Destro ou canhoto: como saber o que seu filho será?

Por 0 Comentários


Na hora das brincadeiras ou das atividades manuais, você tem percebido que seu filho usa mais uma mão do que outra? Pois descobrir se o filho é destro ou canhoto é uma das principais preocupações dos pais sobre o desenvolvimento da criança, nos primeiros anos de vida.

Como mãe, eu também me fiz essa pergunta, e posso dizer que cheguei a me enganar sobre o desenvolvimento de Cacá. Hoje a pequena é destra, mas por muito tempo fiquei na dúvida se seria canhota (ou seja, um bebê novinho pode usar as duas mãos de forma muito parecida, a ponto de enganar os pais sobre a tendência futura).

Não é nos primeiros meses de vida que a manifestação da coordenação preferencial por destro ou canhoto aparece, mas estudos têm revelado que ainda durante a fase de amamentação pode ser definido o lado dominante da criança, sabia? Confira a seguir mais informações sobre o assunto e quando você conseguirá descobrir se o seu filho é destro ou canhoto.

filho destro ou canhoto
Imagem: 123RF

Em que idade saberei qual o lado dominante, se destro ou canhoto?

Geralmente essa resposta se dá por volta dos 2 ou 3 anos da criança, fase em que o pequeno usa bastante a mão (especialmente uma delas). A mão dominante é aquela em que ele sente mais firmeza, portanto será a mais utilizada para desenhar e comer. Se você entregar um brinquedo a ele, provavelmente ele o pegará com a mão dominante.

Vale destacar que na primeira infância é comum as crianças serem ambidestras, ou seja, usarem as duas mãos de maneira igual. Nesses casos, muitas vezes só depois dos 6 anos é que o pais conseguem identificar se o filho é destro ou canhoto.

Quais fatores influenciam o lado dominante?

A ciência ainda não sabe explicar exatamente porque uma pessoa nasce destra ou canhota. O que há de explicação até agora é o fator genético e o próprio sistema nervoso da criança como influenciadores do lado dominante.

Recentemente, um estudo realizado nos Estados Unidos também apontou que a amamentação pode ter seu papel nisso. Foram mais de 60 mil mães e bebês acompanhados pela pesquisa, que mostrou que os pequenos que foram amamentados entre seis a nove meses eram menos propensos a serem canhotos (será?).

De acordo com os pesquisadores, há vários estudos que mostram que a nutrição e o ambiente interagem com fatores genéticos, o que pode ser uma explicação para a determinação do lado dominante.

Quebrando mitos

É muito mais comum ver pessoas destras do que canhotas – estima-se que apenas 10% da população mundial tenha a mão esquerda como dominante. Contudo, independentemente se o seu filho for destro ou canhoto, isso não influencia em nada o desenvolvimento dele.

É importante salientar, no entanto, que o que pode provocar um impacto negativo é forçar um determinado lado. Como se trata de uma questão genética e não aprendida, a medida não funciona a longo prazo – ao contrário, é capaz de provocar apenas frustrações ou mesmo problemas na escola.

Para garantir o bom desenvolvimento da criança, a dica é incentivá-la e deixá-la fazer suas atividades naturalmente, sem forçá-la. Também vale evitar jargões comuns como apontar direções de acordo “com a mão que escreve” – afinal, cada um tem a sua!


 



Arquivado em: Desenvolvimento Tags:

Deixe seu comentário