Amamentação pode ajudar a proteger contra AVC, aponta estudo

Por 0 Comentários


Já repararam que estou sempre falando sobre os benefícios da amamentação aqui no blog? Não é à toa: o leite materno é um alimento importantíssimo para promover o bom desenvolvimento e a saúde dos nossos filhos logo no início da vida. E se isso não bastasse para nos convencer a dar o melhor de nós para amamentar nossos pequenos, diversos estudos têm mostrado que essas vantagens também se estendem às mulheres que amamentam – como a redução do risco de diabetes (veja aqui).

No post de hoje eu falo justamente sobre mais um benefício da amamentação, comprovado por uma pesquisa recente. Veja só: amamentar pode ajudar a proteger a mulher de um AVC (acidente vascular cerebral – o famoso derrame)!

Gostou da novidade? Calma, que tem mais: a pesquisa mostrou que, nas mães que amamentaram além dos primeiros seis meses de vida do bebê, o risco de acidente vascular cerebral (AVC) se tornou ainda menor (ou seja, quanto mais você amamenta, menores as chances de ter esse problema!). Quer saber mais? A seguir eu conto:

Imagem: 123RF

Como foi o estudo

O estudo, um dos primeiros a avaliar a relação entre amamentação e acidente vascular cerebral o mundo, foi desenvolvido por pesquisadores dos Estados Unidos, sob a coordenação da médica Lisette T. Jacobson. A pesquisa foi publicada no JAHA, o Jornal da Associação Americana do Coração.

Os pesquisadores fizeram o seguinte: analisaram dados de 80.191 mulheres que participaram do estudo Women’s Health Initiative (ainda em andamento), realizado em âmbito nacional nos EUA. Nesse acompanhamento, foram avaliados hábitos de saúde das participantes na pós-menopausa, recrutadas entre 1993 e 1998. Entre essas mulheres, todas tinham um ou mais filhos, sendo que 51% amamentaram seus bebês por um a seis meses, 22% por sete a 12 meses e 27% por 13 meses ou mais meses.

É importante destacar que o risco de derrame aumenta com a idade sendo, segundo o estudo, a quarta maior causa de morte entre mulheres com 65 anos ou mais. Na pesquisa, as entrevistadas tinham na época do recrutamento em média 63 anos. Ou seja: eles mostraram como fatores ligados ao histórico de vida da mulher, mesmo que anos antes, podem contribuir para a prevenção de um risco futuro.

E quais foram os resultados?

Em todas as participantes que amamentaram, o risco de AVC se mostrou 23% menor! Para aquelas que amamentaram até os seis meses, essa diminuição chegou a 19% e, segundo os pesquisadores, o risco foi ainda menor à medida que o período de aleitamento se estendia (alô, adeptas da amamentação prolongada, olhem mais uma vantagem aí!).

Embora o estudo não tenha abordado especificamente as diferenças raciais e étnicas na associação com o derrame, foi apontado que o risco correspondeu a 21% a menos em mulheres brancas, 32% nas hispânicas e 48% nas negras.

Lembrando que, para chegar a essas conclusões, os pesquisadores ajustaram características particulares de cada participante no que se referia a fatores de risco já conhecidos de AVC, como histórico familiar e idade.

Mas por que a amamentação pode ajudar a proteger contra o AVC?

Esse estudo foi de caráter observacional, ou seja, o que os pesquisadores fizeram foi uma análise de dados. Com isso, eles não chegaram a nenhuma conclusão sobre os motivos que justificassem como o aleitamento materno contribui para a diminuição do acidente vascular cerebral. Novas pesquisas na área são necessárias para fazer essa compreensão.

Contudo, só a partir dos dados, eles já fazem o alerta: “Se você está grávida, por favor, considere a amamentação como parte de seu plano de parto e continue a amamentar por pelo menos seis meses para receber os benefícios ideais para você e seu bebê”, destacou Lisette T. Jacobson.

Informações como essa são importantes para que os médicos identifiquem fatores de risco e, com isso, possam contribuir para prevenir casos de derrame. E a médica reforça a atenção para outras atitudes preventivas já conhecidas: “A amamentação é apenas um dos muitos fatores que poderia proteger contra o derrame. Outros incluem fazer exercícios adequados, escolher alimentos saudáveis, não fumar e procurar tratamento, se necessário, para manter a pressão arterial, colesterol e açúcar no sangue dentro da faixa normal.”

Se você gostou de saber que a amamentação pode ajudar a proteger contra AVC, não deixe de conferir outros posts no blog com dicas sobre aleitamento materno. Clique aqui e encontre a informação que você precisa sobre o assunto. Se ficar alguma dúvida, me escreva nos comentários que podemos pensar em novos conteúdos bacanas, ok?


 



Arquivado em: Amamentação Tags:

Deixe seu comentário