Infelizmente, o esgotamento mental na maternidade é mais recorrente do que imaginamos.

Também conhecido como Burnout Materno, esse esgotamento consiste em uma exaustão física e mental que surge em decorrência do excesso de demandas, tarefas e obrigações que uma mulher mãe se vê “obrigada” a cumprir.

Pensando nesse cenário, trouxemos um guia completo para que você possa entender mais sobre o assunto para, dessa forma, tornar-se possível a busca pela ajuda adequada. Confira.

Leia mais: Como lidar com o estresse na maternidade?

Publicidade

O que é o esgotamento mental na maternidade?

esgotamento mental na maternidade

Dona de casa cansada enquanto cuida das roupas. Foto: Freepik

O esgotamento mental na maternidade pode ser entendido como um estado de exaustão física, mental e emocional que aparece devido à sobrecarga que a vida pessoal, profissional e a maternidade podem desencadear na vida da mulher.

Basicamente, essa exaustão surge devido ao fato de que ainda nos dias atuais as mulheres são postas dentro de “rótulos” de super-heroínas e de guerreiras, ou seja, a dor da mulher ainda é romantizada. E essa romantização as impedem de cuidar de si mesma, abdicando-se de suas vidas para cuidar da família, da casa, do trabalho, etc.

Em paralelo as imposições da “maternidade perfeita”, temos ainda as imposições sociais relacionadas à magreza, beleza, cabelos, pele, bom humor, etc. É como se as mulheres tivessem que agir feito robôs, que mantém mil e um papéis em perfeito estado, sem se cansar ou se sentir limitada.

Porém, à medida que o tempo passa, esse excesso de imposições faz com que a mulher comece a se sentir cada vez mais cansada. E, pior do que isso, a maior parte das mulheres tem medo de declarar que estão esgotadas, tristes, cansadas, irritadas, etc.

Isso decorre do fato de que a dor da mulher é romântica para a sociedade. Muitas pessoa vêem que o sofrimento de uma mãe é algo “bonito” e que faz dela uma “guerreira”. E embora esses dois pontos tenham a sua parcela de verdade, enxergar dessa forma é o mesmo que dizer “que as mulheres mães têm que sofrer”, o que não é verdade!

Publicidade

Afinal, as mulheres mães são seres humanos. Têm medo, dores, angústias, dificuldades e, acima de tudo, limites. Se esses limites são ultrapassados todos os dias, sem a chance de descanso ou desabafo, o esgotamento mental na maternidade pode surgir.

Quais os sintomas do esgotamento mental na maternidade?

Os sintomas do esgotamento mental na maternidade podem aparecer de diversas formas em cada mulher. Isso porque estamos tratando de algo relacionado à saúde mental e à forma como essa mulher enxerga a sua vida e o seu papel de mãe.

No entanto, alguns sinais costumam ser bastantes comuns em diversos quadros de “Burnout Materno”. Veja quais são:

  • Irritação frequente, ou seja, a mulher está constantemente se sentindo “à flor da pele”.
  • Choro excessivo.
  • Sensação de estagnação, sem saber por onde começar ou qual será o próximo passo.
  • Sensação de culpa por “não ser perfeita”.
  • Medo constante do julgamento alheio.
  • Busca da perfeição.
  • Cansaço físico excessivo.
  • Distúrbios de sono e de apetite.
  • Dificuldade para se concentrar e focar.
  • Esquecimento constante.
  • Dores no corpo sem explicações aparentes.
  • Psicossomatização.
  • Tensão e estresse constantes.
  • Sensação de estar em seu limite.
  • Dificuldade para executar tarefas que até pouco tempo eram simples.

Veja mais: Como evitar a ansiedade na maternidade?

Quais as causas do esgotamento mental na maternidade?

esgotamento mental na maternidade

Mãe cansada com bebê no colo. Foto: Freepik

As causas do esgotamento mental na maternidade podem ser variáveis, uma vez que estamos tratando de algo que é multifatorial. No entanto, podemos listar algumas das principais causas do problema:

Publicidade

1. Sobrecarga de tarefas em casa, no trabalho e na vida em geral

Uma mulher que desenvolve um quadro de esgotamento mental pode estar vivendo uma fase de sobrecarga de tarefas. Essa sobrecarga pode aparecer com a rotina corrida do trabalho, mais as demandas de mãe.

Além disso, as demandas do relacionamento, da “estética” imposta pela sociedade e da sociabilidade podem tornar tudo ainda mais intenso e desgastante.

A mulher passa a ter a sensação de que as 24 horas do dia não dão conta de tudo o que ela precisa fazer. Outro fator importante é que as pessoas esperam que essa mulher cumpra com todas essas tarefas, sem falhar nunca.

Tudo isso, somado, impacta na qualidade do sono, na qualidade da alimentação e nos cuidados que a mulher tem com sua saúde. Afinal, ela passa a se colocar em segundo plano, negligenciando o próprio bem-estar em prol dos outros.

2. Estresse e ansiedade devido à rotina corrida

A rotina corrida, dessa mulher com esgotamento mental na maternidade, rouba a chance de equilibrar a ansiedade e o estresse. Como o presente está cheio de tarefas pesadas e difíceis, o estresse se instaura.

Antes de dormir, a mulher já pensa em tudo o que a espera, sentindo ansiedade por conta das demandas que ainda estão em aberto e que estão surgindo no meio do caminho.

Tudo isso, novamente no agregado, pode impactar o bem-estar geral da mãe que tenta, todos os dias, manter tudo no lugar, sem sucesso.

