Por que o bebê chora – e o que fazer para acalmá-lo

Por 0 Comentários


Se você tem um recém-nascido em casa, talvez ainda esteja enfrentando aquela difícil fase em que precisamos nos acostumar com o choro. Afinal, por que o bebê chora? Essa é a pergunta que toda mãe quer ver respondida, para tentar minimizar o sofrimento (que pode não ser tão sofrido assim, como você verá) do pequenino.

A verdade é que o bebê chora por diversos motivos. O choro é o principal meio de expressão logo que seu filho chega ao mundo e, por isso, ele costuma chorar tanto ao longo do dia. Quer saber em quais situações isso ocorre e dicas para fazer o filhote se acalmar? Confira a seguir.

por que o bebê chora

Imagem: 123RF

Os motivos por que o bebê chora

Os motivos mais comuns que levam o bebê a chorar são fome, fralda suja, sono, vontade de fazer cocô e cólica. Contudo, também é por meio do choro que as crianças demonstram outros desconfortos, como vontade de arrotar depois das mamadas (quando não conseguem fazer isso. Esse é, aliás, um motivo de choro que muitas mães demoram para perceber, e confundem com alguma dor que o filho possa sentir ao mamar). Sensação de frio ou calor ou o incômodo com outras coisas, como uma roupa apertada ou até mesmo um fio de cabelo, que enrolou no dedinho delas. Quando chega a época do nascimento dos primeiros dentinhos, o choro também pode ser desencadeado por isso (afinal, é uma mudança e tanto na boquinha deles!).

Os estímulos são um capítulo à parte – se estão em excesso, como um dia cheio de visitas em casa, o bebê pode chorar por conta disso. Já se faz muitas horas que vocês estão em um mesmo cômodo, sem muitos atrativos, ele pode abrir o berreiro para demonstrar que está cansado da mesmice e quer novidades. Sim, dependendo da personalidade do seu filho, ele pode se sentir entediado desde bebê, sabia?

E, claro, dores são outros desencadeadores do choro. Se a criança não estiver se sentindo bem, ou ela fica mais tempo em silêncio, ou ela chora desesperadamente, um choro mais gritado.

Veja também: 5 coisas que irritam o seu bebê (e como acabar com o choro)

Como identificar e acalmar cada choro

Fome: quando faz horas que o bebê está dormindo e ele acorda chorando, geralmente o motivo é fome. Cada criança tem a sua frequência de mamar, por isso o intervalo das mamadas varia muito de uma para outra. O que vale é observar se, quando o bebê chora, ele também levanta e gira a cabeça, abre e fecha a boca e coloca a língua para fora – sinais que demonstram que ele está procurando algo para sugar. Ofereça o peito ou a mamadeira e veja se o pequeno se acalma. Já se ele chorar enquanto mama, experimente trocá-lo de posição (o leite daquele peito pode ter acabado – mas certifique-se de esvaziar totalmente a mama, pois o leite rico em gordura, e que ajuda no ganho do peso, é o último a sair).

Fralda suja: se o choro for por fralda suja, vale verificar se ela já está cheia. Para alguns pequenos, basta um cocô para incomodar e começar a chorar. Já outros demoram mais para indicar que chegou a hora da troca.

Sono: quando o sono vem, nós, adultos, dormimos. Mas os bebês ainda não fazem isso! Quando estão com sono, eles choram. E quanto mais cansados, mais irritados eles ficam. Desconfie que o choro é devido ao sono quando ele vem mais gritado. Nessa hora, balance o bebê suavemente, cubra-o, diminua as luzes, os estímulos, cante – vale tudo que puder convencê-lo que chegou a hora de dormir. Lembrando que o ideal é colocar a criança para dormir nos primeiros sinais de sono, como olhar caído e esfregação dos olhinhos (assim fica mais fácil!).

Dores de barriga:dificuldade para fazer cocô e as cólicas estão entre os incômodos mais comuns que os pequeninos sentem na barriga. Se o choro vem logo depois de mamar ou você observar que o bebê chora e fica vermelhinho, desconfie desses quadros. Nessas horas, o que pode aliviar são massagens na região abdominal ou um banho para relaxar. O motivo do chororô também pode ser as assaduras, portanto, vale preveni-las com cremes e higienização adequada a cada troca da criança.

Colo: o filhote também chora quando quer colo. Alguns bebês têm mais necessidade que outros de se sentir seguros, e nada melhor que o colo para isso. Experimente deixá-lo junto a você, como em um sling. Às vezes só sua presença já é suficiente para fazê-lo se acalmar. Fazer um ninho do berço também é outra estratégia inteligente, pois o bebê se sente mais aconchegado, tendo a sensação de “apertadinho” do útero.

Estímulos: se o pequeno teve um dia muito agitado, o resultado pode ser o choro. Com o tempo você vai perceber o que o seu filho prefere mas, de maneira geral, crianças pequenas não são muito “chegadas” a lugares bastante movimentados, como shoppings e restaurantes em horários de pico. O excesso de pessoas, barulhos e luzes pode estressá-las. Por isso, para manter o filhote calmo, o ideal se tiver que ir a um desses locais é optar pelos momentos com menos movimento. Já outras crianças podem abrir o berreiro quando estão entediadas. Daí vale trocar o pequeno de cômodo, fazer um passeio tranquilo com ele, ou mesmo oferecer um brinquedo.

Incômodos nas roupinhas: excesso ou falta de roupas (adequadas à temperatura ambiente) vai gerar sensação de calor ou frio, e isso provavelmente fará a criança chorar. Encoste a mão na barriguinha do seu filho: se estiver quente e suando, ele está com calor; se estiver fria, ele pode estar com frio. As roupas também podem incomodar em casos de zíperes e etiquetas, que pinicam. Ah, e um simples fio de cabelo enrolado no dedinho deles também pode incomodar bastante, por isso fique atenta às mãozinhas do filhote quando o choro aparecer.

Veja também: 5 dicas de mãe para fazer o bebê parar de chorar (e que realmente funcionam!)

E quando não tem motivo?

Nessas horas em que o bebê chora sem parar e você já se certificou de todos os tópicos citados anteriormente, vale embrulhá-lo em um cobertor ou um paninho, de modo que os braços, mãos e pernas fiquem juntos ao corpo. Geralmente, os pequenos não gostam de se sentir soltos, e nessa posição eles se sentirão seguros. Outras táticas relaxantes, como um banho de balde, podem ajudar.

Mas se nada funcionar de imediato, não se desespere. Bebês são assim, se comunicam chorando, e perder a paciência não vai resolver. Tenha em mente que o choro excessivo não é sua culpa. E, se sentir que está perdendo o controle, deixe a criança chorar em um lugar seguro (como no berço) e vá para outro cômodo por alguns minutos, faça uma pausa.

Veja também: Técnica de choro controlado (Nana Nenê) funciona?


 



Arquivado em: Desenvolvimento Tags:

Deixe seu comentário