Como brincar com o bebê menor de um ano (dicas práticas para fazer em casa!)

Por 0 Comentários


Embora eles ainda não falem, corram ou entendam regras de jogos, os bebês menores de um ano podem ser estimulados desde os primeiros meses com atividades divertidas. E mesmo que não pareça, é importante brincar com a criança durante esse período, para que ela tenha os sentidos e o cérebro (que estão se desenvolvendo a todo o vapor) estimulados. Alguns estudiosos, aliás, acreditam que isso terá um reflexo profundo em futuros aprendizados e capacidade de raciocínio.

“Mas o que fazer com criaturinhas tão pequenas?”, você pode estar se perguntando. Aqui vai a primeira dica: converse e cante sempre para o seu filho. Conte a ele o que vocês estão fazendo. Essa postura, indicada desde a saída da maternidade, não só o estimula, como também fortalece o vínculo entre vocês. E, além dessa, existem outras atividades que vocês podem colocar em prática desde o início para se divertirem juntos (enquanto você acompanha ainda mais de perto cada etapa do desenvolvimento do pequeno). Conheça algumas aqui embaixo, indicadas para cada fase de desenvolvimento do bebê:

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

0 a 3 meses: sabiam que essa era uma das minhas principais preocupações, quando Catarina era bebê? Eu não conseguia imaginar o que poderia fazer para brincar com um bebê tão pequeno! O que eu descobri com o passar do tempo, é que você simplesmente não precisa se preocupar com isso, pois nessa fase, menos é mais! Até os 3 meses de vida, o filhote está se acostumando ao mundo, gasta muita energia para mamar e passa grande parte do dia dormindo – é como se fosse um quarto trimestre de gestação, só que fora da barriga. Para não super-estimulá-lo (e correr o risco de desenvolver problemas de sono – que acabaram acontecendo por aqui), considere as próprias atividades de sua rotina como verdadeiras brincadeiras (o banho, a troca de fralda enquanto mamãe faz caretas, um passeio para o banho de sol, uma gostosa shantala!). Brinquedos como móbiles coloridos também são bacanas, uma vez que estimulam o desenvolvimento da visão.

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

 

4 a 6 meses: apesar de ainda serem pequenininhos, os bebês durante esse período estão com a visão e a audição mais desenvolvidas. O tato também está evoluindo (nessa faixa etária, o filhote controla melhor os braços, segura objetos e até os passa de uma mão para outra). Para aproveitar esses três sentidos, você pode apresentar ao pequeno um ginásio de atividades, que chamará sua atenção e o deixará com vontade de se movimentar. As versões com peças que fazem barulho (ou tocam música) ao encostar são uma boa alternativa, pois estimulam ainda a audição. E não precisa ser aquele modelo caro da marca famosa – há mil ideias na internet de como fazer um ginásio do bebê em casa, com pedaços e madeira ou tubos de PVC, onde você pendura brinquedinhos dos mais comuns (veja na imagem abaixo como resolve!). Outra dica bacana é mostrar vários brinquedos e oferecer um de cada vez, de modo que a criança precise trocar o que estiver segurando de mão, para pegar outra peça que lhe chame a atenção.

Imagem: http://mile73.com/

Imagem: http://mile73.com/

Vale lembrar também que a partir do quarto mês o filhote passa a ter mais controle da cabeça quando é estimulado a sentar, o que permite que você brinque com ele nessa posição (mas sempre ofereça ajuda e apoie as costas dele em almofadas. Eu usava a de amamentação, em formato de “C”, para apoiar Catarina – ela adorava, porque se sentia firme para brincar). Você pode incentivá-lo a sustentar o pescoço, balançando-o delicadamente para frente e para trás, ou mesmo brincando com chocalhos: escolha um colorido (para trabalhar a visão também) e o sacuda de um lado para o outro, de baixo para cima – o bebê irá acompanhar os seus movimentos para saber de onde está vindo o som. Mais um aspecto interessante é que durante esse período a criança começa a desenvolver a percepção de profundidade visual, então dá para brincar ainda com o chocalho (e outros objetos) perto e depois mais longe. O filhote irá acompanhar tudo com os olhos e, caso queira agarrar o que estiver sendo mostrado, fará isso com mais precisão (ou seja, só quando a peça estiver realmente ao alcance dele).