Veja mais: Como cuidar da saúde mental dos filhos?

3. Falta de pausas e descanso

As pausas e o descanso são fundamentais para a saúde física e mental. Sem o descanso, nosso corpo não se recupera, ficando propenso a maiores chances de desenvolver doenças. Além disso, o cansaço físico faz com que todas as tarefas fiquem infinitamente mais difíceis de serem executadas.

E não estamos nem falando dos descansos longos, de dias e semanas. Estamos falando daquelas pequenas pausas, ao longo do dia e da semana, que devem acontecer.

Uma boa noite de sono, as pausas de almoço, janta e descansos durante a rotina de trabalho, etc. Tudo isso faz a diferença na saúde física e mental da mulher.

Porém, quando o esgotamento mental na maternidade surge, muitas vezes é porque a mulher já não consegue mais estabelecer essas pausas. Ela apenas “apaga” à noite, quando dá, e ao longo do dia se esgota de tantas tarefas.

4. Acúmulo de emoções negativas

Devido à rotina tão pesada e à falta de compreensão das outras pessoas, a mulher começa a acumular uma série de emoções negativas.

A autoconfiança se desmancha, a autoestima diminui, o bem-estar se esgota, etc. Ela passa a acreditar que tudo é cada vez mais cansativo e difícil, fazendo com que a sua mente entre em um tipo de “vício” negativo.

À medida que o tempo passa, esses pensamentos repetitivos e negativos fortalecem cada vez mais a exaustão mental.

5. Falta de apoio e compreensão, com julgamento excessivo

As pessoas que estão à volta de uma mulher com esgotamento mental na maternidade dificilmente entende o grau da situação. E, pior do que isso, podem enxergar como vitimismo e sequer estender a mão para aquela mulher.

Essa falta de apoio, somada à cobrança social excessiva, faz com que a mulher feche os seus sentimentos e suas emoções dentro de si, acumulando as dores, as tristezas e, ainda, tentando manter tudo funcionando. Uma hora o corpo e a mente colapsam.

6. Busca pela perfeição

A busca pela perfeição também é uma das principais causas do esgotamento mental na maternidade. A mulher passa a correr atrás de ideais irreais, fazendo com que o seu corpo e a sua mente sejam postos à prova todos os dias.

Ao lado disso, temos a sociedade cobrando um padrão de beleza, um padrão financeiro, um padrão de organização etc. Assim, a mulher se vê “mergulhada” em uma eterna busca de padrões e perfeições – que sequer existem.

Leia também: Ervas para respirar melhor: 5 plantas para o bem-estar do aparelho respiratório

Como lidar com o esgotamento mental na maternidade?

Vetor de criança brincando com a mãe cansada. Foto: Freepik

Até aqui pudemos ver muitas informações sobre o esgotamento mental na maternidade, mas, afinal, como lidar com isso? Quais os caminhos mais saudáveis para seguir? Veja algumas considerações que podem ser úteis:

1. Autoconhecimento e entendimento dos limites

Entender os seus próprios limites é um bom ponto de partida. Aqui, o autoconhecimento deve operar. Você deve entender até onde pode chegar, com qual intensidade e frequência.

Além disso, é necessário conseguir respeitar esses limites, deixando de lado os padrões impostos por outras pessoas. Foque em você!

2. Psicoterapia

A psicoterapia pode ajudar você a lidar com o sentimento de esgotamento mental na maternidade. Durante as sessões, você e o psicólogo poderão trabalhar os seus medos, dores, cansaços e tristezas, encontrando caminhos mais saudáveis para seguir a sua vida.

3. Fugir do perfeccionismo

Pare de tentar atingir uma perfeição inexistente. Pare de seguir os padrões impostos pela sociedade e pelas pessoas que estão lhe cobrando. Foque em fazer o que é certo para o seu coração, respeitando quem você é e sem querer mergulhar no perfeccionismo.

4. Delegar tarefas simples e importantes

Mãe cansada ao lado do berço do bebê. Foto: Freepik

Delegue algumas tarefas. Elas podem ser as mais simples, como lavar uma louça, até as mais importantes, como cuidar do seu filho durante um fim de semana no mês.

Essas pequenas mudanças na rotina já deixarão um espaço mais livre na sua agenda para que você possa seguir a próxima dica: autocuidado.

5. Praticar o autocuidado

Cuide de você, da sua saúde física e mental. Cuide da sua pele, dos seus cabelos, das suas coisas. Pratique exercícios, viva momentos só com a sua companhia, tenha bons hábitos.

Tudo isso pode lhe ajudar a preservar o seu bem-estar e a sua saúde, desencadeando muito mais qualidade de vida para você. E lembre-se de que você sempre deverá ser uma prioridade em sua vida. Portanto, cuide-se!

Veja também: 5 hábitos para uma alimentação mais saudável (para toda a família)

Esgotamento mental na maternidade tem tratamento!

Mulher cansada deitada ao lado do seu bebê. Foto: Freepik

Por fim, é importante frisarmos que o esgotamento mental na maternidade tem tratamento, tanto medicamentoso com psiquiatra, quanto psicoterapêutico com psicólogo.

As duas situações podem caminhar lado a lado, de acordo com os sintomas e a intensidade do problema.

Você não precisa enfrentar tudo sozinha. Converse com um profissional e cuide de você!

Veja também: Como criar hábitos saudáveis de sono – 7 atitudes que farão diferença para seu filho!