O COVID-19 mudou o cenário para mulheres grávidas em todo o mundo. Há boas notícias: até agora parece que a mulher grávida durante a pandemia não ficam mais doentes do que a população saudável. As evidências também sugerem que o COVID-19 não passa para o feto. É um grande alívio, e as precauções normais também podem ajudar as mulheres grávidas a se manterem saudáveis.

A OMS recomenda lavar as mãos e evitar pessoas doentes, além de distanciamento social. Ainda assim, se você está grávida ou espera um bebê, o cenário em rápida mudança do pré-natal, do parto hospitalar e das primeiras semanas após o parto é repleto de incertezas.

Seja esta a sua primeira gravidez ou a sua terceira, o COVID-19 está criando uma nova onda de perguntas e preocupações para os pais e as famílias. Descrevemos as preocupações mais comuns durante cada fase da gravidez, nascimento e pós-parto e oferecemos conselhos para cada uma.

Quais os cuidados pré-natais da grávida durante a pandemia?

Grávida e covid-19 – Foto: Freepik

Publicidade

A maioria dos obstetras estão mudando rapidamente seus parâmetros para atender as grávidas pessoalmente. Cada profissional está lidando com isso de maneira um pouco diferente, e a melhor coisa a fazer é perguntar ao seu médico qual é o plano deles para o seu atendimento.

Se sua gravidez é considerada de baixo risco, provavelmente não haverá visitas ao médico entre 12 a 28 semanas de gravidez. Esta é uma grande mudança para a maioria das grávidas e pode causar alguma ansiedade. Mas é importante lembrar que o principal objetivo do pré-natal é mantê-la bem orientada (o que pode ser feito remotamente).

Mas é importante seguir seus instintos e entrar em contato com seu médico se você tiver algum sintoma ou preocupação inesperada.

Considerando as novas limitações, para ajudar a saber quais procedimentos do pré-natal devem ser priorizados, sugerimos o seguinte:

  • Ultrassonografia. Isso estabelece que há uma gravidez intra-uterina, um batimento cardíaco e uma data prevista para o parto.
  • Exames de laboratórios. Você deve verificar o tipo de sangue, infecções, diabetes, anemia e muito mais.
  • Ultrassom Morfológica. Esse exame examina todas as partes do corpo do feto e a posição da placenta. Geralmente é feito de 18 a 20 semanas.
  • Consulta para gravidez de alto risco. Para aquelas com doenças crônicas ou complicações na gravidez, como diabetes ou hipertensão, a maioria das consultas é realizada pessoalmente.

Grávida durante a pandemia: como reduzir o risco de exposição nas clínicas e hospitais?

Mulher usando máscara – Foto: Freepik

Muitas pessoas estão preocupadas que entrar em uma clínica ou hospital significa arriscar a exposição ao COVID-19. Há algumas coisas a serem observadas e precauções que podem ser tomadas.

Publicidade
  1. Na clínica ou hospital, sente-se à distância de outras pessoas na área de espera.
  2. Tente evitar levar as crianças para a clínica, a menos que seja necessário. Elas tocam em tudo.
  3. Use telemedicina em vez de visitas pessoais, se possível. Isso vale para seu parceiro e filhos também.
  4. É melhor evitar a sala de emergência, se possível. Isso significa que, se você for ao hospital por qualquer motivo, vá diretamente ao local e não pare na sala de emergência, a menos que seja necessário.
  5. Se o nascimento for relativamente simples e o bebê estiver indo bem, provavelmente será enviado para casa mais cedo.

Preparação para uma experiência diferente de nascimento e pós-parto

Médica – Foto: Freepik

Muitas aulas de parto em hospitais, preparação para amamentação e aulas de assistência ao recém-nascido foram canceladas. Existem algumas opções online surpreendentes de cursos virtuais que existem há muito tempo. Encontrar tempo para assistir a essas aulas pode ajudar a futura mamãe a se sentir mais preparada durante esse período de tantas incógnitas.

As primeiras semanas após o parto são um momento de mudança e adaptação (e alegria e exaustão) para todos os novos pais. No tempo do distanciamento social, aqueles que planejavam ter apoio de familiares ou amigos são incapazes de receber visitantes, mães ou sogras e precisam se reajustar.

Isso pode ser uma mudança dramática em relação às expectativas ou normas culturais. Reserve um tempo para fazer um plano pós-parto que leve em consideração estar em casa sem ajuda prática.

Portanto, seja criativa e procure suporte de maneiras novas e diferentes. Além disso, faça um plano específico com seu parceiro. Você deve discutir como serão os cuidados com o bebê e com as crianças, o trabalho e o autocuidado a cada dia. Divida o dia em partes de tempo, permitindo que cada parceiro designe um horário de folga a cada dia.

Livre-se de todas as responsabilidades não essenciais. No momento, seu foco total deverá ser cuidar de você e de seu bebê.

Publicidade

As coisas estão mudando diariamente, e a única constante nos dias de hoje é a mudança. Mas não se esqueça: até agora, as grávidas saudáveis e os recém-nascidos não parecem ser severamente afetados pelo próprio vírus COVID-19.