Segundo pesquisas científicas, 1 em cada 9 mulheres sofre de endometriose e 30 a 40% delas podem ter problemas para engravidar. Em outras palavras, cada uma de nós conhece pelo menos uma mulher ao seu redor com endometriose.

Parece assustador. Mas mesmo se você tiver endometriose, ainda poderá aproveitar sua vida. O primeiro passo é saber tudo sobre essa condição.

O que é endometriose?

Endometriose é o crescimento anormal das células endometriais. Normalmente, elas devem estar localizadas apenas no útero, mas, neste caso, crescem além da cavidade uterina. Quase 200 milhões de mulheres em todo o mundo são diagnosticadas com a doença.

As células endometriais anormais podem estar localizadas nos ovários, paredes uterinas externas e trompas de falópio. Elas podem até crescer para o peritônio, intestinos e outros órgãos.

Publicidade
endometriose

Foto: Freepik

O diagnóstico da endometriose é complicado e até invasivo às vezes: muitas vezes requer exame complexo ou mesmo intervenção cirúrgica.

Aliviar os sintomas da endometriose e curar a doença também é complicado. Isso pode causar muita dor e desconforto.

Se você enfrentar esta doença, procure um médico especializado para seu tratamento.

Quem está em risco?

A endometriose pode afetar qualquer mulher desde o início da menstruação até a menopausa. O parto não dá “imunidade” à doença.

A idade média de descoberta da doença é de cerca de 27 anos, mas todas as mulheres podem ser afetadas por ela. Muitas vezes, são mulheres jovens sem filhos.

Publicidade

Frequentemente, a endometriose “escolhe” os locais operados anteriormente: a cicatriz após uma cesariana ou uma episiotomia (um corte no períneo); a área onde um pólipo ou mioma foi removido; um aborto ou curetagem foi realizada.

Como diagnosticar a endometriose?

Um exame clínico realizado por um especialista nesta doença geralmente fornece uma ideia bastante precisa da extensão das lesões.

A ressonância magnética ou ultrassonografia, quando realizada por médicos com experiência nessa patologia, também pode fornecer respostas.

ultrassom

Foto: Freepik

No entanto, é difícil obter o diagnóstico de certeza, porque a única maneira de conhecer completamente a gravidade das lesões é realizar uma laparoscopia.

A laparoscopia é um procedimento cirúrgico, no qual o cirurgião remove as lesões para analisá-las e estabelecer o diagnóstico.

Publicidade

A endometriose é uma doença bastante complexa e difícil de diagnosticar. O atraso no diagnóstico é de cerca de 7 anos, o que é considerável.

Um médico avalia a necessidade de intervenção cirúrgica em cada caso individual, mas se você estiver preocupada com dor atípica na região pélvica antes e durante a menstruação e/ou dor durante o sexo, consulte um ginecologista.

Por que a endometriose se agrava durante a menstruação?

A dor da endometriose aparece muito antes da menstruação, torna-se insuportável durante a menstruação e desaparece após o término.

Endometriose é o crescimento anormal do endométrio, o tecido que deve estar localizado exclusivamente no útero, mas cresceu fora das paredes uterinas. Consequentemente, onde quer que este tecido esteja localizado, ele passa pelas mesmas fases de desenvolvimento durante o ciclo que o endométrio no útero.

Sendo assim, ele reage às alterações hormonais e é rejeitado durante os períodos menstruais. E isso causa muita dor.

mulher com cólica

Foto: Freepik

As manifestações mais típicas da dor endometrial são:

  • Durante a menstruação: abrange toda a região pélvica (genitália, intestino, área do sacro).
  • Na relação sexual: pode ser tão grave que uma mulher começa a evitar o sexo.
  • Durante a ovulação: a dor é moderada (suportável), mas piora à medida que a menstruação se aproxima.
  • Durante a micção: a dor ocorre se a endometriose já estiver generalizada.

A dor da endometriose é um sinal do corpo para obter ajuda. Não a ignore. Consulte um especialista para diagnóstico e tratamento adequado.

Causas da endometriose

Até o momento, não há uma resposta clara sobre o que causa endometriose. Vários fatores contribuem para o seu desenvolvimento.

  • Menstruação retrógrada: O sangue flui na direção oposta do útero para os órgãos pélvicos, onde as células endometriais podem crescer.
  • Hereditariedade: Os cientistas sugerem que a endometriose pode ser transmitida geneticamente.
  • Sistema imunológico e endócrino: Podem surgir problemas devido à influência ambiental.
  • Metaplasia: Um tecido substitui outro ou se transforma nele (por exemplo, as células endometriais substituem as células peritoneais e são rejeitadas durante a menstruação da mesma maneira que no útero).
dor de endometriose

Foto: Freepik

O risco de desenvolver endometriose é reduzido significativamente com gestações repetidas, parto e amamentação prolongada, mas nem toda mulher está pronta para escolher esse cenário de vida.

Tratamento para endometriose

Para um alívio eficaz da dor da endometriose, o médico pode prescrever medicamentos hormonais. É importante saber que, quando são retirados, os sintomas retornam.

Os métodos que se mostraram eficazes são:

  • Progestinas: Param a menstruação e impedem que o óvulo amadureça, impedindo ao mesmo tempo que o foco endometrial cresça e diminuindo a inflamação pélvica, que são tomados em caso de doença grave, pois causam menopausa artificial temporária.
  • Dispositivo intra-uterino hormonal Mirena (DIU): Mostra resultados positivos no tratamento da endometriose uterina (adenomiose).

Ao escolher uma estratégia de tratamento para endometriose, o médico levará em consideração o quanto você está preparada para alterações no corpo associadas a uma ausência temporária de menstruação.

Endometriose é uma condição real e muito desagradável de lidar. Mas não é o fim do mundo. Consulte o seu médico se você suspeitar, e mesmo se você for diagnosticada, ainda pode viver uma vida ativa, engravidar, se quiser, e ser feliz!