Pensando em adotar? 5 motivos para incentivar a decisão

Por 1 Comentário


A adoção é mais uma forma (linda!) de criar novas famílias. E, para quem estiver pensando na possibilidade, eu compartilho hoje alguns motivos para incentivar esse gesto transformador. Os pontos que eu mostro a seguir foram baseados em um depoimento emocionante de uma professora e ativista dos Estados Unidos, a Leda Eizenberg, que está dominando a internet com um depoimento sobre o pequeno Seth, de 13 anos.

Adolescente e autista, as chances do menino ser adotado não são das mais altas. Para ajudá-lo a encontrar uma nova família, Leda escreveu sobre o quão incrível ele, enquanto a fotógrafa de famílias Ashia Ray completou o depoimento com imagens do garotinho, em situações cotidianas.

O resultado é inspirador e também pode incentivar quem está cogitando tornar-se um pai adotivo. Veja a seguir alguns pontos que Leda listou para incentivar a adoção de Seth (amei!):

Imagem: 123RF

1) Toda criança e família merecem um milagre: de maneira geral, a história de crianças e adolescentes que esperam pela adoção é cercada de muitas dificuldades. E de muitas famílias que cogitam adotar um filho também (como, por exemplo, a dificuldade para engravidar). E todas essas pessoas merecem – e muito – a felicidade! Por que não reunir todas essas histórias e contar uma nova, cercada de muito amor? O milagre pode acontecer aí, para todos.

2) Toda criança merece uma família amorosa e estável: e não é verdade? E, por que não ser a sua?

3) Pais adotivos podem mudar histórias: não é à toa que Leda está espalhando a história de Seth para que ele encontre uma família. Potenciais pais adotivos podem mudar o rumo da história dessas crianças, oferecendo acolhimento, segurança, educação e amor.

4) Se você enxergar dentro da criança, vai ver o quanto ela é maravilhosa: lembra das dificuldades que eu falei acima? O fato de a criança sobreviver a elas e à espera por uma família com otimismo é sinônimo de uma força surpreendente. Às vezes a casquinha pode ser dura, mas o convívio pode revelar um interior incrível desses pequenos (e o quanto eles têm a nos ensinar).

5) É possível ir além de julgamentos superficiais: para o tópico acima fazer sentido, lembre-se de não julgar. “A vulnerabilidade e a incerteza de se expor e desejar uma nova família é difícil de ser exigida de qualquer criança, especialmente uma que já sofreu perdas e desapontamentos antes”, escreveu Leda. “O que ele mais precisa é de pessoas que não só amem, entendam e o apreciem, mas também que o consideram inteiramente delas.

Para ler o depoimento completo sobre Seth, com as fotos, clique aqui.






Arquivado em: Maternidade Tags:

Comentários (1)

Trackback URL

  1. Ashia Ray disse:

    Obrigado! Compartilhar a história de Seth aumentará suas chances de encontrar uma família adotiva. Sou grato!

    [Traduzido do inglês através do Google Translate]

    Thank you! Sharing Seth’s story will increase his chances of finding an adoptive family. I’m grateful!

    [Translated from English through Google Translate]

Deixe seu comentário