Balanite é uma inflamação da pele da glande do pênis. Em todos os homens, ao nascer, a cabeça do pênis é coberta por pele. Mas normalmente a balanite ocorre em crianças que sofrem de fimose fisiológica.

Mas em sua forma avançada, a doença é complementada por inúmeras complicações (a mais grave é a gangrena peniana).

menino doente

menino doente – Foto: Freepik

Balanite pode ser causada por uma variedade de patógenos e causas:

Publicidade
  • Uma infecção por fungos (sapinho, Candida) ou bactéria que normalmente vive na pele (a causa mais comum).
  • Infecções sexualmente transmissíveis, como herpes simplex.
  • Irritantes não infecciosos, como sabão, detergentes e etc.
  • Condições benignas da pele, como psoríase.
  • Certos tipos de câncer de pele (muito raros).
menino no hospital

menino no hospital – Foto: Freepik

Mas apesar do fato de que a balanite pode se desenvolver em qualquer homem, ela ocorre mais frequentemente em meninos.

Sintomas de balanite

Antes de tudo, os sintomas da balanite manifestam-se de diferentes maneiras, dependendo da idade do paciente, das causas e do estágio da doença.

Além disso, os sintomas são muito diversos e dependem do próprio tipo da doença, os sintomas locais de balanite são os seguintes:

  • Inchaço e vermelhidão da glande do pênis;
  • Eritema do prepúcio;
  • Ardor e coceira;
  • Secreção purulenta da abertura do prepúcio com odor desagradável;
  • Secura e irritação;
  • Aparecimento de úlceras, erosão na cabeça do pênis;
  • Erupção nodular;
  • Aparecimento de fissuras e crostas;
  • Dor ao abrir a cabeça e durante a relação sexual;
  • Ejaculação precoce.

Descubra se os pais podem faltar no trabalho para cuidar do filho doente.

Causas de ocorrência

criança doente

criança doente – Foto: Freepik

Publicidade

Primeiramente, os fatores que provocam ataques de balanite aguda podem ser combinados em três grupos: lesões infecciosas do pênis, patologias locais e doenças sistêmicas do paciente. Assim, as fontes do primeiro grupo incluem:

  • Vírus (incluindo papilomavírus);
  • Estreptococos, gonococos;
  • Balanite por clamídia;
  • Fungos semelhantes a leveduras do gênero Candida.

Além disso, lesões locais do pênis ocorrem no contexto da interação de seus tecidos com látex de preservativo, componentes de lubrificantes, materiais sintéticos de roupa íntima, etc. A reação do corpo é a balanite alérgica.

Assim também, doenças sistêmicas como diabetes mellitus podem causar balanite fúngica e outros tipos. Às vezes, a inflamação da glande do pênis acompanha os pacientes que foram submetidos a cirurgia na área correspondente.

Leia também sobre a Roséola.

Fatores de risco

balanite

Criança sendo consultada pelo pediatra – Foto: Freepik

Antes de tudo, o aparecimento de balanite em homens ocorre em qualquer idade. No entanto, o maior risco é para crianças, que deslocam incorretamente o prepúcio, e idosos, devido ao risco aumentado de fimose e alterações na composição química da urina (que provoca o crescimento de microrganismos sob o prepúcio).

Publicidade

Além disso, esses são outros fatores de risco:

  • Violação dos princípios de higiene pessoal – o cuidado excessivo ou insuficiente com o pênis;
  • Fatores externos de irritação do pênis – água da torneira com alto teor de cloro, contracepção local, roupas com abundância de fibras sintéticas;
  • Patologias urogenitais – trauma peniano;
  • Condições imunossupressoras – quimioterapia, transplantes de órgãos, hormônios, etc.

Prevenção

balanite

Bebê feliz tomando banho – Foto: Freepik

Em resumo, é relativamente simples evitar a recorrência da balanite. Assim, a doença não retornará se houver:

  • Higiene adequada dos genitais;
  • Tratamento adequado;
  • Usar roupas íntimas feitas de tecidos naturais.

Mas qualquer sintoma que sinalize o retorno da doença deve ser motivo para uma visita imediata à clínica. Pois o auto tratamento da balanite pode provocar complicações.

Tratamento de balanite

balanite

Menino na cama com termômetro e o ursinho – Foto Freepik

Antes de tudo, recomenda-se para pacientes com balanite sem fimose:

  • Cuidado com os órgãos genitais. A retração diária do prepúcio e a eliminação do smegma são a regra básica do cuidado higiênico. Assim, deve-se lavar a cabeça do pênis com água morna sem o uso de sabonetes irritantes.
  • Uso de corticosteroides. Primeiramente, em pacientes (independentemente da idade) com sintomas leves de balanite não infecciosa, a administração local de hormônios é possível. No entanto, em meninos com mais de 3 anos, puxa-se o prepúcio cuidadosamente para trás. Não se deve aplicar hormônios por mais de 14 dias, pois isso pode levar ao enfraquecimento da pele.
  • Terapia antibacteriana. Se uma infecção bacteriana secundária se juntou, o uso local e sistêmico de antibióticos é justificado. Assim, com manifestações clínicas graves e complicações, a administração oral de medicamentos antibacterianos de amplo espectro é indicada inicialmente.
  • Drogas antifúngicas. A balanite de etiologia da cândida envolve o uso de drogas antifúngicas de ação local e sistêmica, uma dieta com rejeição de alimentos doces, levedura e álcool.