5 leites vegetais que podem ser muito úteis para seu filho

Por 3 Comentários


Recentemente eu tenho recebido muitas mensagens de leitoras com filhos que apresentam alergia ao leite de vaca. Eu já comentei aqui no blog que, quando Catarina era bebê, tivemos a suspeita de que ela era alérgica a leite, mas, felizmente, essa hipótese acabou sendo descartada. E para que isso fosse feito, eu e ela tivemos que suspender completamente, por algumas semanas, o consumo desse alimento e de seus derivados (acabei fazendo a dieta de exclusão porque a pequena ainda era amamentada, e as proteínas que causam a alergia são passadas através da amamentação).

Nessa ocasião, eu percebi o quanto é difícil substituir o leite, porque ele é base para quase todos os produtos que consumimos no dia-a-dia (pelo menos na minha casa é assim). Mas a verdade é que existem muitas pessoas que seguem uma dieta como essa (ou ainda mais rigorosa), e podem nos dar dicas de como fazer essa troca alimentar. Os veganos, por exemplo, não consomem qualquer tipo de alimento de origem animal – o que inclui o leite de vaca. Para substituí-lo, eles utilizam leites vegetais, feitos à base de cereais e ricos em proteínas.

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

A grande questão em relação aos leites vegetais como substitutos do leite de vaca (ou de fórmulas que o levam em sua composição) é a quantidade de cálcio que proporcionam – muitos deles acabam tendo um menor teor do que o do leite animal, e, por isso, devem ser usados junto com uma fonte de cálcio adicional. Outra recomendação importante é evitar muitas misturas, pois, no caso do aparecimento de alguma alergia, fica mais fácil a detecção da origem do problema.

O preparo desses leites costuma ser bem parecido, alterando-se apenas o período em que as sementes ficam de molho e a quantidade de água para misturá-las (isso porque algumas sementes possuem gosto mais forte do que outras). Confira como fazer algumas dessas receitas em casa e a quantidade de cálcio presente em cada uma delas (para comparação, lembre-se de que em cada 100 ml de leite de vaca existem cerca de 125 mg de cálcio, e que uma criança entre os 4 e 8 anos deve ingerir 800 mg desse mineral diariamente – e a quantidade aumenta de acordo com a idade):

Leite de amêndoa ou de gergelim

Preparo: Deixe um copo de gergelim ou de amêndoas (sem sal ou açúcar) de molho por 8 horas. Após esse período, escorra e bata as sementes com 3 ou 4 copos de água no liquidificador. Coe e sirva.

Quantidade de cálcio (a cada 100 g): 237 mg (amêndoa) e 825 mg (gergelim)

Benefícios: A amêndoa é uma grande aliada na saúde dos ossos, pois, além do cálcio, ainda conta com bons índices de magnésio e fósforo. Já o gergelim contribui para o bom funcionamento dos músculos, do cérebro e das células sanguíneas, por ser rico em proteína e ácido fólico. Outro detalhe do gergelim é que ele pode virar um “queijelim” se bater menos (como uma coalhada) e também pode ser servido dessa forma. Misturado com azeite, sal e orégano fica bastante saboroso!

 

Leite de chia

Preparo: Deixe uma xícara de chia de molho (com pouca água) durante 8 a 12 horas. Em seguida, sem coar, misture 4 copos de água e bata tudo no liquidificador. Coe e sirva.

Quantidade de cálcio (a cada 100 g): 631 mg

Benefícios: É fonte de ferro, vitamina A (importante para o sistema imunológico), ômega 3 (bom para o coração) e ainda vitaminas do complexo B (que ajudam no funcionamento do sistema nervoso).

 

Leite de linhaça

Preparo: Coloque uma xícara de linhaça de molho, em pouca água, durante 4 horas e depois, sem coar, adicione 4 copos de água e bata no liquidificador. Bata bem, coe e sirva.

Quantidade de cálcio (a cada 100 gramas): 211 mg

Benefícios: É uma semente rica em fibras e proteínas. Para crianças acima do peso, é uma boa auxiliar para perda e controle da massa.

 

Leite de quinua

Preparo: Deixe um copo de quinua em grãos de molho por 8 horas. Depois, escorra e bata no liquidificador com 3 copos de água e coe.

Quantidade de cálcio (a cada 100 gramas): 66 mg

Benefícios: Fonte de proteínas e um dos alimentos mais ricos do mundo em aminoácidos e vitaminas.

 

Outros leites vegetais muito comuns são o de soja e o de amendoim. Mas como é comum que crianças com alergia a leite de vaca também sejam alérgicas à soja, o ideal seria não utilizá-lo, em um primeiro momento (claro que essa recomendação varia de pediatra para pediatra, e o melhor, sempre, é conversar com o médico do seu filho). O amendoim também é causa de muitas alergias alimentares na primeira infância, devendo haver atenção quanto ao seu uso em crianças que já manifestam algum tipo de alergia.




Arquivado em: Alimentação Tags:

Comentários (3)

Trackback URL

  1. Edna Arthuso disse:

    Matéria ótima! Mas, pra ficar melhor ainda precisa incluir o leite de coco. Ele tem ácido láurico em maior quantidade superior ao leite materno e é maravilhoso p/ sistema imunológico. Uso com meus trigêmeos por opção e te msido muito bom!

  2. CLAUDIA REGINA CORDEIRO DE BARROS disse:

    Você falou que o leite vegetal não tem a quantidade suficiente de cálcio comparando com o lwireless de vaca, mas o de gergelim tem muito mais (conforme a informação do texto).Outra dúvida é qual a idade ideal para ofertar leites vegetais?

    • Nívea Salgado disse:

      Oi, Claudia,

      No texto eu disse que ALGUNS tipos de leite vegetal não têm a mesma quantidade de cálcio do leite de vaca. Mas não são todos, como você mesma reparou!

      Sobre a idade ideal para oferecer, o ideal é questionar o pediatra do seu filho. Certamente depois dos 6 meses de idade, porque até lá a recomendação da OMS é de leite materno exclusivo, mas o momento certo varia de criança para criança.

      Beijos!

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail