Outro dia Catarina voltou toda picada da escola. Como já era maio, achei que estaria tudo bem mandá-la sem repelentes para lá, mas acabei errando. Cacá estuda numa escola arborizada, com muitas árvores – aliás, foi justamente isso um dos pontos que mais me atraiu na hora de fazer a escolha.

Adoro que a pequena tenha atividades junto à natureza, e sempre estimulei esse contato. Mas, claro, onde tem árvore, tem também mosquito.

Depois desse dia, cheguei à conclusão de que repelente não é mais usado só no verão. A verdade é que acabo aplicando o ano inteiro na família toda, e já testei várias marcas e princípios ativos.

adulto passando repelente em uma criança

adulto passando repelente em uma criança. Foto: Freepik

Publicidade

Por isso tenho algumas dicas para compartilhar que nem todo mundo conhece, e que eu acho bastante úteis.

1) Icaridina

Sei que existem vários princípios ativos nos repelentes, mas o que eu mais uso é sem dúvida a icaridina. Isso porque a proteção que ela oferece contra vários tipos de mosquito (inclusive os que causam Febre Amarela, Dengue, Chikungunya e Zika) é muito eficaz.

Quando estive na Amazônia, por exemplo, optei por esse tipo de princípio ativo, justamente porque ele se mostra com ótimo resultado como repelente nos estudos científicos e é recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Para quem tem crianças a partir de 2 anos é certamente a melhor opção.

2) Ordem ao passar

Muita gente tem dúvida sobre passar primeiro o repelente, o filtro solar ou a maquiagem. A ordem certa é a seguinte: primeiro o filtro ou a maquiagem, e só depois o repelente. Isso garante que o produto tenha o máximo de eficácia na propriedade de repelir mosquitos.

criança sendo picada por mosquitos

criança sendo picada por mosquitos. Foto: Freepik

3) Transpiração

Todo mundo sabe que precisa reaplicar o filtro solar depois de suor excessivo, não é verdade? Só que quase ninguém aplica novamente o repelente nessa mesma situação.

Publicidade

Já percebi, inclusive, que em lugares com muito mosquito (vamos muito para o interior, no campo, e lá tem mesmo) a Cacá já voltou picada justamente em locais de maior transpiração, como perto do pescoço e das dobras de braços e pernas, porque esqueci de aplicar o repelente novamente.

4) Cuidados ao passar

Eu não sei se você já fez o teste, mas vários repelentes na forma de spray podem provocar tosse, ou ressecamento da pele. Muitas mães relatam, inclusive, que precisam espirrar o produto e a criança tem que sair correndo, porque se inalar o spray tem um acesso horrível de tosse.

Com algumas marcas isso acontece mesmo (eu e Cacá, que temos o sistema respiratório sensível, somos provas disso). Atualmente estou preferindo usar o Triblock, que é um repelente novo à base de icaridina (ele tem icaridina na concentração de 25%, ideal para aplicação em crianças a partir de 2 anos e tem longa duração).

Ele é importado da França e está sendo comercializado no Brasil pela indústria farmacêutica Germed Pharma. É um repelente com formulação francesa e cosmética incrível, você passa e a pele não resseca, muito pelo contrário, fica hidratada.

Também tem um cheirinho bom, diferente de outras marcas de repelente com icaridina, e não causa tosse por aqui, o que é uma vantagem bem legal. De todos, é o único que a Cacá passa direitinho sem fugir.

Outro ponto importante é NUNCA espirrar no rosto. Você espirra na sua mão, e depois passa nas bochechas da criança (para não correr o risco de cair nos olhos ou na boca).

Publicidade

criança com picadas de mosquito

criança com picadas de mosquito. Foto: Freepik

5) Preço e onde comprar

Na hora de comprar, isso também é um aspecto importante. Porque o produto pode ser excelente, mas se não couber no seu bolso, você não leva, não é verdade?

Nisso também estou gostando do Triblock (que eu pensei que seria caro porque é um produto francês, certo? Errado, ele é cerca de 20% mais barato do que o outro produto à base de icaridina que eu normalmente comprava, com a mesma concentração de princípio ativo).

Então a dica é comparar mesmo, porque você pode achar um produto bem legal por um preço E você encontra o repelente Triblock nas grandes redes de farmácia por todo o Brasil. No instagram @repelentetriblock vocês podem verificar as farmácias mais próximas de vocês e também conferir algumas dicas para se protegerem diariamente.

Mais sobre repelentes

Para combater mosquitos – e evitar as doenças que eles podem espalhar – você precisa de um repelente de insetos eficaz. Mas mesmo o melhor repelente de insetos não ajudará muito se você não aplicá-lo corretamente. 

E embora os repelentes sejam geralmente seguros, mesmo para mulheres grávidas e crianças, isso só é verdade se você os aplicar corretamente.

cuidados contra mosquitos

cuidados contra mosquitos. Foto: Freepik

Não borrife sob suas roupas

Embora usar camisas de mangas compridas e calças compridas possam ajudar a evitar picadas de mosquito, você ainda deve borrifar suas roupas com repelente para proteção extra. (Primeiro, aplique em um local discreto para verificar possíveis danos na roupa.) Mas nunca borrife por baixo da roupa: isso não só é desnecessário, mas também pode aumentar os riscos.

Não se esqueça de tornozelos e joelhos

Os mosquitos tendem a ser atraídos para certos pontos do corpo, incluindo tornozelos, pés e joelhos. E como os carrapatos geralmente pulam em você das plantas no chão, seus tornozelos expostos são o alvo principal.

Tome cuidado extra com as crianças

De acordo com o CDC, nunca se deve aplicar qualquer tipo de repelente de insetos em crianças menores de 2 meses. Mesmo para crianças mais velhas, nunca borrife diretamente na pele.

Borrife primeiro nas mãos e depois esfregue na pele e no rosto expostos da criança. Evite as mãos dele, pois as crianças tendem a enfiar os dedos nos olhos e na boca. E, como sempre, evite os olhos, narinas e boca ao esfregar.

criança usando repelente

criança usando repelente. Foto: Freepik

Reaplicar somente quando necessário

Repelentes de insetos também podem sair na água, então se você estiver nadando ou suando muito, deve pensar em reaplicar depois.

Depois de voltar para dentro de casa, lave a pele tratada com repelente (ou de seu filho) com água e sabão.

Plantas como repelentes naturais de mosquitos

Olhe para as plantas para agirem como repelentes naturais de mosquitos. Os mosquitos não gostam da fragrância dessas espécies em particular, portanto, o plantio de algumas áreas de descanso ajudará a deter os mosquitos:

plantação de lavanda

plantação de lavanda. Foto: Freepik

  • lavanda
  • calêndula
  • hortelã
  • Alecrim
  • grama citronela
  • alho
  • erva-dos-gatos
  • manjericão