Como a aromaterapia pode ajudar no sono dos bebês

Por 4 Comentários


Hoje vamos falar de um assunto bastante comum para profissionais de saúde e famílias de grandes cidades da Europa (especialmente da França) e pouco conhecido no Brasil: a aromaterapia para bebês.

Mesmo sendo um grande produtor de óleos essenciais, especialmente os cítricos, a aromaterapia no Brasil (que por não ser tão conhecida, é consequentemente pouco explorada) muitas vezes é confundida com tratamento com florais de Bach. Apesar de serem terapias alternativas parecidas, a aromaterapia é uma ciência que usa os aromas para tratamentos que buscam alcançar o bem-estar físico e emocional com a inalação ou penetração na pele dos óleos essenciais, através de massagens. Já os florais atuam no equilíbrio emocional através da ingestão.

O cheiro é  de fundamental importância para o bebê; tanto é assim, que a primeira memória que ele adquire é a olfativa. Esse é o primeiro dos cinco sentidos que une mãe e filho, e é sabendo disso que algumas maternidades da Alemanha borrifam óleo essencial de tangerina para dar boas vindas ao pequeno! É também pela ação do olfato que muitos bebês que dormem no quarto dos pais a partir do nascimento mamam mais vezes durante a noite do que aqueles colocados em seus berços – eles sentem o cheiro da mãe e o associam com o ato de mamar.

E como estes óleos puros, extraídos das flores, folhas, sementes, cascas e raízes podem nos ajudar no sono e bem-estar dos bebês? De muitas formas, uma vez que eles possuem propriedades farmacológicas (como antibióticos, antissépticos, calmantes ou antivirais), podendo sim ser muito eficientes no tratamento de congestão nasal, picadas de insetos, cólicas ou mesmo para acalmar os bebês. Eles ajudam bastante no sono infantil, com o diferencial importante de ser algo natural,  e não sintético.

A primeira dica que vamos dar aqui é o óleo de lavanda. Esse óleo é um poderoso aliado dos pais na hora de acalmar e relaxar os bebês, controlar a ansiedade e ajudar na chegada do sono. Ele pode ser usado na hora do banho, na massagem ou mesmo aromatizando o quarto. Apesar de muito usado, ele não é o único. Outro aroma muito eficiente para acalmar os bebês é o de camomila romana, que também possui efeito reconfortante e calmante, ajudando o bebê a chegar ao sono.

Como não é só de calma que o bebê precisa para dormir, a aromaterapia pode atuar também em diversos incômodos que tiram o sossego dos pequenos na hora de dormir. A tosse por exemplo. Algumas mães costumam dizer que ela deve “morar” embaixo do travesseiro, porque o bebê fica bem o dia todo e, como em uma mágica, começa a tossir assim que é colocado no berço. E o que dizer de nariz entupido? Bebês não sabem lidar com esse incômodo tão comum! Além de não dormirem bem, também não conseguem mamar adequadamente quando estão congestionados. O óleo essencial de eucalipto é ótimo para ambos os casos.

Devido ao amadurecimento natural do intestino, as cólicas e a prisão de ventre também atrapalham o sono dos bebês e costumam ter hora marcada para acontecer: o fim do dia, justamente quando a mãe está preparando o bebê para dormir. Para isso também existem óleos essenciais, como o de erva-doce, que ajudam a estabilizar o sistema digestivo e consequentemente a aliviar esses incômodos.

Você sabia que a aromaterapia pode auxiliar também no aspecto psicológico dos bebês? Após um trauma ou susto, por exemplo, podemos usar o óleo de laranja doce para aliviar o stress das crianças.

Além de serem usados no ambiente (em difusores ou borrifadores), os óleos essenciais também podem ser utilizados na massagem do bebê. Massagear o bebê promove a circulação, ajuda na digestão, aumenta a flexibilidade do bebê (visto que favorece as articulações), ajuda na remoção de células mortas (limpeza da pele), alivia uma série de incômodos que podem atrapalhar o sono, acalmam, relaxam e, o mais importante, é fundamental no estreitamento da relação entre mãe e filho. Através do toque, os bebês entendem que podem interagir, favorecendo muito a comunicação com a mãe.

Não estamos falando aqui que os óleos essenciais devem substituir a medicina convencional, mas eles certamente podem ser uma excelente alternativa para manutenção da saúde e bem-estar do seu bebê.

É importantíssimo frisar que, como qualquer tratamento, os óleos essenciais devem ser usados com a orientação de um profissional certificado, que saberá a dose correta e principalmente como ele deve ser ministrado (visto que os óleos atingem a corrente sanguínea não só quando aplicados na pele, mas também quando são inalados). Para escrever este post, contei com a orientação da aromaterapeuta Marcia Benalia, sócia da Maternity Coach. Lembramos também que um óleo essencial nunca deve ser usado diretamente na pele do bebê. A pele dos bebês e das crianças é extremamente delicada, muito mais fina do que a dos adultos, e portanto merece uma atenção especial!

michele

 




Arquivado em: SaúdeSono do bebê Tags:

Comentários (4)

Trackback URL

  1. Adorei a publicação! Muito útil para a mamãe de primeira viagem aqui! Vou me informar a respeito de profissionais em Belo Horizonte que possam me dar direcionamento dos óleos mais adequados, para quando a pequenina nascer! Adoro seu blog!

  2. Schely Alves disse:

    tenho gêmeos,e quando estava gravida morria de medo de passar por isso pois minha filha de tres anos até hj tem problemas pra dormir e chora muito,ai quando eles nasceram dei chupeta e eles dormem a noite toda,desde que nasceram estão agora com seis meses e não me arrependo de ter dado a chupeta eles são super calmos e dormem bem de dia tbm.

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail