Muitas vezes, quando uma leitora descobre que eu sou dentista, acaba me mandando uma mensagem específica sobre alguma questão odontológica do filho (podem continuar mandando, eu adoro responder!). E uma das perguntas mais frequentes é sobre o hábito de chupar o dedo nos bebês. Quando uma dúvida como essa chega, a primeira coisa que avalio é: qual é a idade dessa criança? Porque sobretudo no primeiro ano de vida, muitos bebês demonstram a tendência a sugar o dedo (o que começa ainda na fase intra-uterina. Eu me lembro perfeitamente de ter visto minha filha Catarina chupando o dedinho no ultrassom!). Entretanto, se o hábito se prolonga por um tempo maior do que deveria, passa a ser um problema que exige a intervenção dos pais.

dedo na boca

Chupar o dedo é um ato instintivo no bebê. É um comportamento natural que prepara-o para a amamentação, fortalecendo os músculos que serão exigidos durante as mamadas (por isso mesmo é que ele começa ainda dentro do útero). Durante a fase oral, em que o bebê está descobrindo o mundo através de sua boca, é normal que ele leve os dedos à boca, o que não deve causar apreensão nos pais. É preciso apenas observação, pois em geral o hábito é abandonado sem esforço (quando o bebê atinge um ano e meio, entra em uma outra etapa de desenvolvimento, com outros interesses).

Entretanto, em alguns casos o bebê intensifica o sugar de dedos (que podem ficar inchados ou vermelhos de tanto serem sugados). Se você perceber que o bebê passa boa parte do dia chupando os dedinhos, comece a interromper o ato, chamando sua atenção para outra atividade. Analise se há alguma relação entre essa sucção e a ansiedade de seu filho, ou se ele a associa a algum horário específico (como a de dormir, por exemplo). Em casos onde a necessidade de sucção do bebê é muito grande, vale considerar deixá-lo mais tempo no peito para que sua saciedade seja suprida. Outra opção é recorrer à chupeta (e se você tem receio de que seu uso possa prejudicar a amamentação, espere até que o bebê complete um mês de vida para oferecê-la, pois nesse período as mamadas no peito já estarão bem estabelecidas).

Publicidade

Mas vocês devem estar se perguntando o mais importante: se eu perceber que meu filho está sugando o dedo mais do que deveria, como faço para que ele pare? Pois bem, aqui vão algumas dicas que podem ajudar:

Converse com seu filho. Se ele tem mais de dois anos e o hábito persiste, ele provavelmente entenderá quando você disser que seus dentinhos ficarão tortos. Conte para ele que é importante que ele pare de chupar o dedo para ter um sorriso bonito (juro que eles entendem, viu?).

Distraia-o. Muitas vezes a criança começa a sugar o dedo enquanto está em uma atividade passiva (assistir televisão, por exemplo). Nesse momento, sugira que ele desenhe, ajude-a a cozinhar, ou prepare um chazinho imaginário para você.

Não diminua seu filho. Não diga que ele é um bebê, não tire sarro da situação (e nem deixe que alguém faça isso). Isso só fará com que seu filho fique mais ansioso, sentindo assim maior necessidade de sugar. Ou seja, é um círculo vicioso.

Não coloque pimenta ou qualquer outra substância na ponta dos dedos. Essa era uma tática usada por nossas avós, mas que não deve ser usada nos dias de hoje. Sabe-se atualmente que tais substâncias podem agredir o sistema digestivo do bebê ou causar alergias.

Tire o dedo da boca durante a noite. Se seu filho só pega no sono sugando o dedo, tire-o da boca assim que ele dormir. Quanto maior o tempo com o dedo na boca, maior a alteração da arcada dentária (ou seja, mais tortos ficarão os dentes e maiores serão os problemas de mastigação e de fala).

Publicidade

Desenhe na pontinha dos dedos. Como os pequenos não gostam de “perder” os desenhos, evitarão sugá-los. Explique que se ele chupar o dedinho o coração, o bichinho, a florzinha que você desenhou irão desaparecer!

Use o reforço positivo. A cada dia que ele conseguir ficar sem sugar, ganha uma estrelinha. Ao fim de uma semana, pode trocá-las por um presente! E, claro, encha-o de elogios!

Dê uma naninha ao seu filho. Se o problema da sucção estiver relacionado apenas à hora de dormir, a naninha pode ajudar bastante. O sugar de dedos nesse caso pode ser a forma que seu filho encontrou de se acalmar para pegar no sono. Uma fraldinha ou almofadinha podem se tornar o substituto de que ele precisa para encontrar outro mecanismo para dormir.

A chupeta ainda é melhor do que o dedo. Para uma criança que sente muita necessidade de sugar para se acalmar, é mais tranquilo se livrar da chupeta em momento oportuno do que do dedo. A chupeta pode ser mandada embora, já os dedos… Além disso, você pode escolher uma chupeta ortodôntica, que é achatada, ao contrário do formato do dedo, redondo.

Se você estiver em dúvida se os dentes de seu filho estão tortos pelo hábito de chupar o dedo, peça que ele feche a boca completamente (como se estivesse mordendo algo). Veja o espaço entre os dentes “da frente”, de cima e de baixo. Se notar que há indícios de que os dentes superiores estejam indo para frente e que esse espaço esteja aumentando,  procure a avaliação de um cirurgião-dentista. Existem alguns aparelhos removíveis que corrigem a arcada dentária e que podem inibir o hábito de sugar os dedos na criança. O trabalho conjunto com um psicólogo e um fonoaudiólogo também é muito indicado.