz com que ele se sinta daquela maneira e se há outras formas de acalmá-lo. Não fique escrava da chupeta! Use-a com sabedoria, mesmo quando for em prol do pequeno.