Presenciar a criança com dor na barriga é muito comum. As causas podem variar de um erro alimentar à dor que requer intervenção imediata de um cirurgião.

Se a criança está com dor na barriga, preste atenção aos sintomas que a acompanham (febre, diarreia, alterações na pele), por quanto tempo a criança reclama da dor e sua localização.

menina com dor de barriga

menina com dor de barriga – Foto: Freepik

Assim, se a dor abdominal for leve e doenças gastrointestinais graves forem excluídas, podemos usar remédios caseiros para a dor na barriga.

Publicidade

O problema pode ser causado, às vezes, por exageros, maus hábitos, ou mesmo por emoções (sim, a dor de barriga de nervoso existe!). No caso de ser algo mais grave, a dica é estar atenta a outros sintomas que a criança possa apresentar. Conheça as principais causas de um criança com dor na barriga.

Criança com dor na barriga – causas

menino com dor de barriga

menino com dor de barriga – Foto: Freepik

1 – Distúrbios funcionais

Na maioria das vezes, a dor de barriga é acarretada pelos chamados distúrbios funcionais. Mas nas crianças, eles se referem especialmente a problemas como:

  • Diarreia;
  • Constipação (que é a dificuldade em fazer cocô);
  • Distenção abdominal – que são alterações no aparelho digestivo não necessariamente relacionadas a doenças.

Assim, o que deve ser feito é perguntar à criança como o cocô dela está saindo, e se ela está sentindo outros incômodos também.

menina com dor na barriga

menina com dor na barriga – Foto: Freepik

Publicidade

Por exemplo, se ela se queixar de que está com dificuldade para defecar, investigue o que ela anda comendo (se faltar água e alimentos com fibra na dieta, como mamão, ameixa e cereais, o problema pode estar aí; e atenção: além de constipação, o desequilíbrio na alimentação pode provocar gases e distensão abdominal!).

Agora, se a reclamação for diarreia, também procure fazer um balanço sobre o que o pequeno andou ingerindo, pois excesso de comida (especialmente frituras e salgadinhos) e alimentos possivelmente estragados podem levar à condição.

2 – Constipação crônica

menina com dor na barriga

menina com dor na barriga – Foto: Freepik

Se o seu filho reclamar que está com dificuldade para fazer cocô, observe se o problema vem acompanhado de outros incômodos, como falta de apetite, queixa urinária ou escape involuntário de fezes.

Esses sintomas podem ser indício de constipação crônica. Assim, nesse caso, procure um pediatra, que irá solicitar exames para comprovar o quadro. Aqui, o tratamento pode variar, sendo indicado até acompanhamento com psicólogo (pois o problema pode ter fundo emocional).

3 – Emoções

Por falar em emoções, a dor de barriga em crianças podem também estar associada a sentimentos como medo e ansiedade. Então, sabe aquela velha história que diz que, quando está se aproximando um momento importante, a pessoa começa a sentir dor de barriga alguns dias antes?

Publicidade
bebê chorando de fome

bebê chorando de fome – Foto: Freepik

Pois é, ela tem um fundo verdadeiro, e o pequeno pode acabar vivenciando isso também! Por isso, se seu filho reclama de dor de barriga e alguma ocasião marcante estiver se aproximando (como um aniversário ou um evento da escola), desconfie!

Converse com ele se: veja se, além do incômodo, ele está sentindo mais alguma coisa. Mas se não estiver, questione sobre um possível medo ou receio por uma situação que se aproxima, e procure confortá-lo.

Ah, e calma: depois que passar a emoção, a dor de barriga deve ir embora também!

4 – Verminoses, infecções e inflamações

Doenças e infecções causadas por vermes, bactérias e também vírus apresentam entre seus sintomas correlatos a dor de barriga. Assim, mais uma vez, pergunte à criança o que ela está sentindo.

dor de barriga

dor de barriga – Foto: Freepik

Vômito, febre e dor de barriga constante estão entre as principais queixas – inclusive se o problema for apendicite (nesse último caso, dor perto do umbigo é mais um sinal).

Procure então o pediatra que, se desconfiar de algo, deve solicitar exames para detectar a doença e prescrever o tratamento.

5 – Doenças de família

Se na família há histórico de doenças como úlceras gástricas ou duodenais, calculose renal e doença inflamatória intestinal, desconfie da queixa da dor de barriga da criança, se ela for recorrente!

Assim, especialmente se a dor chega ao ponto de acordar o pequeno durante a noite, ou ainda se vem acompanhada de outros incômodos, procure o pediatra.

Como saber se uma criança está com dor na barriga?

A reação do seu filho à dor pode variar dependendo da idade.

Bebês e crianças pequenas

bebê chorando com fome

bebê chorando com fome – Foto: Freepik

Bebês e crianças pequenas geralmente reagem à dor abdominal com:

  • Choro;
  • Carranca;
  • Rosto que fica vermelho ou pálido.

Além disso, os pais relatam que a criança fica:

  • Mais irritada;
  • Inquieta;
  • Relutante em comer;
  • Tem problemas para dormir.

No caso de dor abdominal, a criança em idade pré-escolar costuma apontar para a área do umbigo, mas geralmente é incapaz de localizar e determinar com precisão a natureza da dor.

O tratamento da dor de barriga na criança depende da idade e do estado geral da criança, da causa provável e dos sintomas associados.

Tratamento para criança com dor na barriga

bebê com dor de barriga

bebê com dor de barriga – Foto: Freepik

O tratamento da influenza gastrointestinal é baseado na reidratação da criança. É aconselhável administrar preparações especiais, os chamadas fluidos de reidratação oral que contêm eletrólitos e glicose – essenciais durante diarreia ou vômito.

Se a criança está vomitando, certifique-se de dar ao seu filho bebidas com frequência, mas apenas em pequenas quantidades.

Não é recomendado o uso de bebidas coloridas artificialmente, refrigerantes ou sucos de frutas para reidratar uma criança durante diarreia ou vômito.

No entanto, se houver suspeita de dor de barriga na criança relacionada ao estresse em seu filho, vale a pena procurar a ajuda de um psicólogo infantil, que recomendará tratamento adicional e fornecerá as orientações necessárias aos pais.

Mas se há uma suspeita de intolerância alimentar ou alergia na presença de dores abdominais após as refeições, especialmente se acompanhadas de coceira na pele e erupção cutânea; observe quais alimentos e a que horas os sintomas ocorrem após uma refeição e consulte o médico para um diagnóstico mais aprofundado.