Já quase aos 6 meses, é hora de trocar de posição: o pequeno já consegue se apoiar e fazer a transferência de peso nos pezinhos (embora ainda não consiga se equilibrar de pé sem apoio). Dessa forma, dá para segurá-lo em pé e estimulá-lo a ficar nessa posição (para treinar o equilíbrio) enquanto você o distrai com brinquedos e objetos.

 

7 a 9 meses: nessa fase uma das brincadeiras mais bacanas é a de esconde-esconde. Além de provocar boas risadas no filhote, o jogo contribui para que ele aprenda que, quando você desaparece, você volta (o que ajuda no desenvolvimento e previne uma possível ansiedade de separação). E não pense que ele não te enxergará durante a brincadeira: a partir do oitavo mês de vida, a visão humana já está quase totalmente desenvolvida. Além disso, vale saber que, durante essa fase, o que os pequenos mais gostam de ver são rostos humanos. Uma ideia legal para aproveitar essa característica é fazer um painel com vários rostos (especialmente de outros bebês) recortados e deixá-lo ao alcance dos olhos do pequeno. Ele provavelmente observará tudo com bastante atenção!

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

Outro detalhe é que entre o sexto e o oitavo mês o filhote já deve conseguir sentar sozinho. Para incentivá-lo, ajude-o a se sentar por conta própria quando estiver deitado. Feito isso, vocês podem brincar de bola com as mãos (jogando no chão um para o outro). Mais uma atividade legal durante essa fase é oferecer brinquedos e objetos com experiências sonoras interessantes, como colheres e garrafas plásticas que, em contato uma com a outra, produzem sons diferentes (durante esse período o pequeno já estará louco para bater um brinquedo no outro, ou então em cima da mesa e ver no que dá!).

 

10 a 12 meses: aqui é que a interação entre vocês começa pra valer! O filhote já acena com as mãos, engatinha, balbucia palavras e até mesmo anda (segurando para se apoiar). Todas essas conquistas devem ser estimuladas! Para isso, faça movimentos com as mãos para ele imitar (e, no caso do tchau, incentive o pequeno a fazê-lo também para se despedir das visitas. Assim ele treina o movimento dentro do contexto e socializa). Já para engatinhar e andar (com apoio), coloque brinquedos que o filhote goste a uma certa distância e o incentive a pegá-los. Para que ele entenda a brincadeira, pode ser necessário que você tenha que mostrar a ele o que fazer (e talvez isso renda boas gargalhadas!).

Outro aspecto para ser aproveitado durante essa fase é o movimento de pinça com as mãos. Essa posição permite que a criança segure objetos menores com os dedos e, com isso, opções bacanas são brinquedos com cordas ou então livros e revistas para manusear. Mais uma atividade para estimular o filhote é a de empilhar ou então encaixar peças, como colocar bolinhas dentro de um pote. Para que o pequeno aproveite ainda mais a experiência sensorial, é interessante misturar peças de diversas cores e pedir para ele pegar uma específica (incluir bolinhas de texturas diferentes também é válido, para incentivar o tato).

Imagem: 123RF

Imagem: 123RF

E a partir dos 10 meses existe outra descoberta: a criança percebe que quando se olha no espelho a imagem refletida é dela mesma! Antes disso, pode ser que ela já sorria para a imagem, pois a tratava como outra criança, mas é só agora que acontece a identificação. Então vale usar e abusar dos espelhos (um modelo especial para bebês, que seja mais resistente, ou então algum bem fixo à parede) e deixar o pequeno aproveitar a novidade!




Arquivado em: AtividadesDesenvolvimentoDiversão Tags:

Deixe seu comentário

Receba nossas dicas por e-mail